Brasil

Escobar pode ser bom reforço para o Santos? Jornalistas de Fortaleza respondem

O argentino Gonzalo Escobar, de 27 anos, negocia salários para ser nova opção na lateral-esquerdo do Santos

Enquanto espera o acordo com o Krasnodar, da Rússia, pelo fim do transfer ban ser aprovado pela FIFA, o Santos segue em ação no mercado visando o fortalecimento do elenco para o início da Série B do Campeonato Brasileiro. E um dos nomes muito perto de ser anunciado pelo Peixe é o do lateral-esquerdo Gonzalo Escobar, de 27 anos, que pode chegar por meio de uma troca com o também lateral-esquerdo Felipe Jonatan. Os dois clubes já chegaram a um entendimento, e o Alvinegro ajustas salários com o atleta argentino.

Para entender de qual forma o lateral pode ajudar o Alvinegro por aquela faixa do campo, a Trivela buscou informações com jornalistas que acompanharam a passagem de Escobar pelo Tricolor cearense em 2023.

Escobar foi atingido no atentado da torcida do Sport?

Dentro de campo, as atuações não chamaram a atenção, tampouco deixarão saudades nos torcedores do Fortaleza. Fora, o episódio mais marcante foi a pedrada que Escobar levou, dentro do ônibus do Fortaleza, da torcida do Sport, no final de fevereiro deste ano, após o empate por 1 a 1 na Ilha do Retiro, em confronto válido pela Copa do Nordeste.

Na oportunidade, a pedrada atingiu a cabeça do lateral-esquerdo, que sofreu traumatismo craniano e precisou levar 13 pontos no ferimento.

Escobar todo machucado
Escobar foi umas das vítimas do atentado causado pela torcida do Sport contra o ônibus do Fortaleza (Foto: Fortaleza/Mateus Lotif)

Como é o Escobar dentro de campo?

Contratado no início da temporada passada do Ibiza, da Espanha, Escobar chegou ao Fortaleza com a missão de ser uma boa sombra para o titular Bruno Pacheco. Mas, de acordo com o André Almeida, comentarista da Rádio Verdes Mares e TV Verdes Mares — afiliada da Globo Ceará —, a passagem do argentino pelo clube deve ser classificada, no máximo, como “discreta”.

— A passagem do Escobar pelo Fortaleza foi super discreta. A verdade é que ele nunca foi um lateral de destaque. Podemos dizer que é se trata de um jogador que não é tão forte apoiando, tampouco tão forte defendendo. É um lateral muito regular, super discreto. Para ser ainda mais sincero, defino o Escobar como um lateral insosso. Ele não faz tanta diferença ofensiva, nem defensivamente. Aqui no Fortaleza acabou ficando muito marcado por conta do atentado que o Fortaleza sofreu da torcida do Sport, mas de resto não teve uma passagem de qualquer destaque — diz Almeida.

— Dá para afirmar que o Escobar é um jogador de muita luta e muita entrega. Comprometimento. Fora isso, eu não saberia apontar um ponto muito forte que ele tem. Em contrapartida, o enxergo como fraco fisicamente e isso fez com que ele perdesse muitos duelos individuais aqui no Fortaleza — acrescenta o comentarista.

Vai ser um jogador útil para o Santos?

Também acostumada a acompanhar os jogos do Fortaleza como integrante do canal Glória e Tradição no YouTube, Taís Lemos vê potencial para que Escobar contribua com o Santos ao longo da Série B.

— Na minha visão, o Escobar tem muito a acrescentar ao Santos na Série B. É óbvio que ele está longe de ser um grande craque, mas é um jogador que se entrega muito. É um lateral muito raçudo, que se doa de verdade dentro das partidas. E, pensando no momento do Santos, é isso que o clube precisa. Alguém que sue e honre a sua camisa, que é tão tradicional. Então, no meu modo de ver, todas as partes desse negócio saíram ganhando. O Santos, o Fortaleza, o Felipe Jonatan e o Escobar.

Qual o ponto forte de Escobar?

Repórter da Rádio Cidade, de Fortaleza, Everaldo Baima também não se encantou com a passagem de Escobar pelo Tricolor cearense. Mas reconhece, apesar das oscilações, que o argentino tem algumas boas características.

— É verdade que Escobar teve muitos altos e baixos no Fortaleza. Nunca foi titular e só foi utilizado nas oportunidades em que Bruno Pacheco não pôde atuar. Por isso, jogou muito pouco. Ele é um lateral rápido e que afunila muito bem pelo meio do campo. Porém, pelo lado do campo não é um jogador que apoia com frequência. Acho que no Fortaleza ele se prejudicou por falta de confiança nas partidas. Caso melhore isso no Santos pode render mais do que rendeu aqui — opina o repórter.

Ao todo, Escobar tem 20 partidas disputadas pelo Fortaleza, mas sem dar assistências ou balançar as redes adversárias.

Foto de Bruno Lima

Bruno Lima

Bruno Lima nasceu em Santos (SP) e se formou em Jornalismo na Universidade Católica de Santos (UniSantos) em 2010. Antes de escrever para Trivela, passou por A Tribuna.
Botão Voltar ao topo