Brasil

Apresentado no Cruzeiro, Jonathan Jesus explica porque foi comparado a Dedé por Mattos

Ainda muito jovem, zagueiro esteve tímido em seu primeiro contato com a imprensa, mas demonstrou felicidade pelo momento

O Cruzeiro apresentou, na tarde desta sexta-feira (28), o jovem zagueiro Jonathan Jesus, de 20 anos, contratado junto ao Ceará, por R$ 8 milhões, para reforçar a defesa celeste.

O defensor recebeu a camisa 34 das mãos do diretor de futebol Paulo Pelaipe e, apesar da timidez, era só sorrisos, demonstrando felicidade em fazer parte do ambicioso projeto da Raposa.

A Trivela falou sobre as características do jogador, que reúne grande potencial e é visto como ótima aposta para o futuro.

Antes do início da apresentação, o CEO do futebol do Cruzeiro, Alexandre Mattos, se pronunciou incentivando o torcedor celeste a fazer o novo Sócio 5 Estrelas, programa de sócio-torcedor da Raposa, lançado nessa quinta (27), após reformulação.

Segundo Mattos, a adesão em massa — ele definiu objetivo de que o clube celeste chegue a 100 mil sócios, superando a marca atual de 55.536 associados — irá permitir que o Cruzeiro contrate grandes jogadores e mantenha bons valores no elenco.

Inspiração em Marquinhos e semelhanças com Dedé

Quando a entrevista começou, Jonathan Jesus se mostrou tímido e deu respostas curtas, mas empolgadas sobre sua jornada no clube celeste.

O defensor foi perguntado sobre suas inspirações no futebol e o zagueiro Marquinhos, do PSG e Seleção Brasileira, foi apontado como referência.

Minha referência sempre foi o Marquinhos. Desde quando comecei a jogar, sempre vi o Marquinhos jogando, então a minha referência sempre foi ele — afirmou Jesus.

Apesar de se inspirar no craque do futebol europeu, Jonathan contou que, segundo o diretor de futebol Alexandre Mattos, suas características se assemelham com a do zagueiro Dedé, um velho conhecido da torcida cruzeirense.

— Eu sou muito bom em arraste, como o amigo aqui (Alexandre Mattos) falou, e também me comparou com o Dedé. Para mim, é um negócio maravilhoso me comparar com um zagueiro como o Dedé — disse, aos risos, o jovem defensor.

Mattos, inclusive, tratou de afirmar que a timidez de Jonathan fica no extracampo. Que quando a bola rola, ele se torna um zagueiro bem duro e de personalidade, “mau”, nas palavras do dirigente.

Falando sobre Dedé, se trata de um zagueiro bicampeão Brasileiro e da Copa do Brasil pelo Cruzeiro. Na Raposa, o defensor se destacou imensamente, chegando a ser convocado para a Seleção Brasileira.

Apesar disso, sofreu com graves lesões em seu período no clube, perdendo temporadas inteiras sem jogar, e teve sua história manchada por fazer parte do elenco rebaixado de forma inédita em 2019.

Um vídeo do zagueiro “sarrando” em sua festa de aniversário enquanto se recuperava de lesão, durante a luta celeste contra a queda, irritou os cruzeirenses.

Além disso, após deixar o Cruzeiro, Dedé processou o clube por dívidas, alegando trabalho escravo por ter trabalhado sem receber em parte do seu período na Raposa.

Passado um tempo, o zagueiro deu sinais de buscar uma reaproximação com a torcida celeste, algo fortemente rechaçado pelos cruzeirenses.

Apesar das polêmicas, dentro de campo Dedé foi um dos melhores zagueiros que vestiu a camisa azul celeste.

Dedé deu festa de aniversário com as cores do Cruzeiro em 2023
Dedé deu festa de aniversário com as cores do Cruzeiro em 2023 – Foto: Reprodução/Instagram

Jonathan Jesus revela ansiedade para estreia no Cruzeiro

E a impressão que passou é que realmente o negócio de Jonathan Jesus é a bola nos pés. Perguntado sobre a ansiedade para estrear pelo Cruzeiro, o zagueiro foi sincero.

— O frio na barriga está gigante, não vejo a hora de estrear logo, mas é tudo no tempo de Deus, ele sabe a hora de tudo — revelou.

Zagueiro elogia companheiros e Pedrinho BH

Jonathan agradeço a ótima recepção que teve e clube e também exaltou os companheiros de Cruzeiro Pedro Lourenço, o Pedrinho BH, dono da SAF do Cruzeiro.

— Tem sido maravilhoso acompanhar eles de pertinho, tem sido muito gratificante. Não só meus colegas, mas o Pedrinho também, é muito gente boa, extraordinário — elogiou.

O novo camisa 34 da Raposa também se mostrou impressionado com a torcida cruzeirense.

— A primeira vez que eu fui (ao Mineirão) contra o Fluminense, que foi 2 a 0, foi uma sensação única. Cheguei a ficar arrepiado de ver uma torcida extraordinária que é a do Cruzeiro. Para mim foi muito gratificante estar ali — apontou o zagueiro.

Foto de Maic Costa

Maic CostaSetorista

Maic Costa é mineiro, formado em Jornalismo na UFOP, em 2019. Passou por Estado de Minas, Superesportes, Esporte News Mundo, Food Service News e Mais Minas, antes de se tornar setorista do Cruzeiro na Trivela.
Botão Voltar ao topo