Brasil

Diniz começa a preparar a Seleção para ‘morder’ em treino com susto de Neymar

Seleção tem elenco completo pela primeira vez, e técnico começa a colocar "Dinizismo" em prática

No segundo dia de treinos em Belém, Fernando Diniz coloca o “Dinizismo” em prática na Seleção. Nesta quarta-feira (6), o técnico teve o grupo completo pela primeira vez em campo, após a chegada de Gabriel Jesus na noite anterior. A atividade no gramado do Mangueirão teve também um pequeno susto de Neymar durante o aquecimento.

Novamente, a imprensa teve acesso a apenas 30 minutos da atividade. E nesta meia-hora, foi possível ver que o treinador já consegue colocar o seu DNA no dia a dia de treinamentos da Seleção. Aos gritos de “intensidade”, “pressão”, “olho na linha” e “velocidade” pela comissão técnica, os jogadores fizeram dois trabalhos em campo reduzido.

Diniz quer Seleção “mordendo” a Bolívia

No exercício principal, os auxiliares de Diniz ensaiaram a movimentação na saída de bola e a pressão ao adversário. Na atividade, a bola saía com os goleiros, e a ordem aos atacantes era avançar para pressioná-los. Os goleiros tinham de tocar rápido para os zagueiros, deles para os volantes e depois para os jogadores posicionados pelo lado do campo. Tudo isso, executado em alta rotação até chegar ao meio-campo.

Todos os jogadores, sem exceção, participaram desta atividade. Conforme apurado pela Trivela, este é o início de uma movimentação que Diniz quer que seja rotina já na próxima sexta-feira (8), às 21h30 (horário de Brasília), contra a Bolívia. Além da saída de bola habitual, por baixo e usando os goleiros, o treinador pretende que a Seleção atue em intensidade e pressione sempre a defesa rival para criar chances de gol.

Neymar dá susto

Muito antes de Diniz colocar o “Dinizismo” em prática, o treino começou com um susto. Durante o aquecimento, Neymar deu um susto ao tentar dar um carrinho para interceptar a bola na roda de bobinho. O atacante caiu sobre o braço direito, em que ele tem uma proteção na altura do punho, e sentiu muitas dores. Ele deixou a atividade e foi para o banco de reservas receber atendimento médico. Por lá, os médicos trocaram a atadura de proteção, e o camisa 10 voltou para participar normalmente da atividade.

Para sorte de Fernando Diniz. O treinador está muito empolgado com o nível físico que o atacante chegou à Seleção e também com a participação dele no primeiro treino no Mangueirão. Neymar será o meia central da equipe, com a missão de ser a grande referência dentro de campo – como de costume, diga-se.

Jesus treina em Belém

Este foi o primeiro treino da Seleção com elenco completo em Belém. Após desembarcar na noite da última terça-feira (5), Jesus participou normalmente da atividade. Ele foi o último jogador a chegar a Belém, convocado após o corte de Antony, na segunda-feira (4).

O atacante só ficou fora da lista inicial de Diniz devido a um problema médico. Ele passou por uma pequena cirurgia no início do ano. Mesmo sendo o último a chegar, ele deve ser o camisa 9 titular de Diniz na Seleção.

Os convocados por Fernando Diniz:

  • Goleiros: Alisson (Liverpool), Lucas Perri (Botafogo) e Ederson (Manchester City);
  • Laterais: Danilo (Juventus), Vanderson (Monaco), Caio Henrique (Monaco) e Renan Lodi (Marselha);
  • Zagueiros: Ibañez (Al-Ahli), Gabriel Magalhães (Arsenal), Marquinhos (PSG) e Nino (Fluminense);
  • Meio-campistas: André (Fluminense), Bruno Guimarães (Newcastle), Casemiro (Manchester United), Joelinton (Newcastle) e Raphael Veiga (Palmeiras);
  • Atacantes: Gabriel Jesus (Arsenal), Gabriel Martinelli (Arsenal), Matheus Cunha (Wolverhampton), Neymar (Al-Hilal), Richarlison (Tottenham), Rodrygo (Real Madrid) e Raphinha (Barcelona).

A estreia de Diniz na Seleção

Fernando Diniz estreia como técnico da Seleção no duelo com a Bolívia, no próximo dia 8, às 21h45 (horário de Brasília), no Mangueirão, pela primeira rodada das Eliminatórias da Copa do Mundo de 2026. Depois, no dia 12, às 23h (horário de Brasília), o Brasil enfrenta o Peru, no Estádio Nacional, em Lima.

Foto de Eduardo Deconto

Eduardo Deconto

Jornalista pela PUCRS, é setorista de Seleção e do São Paulo na Trivela desde 2023. Antes disso, trabalhou por uma década no Grupo RBS. Foi repórter do ge.globo por seis anos e do Esporte da RBS TV, por dois. Não acredite no hype.
Botão Voltar ao topo