Brasil

Com Endrick no topo, brasileiros dominam lista das 50 maiores promessas do mundo; confira

Atacante do Real Madrid é o mais exaltado entre jovens nascidos a partir de 2005; outros cinco brasileiros estão no ranking

Como um grande exportador de jogadores para o futebol mundial, o Brasil domina a lista dos 50 maiores talentos do futebol mundial nascidos em 2005, incluindo a liderança, segundo o perfil especializado Wonderkids.

Ao lado da França, é o país com mais representantes, ambos com seis. Na sequência vem Espanha e Inglaterra, cinco, e a Bélgica e a surpresa Turquia, os dois com quatro.

Obviamente, o nome mais conhecido hoje entre os promissores vindos do território brasileiro é o líder do ranking: o atacante Endrick, do Palmeiras e a caminho do Real Madrid em julho.

‘Galático antes de ser oficialmente um galático’: levantamento exalta trajetória de Endrick

Vendido em uma negociação que pode bater os R$ 400 milhões, o jovem de 17 anos se despediu do futebol brasileiro com recorde e mais recordes, destacados pela publicação.

161 gols em 181 jogos nas categorias de base

Mais jovem a estrear (16 anos, 2 meses e 15 dias) e marcar gol (16 anos, 3 meses e 4 dias) pelo Palmeiras

Primeiro jogador da história do Palmeiras a vencer títulos em todas as categorias (Sub-11, Sub-13, Sub-15, Sub-17, Sub-20 e Profissional)

– O estágio inicial da carreira de Endrick tem sido até agora como um roteiro de filme perfeitamente curado. Pretendido para a grandeza quando era criança, a sua primeira aparição no jogo profissional quebrou recordes a cada curva. – escreveu o perfil Wonderkids.

A cria da Academia Alviverde fez sua última partida pelo clube em 30 de maio, a 82º desde que subiu para o profissional, em 2022. Foram cinco títulos no período, sendo dois Campeonatos Brasileiros, dois Paulistas e uma Supercopa do Brasil.

– Para mim as coisas aconteceram muito cedo. Depois dos meus 15 anos eu já estava treinando com o profissional e já era assediado nas ruas que eu ia. […] Consegui ter uma cabeça muito boa. Minha família também me ajudou bastante. Eu tento não ligar para esse lado [externo] e só jogar futebol, ser feliz e quando sair de campo é viver a minha vida bem discretamente com meus familiares e com as pessoas do meu lado. – contou ao Wonderkids.

Inicialmente como um coadjuvante ainda ganhando minutos, o adolescente colocou a bola embaixo do braço para liderar a remontada do Verdão no último Brasileirão, vencido ao retirar uma vantagem de mais de 10 pontos do Botafogo.

Em 2023, foram 14 gols, sendo 21 no total, somando as temporadas de 2022 e 2024.

Além do claro impacto nos gramados, Endrick se destaca em como cuida da sua imagem. O estilo das roupas, as comemorações e entrevistas parecem bem pensadas, encaminhadas e quase sempre dão um ar de algo histórico.

O perfil, sucesso no Instagram, o definiu como um garoto que já é um galático antes de jogar no Real Madrid.

– Um fenômeno viral que faz com que as massas prestem atenção em cada palavra sua, em cada celebração e em cada escolha de roupa. Este nível de influência não tem precedentes para alguém tão jovem. Ousamos dizer, um Galáctico antes de se tornar oficialmente um Galáctico – diz o site.

Na Seleção Brasileira, ele já mostra o quão diferenciado é. Nas últimas três partidas, três gols, algo inédito para um atleta sub-18 desde Pelé, em 1958.

Todos as bolas nas redes foram saindo do banco, contra adversárias como Inglaterra em Wembley e Espanha no Santiago Bernabéu.

Sobre o primeiro com a Amarelinha, Endrick detalhou que pensou em marcar desde que foi dormir no dia anterior ao amistoso, disputado em março deste ano.

Fui dormir para tentar sonhar com o gol e fui imaginando os jeitos que poderia fazer o gol. Quando o Dorival falou que eu ia entrar eu já tinha mentalizado aquilo […] Não desacreditei da jogada, o Vini [Júnior] conseguiu pegar a bola e chutou, [Jordan] Pickford defendeu e consegui fazer o gol que eu mais gosto, que é só empurrar, ainda mais em um estádio emblemático onde eu pude jogar.

O garoto está a serviço do Brasil, que joga nesta quarta-feira (12), contra os Estados Unidos, antes da estreia na Copa América 2024.

Ao término da competição, Endrick deve ganhar alguns dias de folga antes de se apresentar no Real para o início da temporada 2024/25, marcada para iniciar em agosto.

