Brasil

A renovação de Marlon é um reforço e um grande acerto do Cruzeiro

Marlon, de 26 anos, tinha seu contrato com o Cruzeiro se encerrando no fim de 2024 e poderia sair de graça

O Cruzeiro acertou a permanência do lateral-esquerdo Marlon por pelo mais dois anos no clube ao renovar o contrato do camisa 3 até o final de 2026. O anúncio oficial foi feito na manhã desta quarta-feira (20). O antigo vínculo do jogador se encerraria em dezembro de 2024, o que possibilitaria que o atleta assinasse um pré-contrato com outra equipe a partir de julho deste ano, fazendo com que a Raposa perdesse um dos seus titulares sem receber nada por isso.

As negociações entre Cruzeiro e Marlon para renovação do contrato vinham se arrastando há algumas semanas, devido a impasses na definição dos novos valores a serem recebidos pelo jogador — como chegou à Raposa em baixa na carreira, o camisa 3 não estava entre os maiores salários do elenco, algo que se tornou incompatível com o futebol apresentado por ele —, mas as vontades do clube e do lateral, somadas ao carinho do torcedor celeste pelo atleta, foram importantes no fechamento do acordo.

O jogador de 26 anos, que se tornou muito identificado com o Cruzeiro, celebrou o acordo e repetiu, diversas vezes, a felicidade em poder estender sua história na Raposa.

— Muito feliz, muito motivado, mais responsabilidade, mas feliz com o projeto do Cruzeiro, feliz de continuar aqui, é uma coisa que sempre esteve na minha cabeça e no meu coração. Feliz por permanecer no clube e, com o Cruzeiro, ter a oportunidade de conquistar grandes coisas. Começa agora, nessas finais do Campeonato Mineiro e no que vem pela frente, então só vislumbrando coisas boas para o clube — comemorou Marlon.

Marlon se tornou um dos principais jogadores do Cruzeiro

Marlon chegou ao Cruzeiro no início de 2023, já na reta final do Campeonato Mineiro daquele ano, sob muita desconfiança da torcida. O camisa 3 ainda não tinha momentos notáveis na carreira e havia deixado o Fluminense, um de seus ex-clubes, sob críticas. Mas o camisa 3 conquistou seu espaço e o carinho da torcida cruzeirense em campo, mostrando ser um lateral-esquerdo completo, com capacidade de atacar e defender com qualidade, e fazendo mais de uma função no campo. O atleta pode jogar de lateral, como um zagueiro pela esquerda e como um ala, mais solto para atacar.

Marlon terminou o Campeonato Brasileiro de 2023 como titular absoluto do time. Foram 36 jogos, todos começando como titular, com uma média de 89 minutos por partida em cada um deles. Mesmo com um desempenho defensivo de impressionar, o camisa 3 também ajudou o pouco eficaz ataque do Cruzeiro, marcando três gols e dando duas assistências. No Brasileirão, só não marcou mais vezes que Bruno Rodrigues (8) e Wesley (4), ficando empatado com Gilberto e Arthur Gomes.

Nas assistências, perdeu para Bruno Rodrigues (4), Nikão e Machado (3), e ficou junto de Lucas Silva, William e Mateus Vital. Marlon foi, ainda, o segundo jogador do Cruzeiro que mais participou de gols (5), junto de Wesley e atrás de Bruno (12).

Ele também se destacou bastante defensivamente. Dos 36 jogos em que Marlon atuou no Brasileirão de 2023, o Cruzeiro passou 14 sem levar gols, tendo o lateral-esquerdo uma média de 1,4 interceptações e 3,2 desarmes por partida. O camisa 3 recuperou 6,6 bolas por confronto e fez 1,7 cortes a cada rodada.

O baixo número de erros também precisa ser exaltado. O jogador cometeu apenas um que resultou em finalização adversária. Nenhuma falha de Marlon terminou em gol sofrido pelo Cruzeiro. Durante o campeonato, o lateral recebeu sete amarelos e venceu 56% das disputas de bola que travou, uma média de 5,6 por jogo. Destas, 4,8 pelo chão e 0,8 pelo alto.

Desempenho em 2024

Em 2024, Marlon tem atuado como um terceiro zagueiro, mas ainda assim, como o Cruzeiro tem enfrentado adversários mais recuados neste início de temporada, tem conseguido atacar. São nove jogos na temporada, com um gol marcado (um golaço) e duas assistências. O jogador recebeu cinco cartões amarelos e um vermelho até aqui.

Neste ano, a concorrência por sua posição está mais forte, com as chegadas de Lucas Villalba e Álvaro Barreal, que podem atuar em funções semelhantes às que faz o camisa 3 e a manutenção de Kaiki, grande promessa da base celeste. Ainda assim, Marlon não tem dado brechas e segue como homem de confiança do treinador argentino Nicolás Larcamón.

Marlon é exemplo fora de campo

Não é só em campo que Marlon precisa ser exaltado. O lateral-esquerdo se tornou uma referência interna no Cruzeiro por sua dedicação, profissionalismo e seriedade, e também virou um xodó da torcida celeste pela forma com que ele se entrega pelo clube e pelo jeito simpático e carinhoso de tratar os cruzeirenses. O camisa 3 sempre atende os torcedores e é bastante atencioso.

Marlon ainda é muito querido no elenco estrelado, o que não diminui seu perfil de liderança. Suas entrevistas são sempre coesas, inteligentes e, nos momentos difíceis, consegue se apresentar, sem fugir das responsabilidades, gerando uma grande identificação com a torcida.

O diretor de futebol do Cruzeiro, Pedro Martins, elogiou esse perfil do Marlon durante entrevista coletiva realizada nesta quarta-feira (20), na Toca da Raposa 2, centro de treinamento do clube. De acordo com Martins, a renovação de contrato do camisa 3 não se dá apenas pelo que ele entrega em campo, mas pelo fato dele ter entendido o que é a instituição e o que a SAF planeja para ela.

— Todas as renovações de contrato que vamos fazendo, jogadores que trazemos e construímos a permanência, e aí são alguns como Marlon, William, Rafael Cabral, diversas histórias que foram sendo construídas ao longo desse período de SAF. A gente entende que esses atletas renderam não só dentro do campo, mas também entenderam o que é o Cruzeiro fora. Para nós é fundamental. Quando falamos em construir um elenco vencedor, vamos identificando atletas que entendem o projeto — exaltou Pedro Martins.

— Não basta render só em campo. Queremos jogadores que, de fato, vistam a camisa, e vestir a camisa é entender os valores do Cruzeiro. O que essa instituição representa, e isso tem um peso gigantesco. Renovações como a do Marlon são importantes porque demarcam um caminho para quem quer permanecer no clube. São jogadores que agora têm uma responsabilidade crescente de estabelecer regras no grupo, de estabelecer que tipo de jogador pode ficar no Cruzeiro. A responsabilidade aumenta cada vez mais quando renovam seus contratos — concluiu o diretor de futebol da Raposa.

Foto de Maic Costa

Maic Costa

Maic Costa nasceu em Ipatinga, mas se radicou na Região dos Inconfidentes mineiros. Formado em Jornalismo na UFOP, em 2019, passou por Estado de Minas, Superesportes, Esporte News Mundo, Food Service News e Mais Minas. Atualmente, é setorista do Cruzeiro na Trivela.
Botão Voltar ao topo