Os outros brasileiros do ranking da Wonderkids

No top-5, apenas Endrick representa o Brasil, na frente de Lamine Yamal (Barcelona), Warren Zaïre-Emery (PSG), Arda Güler (Real Madrid) e Mathys Tel (Bayern de Munique).

Vitor Roque, do Barça, está em oitavo, destacando os números do atacante de 19 anos no seu período do Athletico Paranaense, antes de uma troca ainda de adaptação na Catalunha.

Abaixo vem Gabriel Moscardo (11º), meio-campista emprestado ao Corinthians e retornando ao PSG, clube que desembolsou 20 milhões de euros em dezembro de 2023 para tirá-lo de Itaquera.

– Destaque na arte de apagar incêndios, o sensato brasileiro tem talvez o teto mais alto de todos os volantes adolescentes. O PSG agiu rapidamente para adquiri-lo do Corinthians na virada do ano – acrescentou o perfil.

A sequência de brasileiros mostra a qualidade da base do Palmeiras. A dupla de pontas rápidos e habilidosos Estêvão Willian e Luis Guilherme, respectivamente 17º e 25º, chama atenção e com certeza estarão na Europa na próxima temporada.

Por fim, o último nome verde e amarelo, em 31º, é o ponta Lorran Lucas, do Flamengo, ainda dando os primeiros passos no profissional, mas mostrando uma qualidade fora da curva.

Um verdadeiro ponta brasileiro com muito talento criativo. Em março, Lorran marcou o gol da vitória na final da Libertadores Sub-20 e desde então se tornou um dos pilares do time profissional do Flamengo.

Em relação aos vizinhos da América do Sul, a Argentina conta com três nomes, dois oriundos do River Plate (Claudio Echeverri e Franco Mastantuono), além de Gianluca Prestianni, hoje no Benfica.

O Equador é o outro representa sul-americano pela presença de Kendry Paez, garoto do Independiente del Valle já vendido ao Chelsea.

As 50 maiores promessas do futebol mundial*

  1. Endrick (Palmeiras/Real Madrid)
  2. Lamine Yamal (Barcelona)
  3. Warren Zaïre-Emery (PSG)
  4. Arda Güler (Real Madrid)
  5. Mathys Tel (Bayern de Munique)
  6. Kobbie Mainoo (Manchester United)
  7. Kenan Yildiz (Juventus)
  8. Vitor Roque (Barcelona)
  9. Levy Yoro (Lille)
  10. Désiré Doué (Stade Rennais)
  11. Gabriel Moscardo (Corinthians/PSG)
  12. Claudio Echeverri (River Plate/Manchester City)
  13. Arthur Vermeeren (Atlético de Madrid)
  14. Pau Cubarsí (Barcelona)
  15. Kendry Paez (Independiente del Valle/Chelsea)
  16. Lewis Miley (Newcastle)
  17. Estêvão Willian (Palmeiras)
  18. Antonio Nusa (Brugge)
  19. Jorre Hato (Ajax)
  20. Gianluca Prestianni (Benfica)
  21. Eliese Ben Seghir (Monaco)
  22. Dean Huijsen (Juventus)
  23. Julien Duranville (Borussia Dortmund)
  24. Isaac Babadi (PSV)
  25. Luis Guilherme (Palmeiras)
  26. Roony Bardghji (Copenhagen)
  27. Lucas Bergvall (Djurgadens)
  28. Can Uzun (Nurnberg)
  29. Assan Quédraogo (Schalke 04)
  30. Sverre Nypan (Rosenborg)
  31. Lorran Lucas (Flamengo)
  32. Eli Junior Kroupi (Lorient)
  33. Francesco Camarda (Milan)
  34. Franco Mastantuono (River Plate)
  35. Paris Brunner (Borussia Dortmund)
  36. Rodrigo Mora (Porto)
  37. Semih Kiliçsoy (Besiktas)
  38. Chido Obi Martin (Arsenal)
  39. Yarek Gasiorowski (Valencia)
  40. Paul Wanner (Bayern de Munique)
  41. Archie Gray (Leeds)
  42. Javier Fernández (Bayern de Munique)
  43. Harry Amass (Manchester United)
  44. Adam Aznou (Bayern de Munique)
  45. George Ilenikhena (Royal Antwerp)
  46. Guille Fernández (Barcelona)
  47. Ethan Nwaneri (Arsenal)
  48. Jorthy Mokio (Gent)
  49. Guillaume Restes (Toulouse)
  50. Konstantinos Karetsas (Genk)

Segundo o perfil Wonderkids

Foto de Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius Amorim

Nascido e criado em São Paulo, é jornalista pela Universidade Paulista (UNIP). Já passou por Yahoo!, Premier League Brasil e The Clutch, além de assessorias de imprensa. Escreve sobre futebol nacional e internacional na Trivela desde 2023.
Botão Voltar ao topo