Brasileirão Série A

Cruzeiro supera ‘fantasma Fábio’ e afunda Fluminense na lanterna do Brasileirão

Lateral-direito William faz dois gols, um deles de placa, e comanda grande vitória celeste no jogo 500 do 'Novo Mineirão'

O Cruzeiro venceu o Fluminense, mas não só ele na noite desta quarta-feira (19), no Mineirão. Com dois gols de William, um deles uma pintura, o time celeste também superou o “fantasma Fábio”. A Raposa só havia perdido para o goleiro desde que ele deixou a Toca da Raposa 2. A partida foi válida pela décima rodada do Campeonato Brasileiro.

Apesar do 2 a 0 no placar, foi um jogo difícil. O Fluminense não deu vida fácil ao Cruzeiro, que marcou seu primeiro gol, de pênalti, no primeiro tempo. O segundo saiu na reta final da partida.

Com a vitória, o Cruzeiro termina a noite na sexta colocação, com 17 pontos em nove jogos, um a menos que parte dos seus adversários no Brasileirão.

O Fluminense, por sua vez, se tornou o lanterna do campeonato, com apenas seis pontos em dez jogos. São sete partidas sem vencer na competição. O treinador Fernando Diniz balança no cargo.

Muito querido pela torcida do Cruzeiro, Fábio foi aplaudido antes do jogo começar
Muito querido pela torcida do Cruzeiro, Fábio foi aplaudido antes do jogo começar – Foto: Icon Sport

William decide o jogo para o Cruzeiro

O gol do Cruzeiro saiu “chorado”. Até mesmo de pênalti foi difícil superar Fábio. O árbitro Matheus Candançan precisou da ajuda do VAR para marcar pênalti de Thiago Santos. Após chute de Marlon, a bola bateu no braço do zagueiro dentro da área.

Craque do time, Matheus Pereira deu a impressão de que iria bater, mas na hora da cobrança, foi o lateral-direito William quem assumiu a responsa.

O camisa 12, que tem treinado o fundamento, partiu com confiança e bateu no canto esquerdo de Fábio. O camisa 1, exímio pegador, até chegou na bola, mas ela foi morrer caprichosamente dentro do gol.

E foi de William o segundo gol do Cruzeiro. Gol não, golaço, pintura. O Cruzeiro puxou contra-ataque quando o Fluminense se atirava para o ataque.

O jogador dominou a bola antes do meio de campo, avançou, deu uma caneta no defensor tricolor, invadiu a área e mandou um lindo chute no ângulo de Fábio. Um gol de placa do lateral artilheiro do Cruzeiro.

Adeus traumático de Fábio virou tabu

Um dos maiores ídolos da história do Cruzeiro, Fábio deixou o clube em 2022, assim que a Raposa virou SAF e Ronaldo Nazário tomou a frente do projeto. Mesmo a contragosto próprio e da torcida, o camisa 1 teve que buscar outra casa, o Fluminense.

No Flu, Fábio rapidamente se tornou ídolo, conquistou dois Campeonatos Cariocas e ajudou o Tricolor das Laranjeiras a conquistar sua primeira Copa Libertadores na história.

o Cruzeiro apostou em Rafael Cabral para o gol. Apesar de bons momentos e o acesso à Série A em 2022, o goleiro jamais caiu nas graças do torcedor e deixou o clube em abril deste ano, quando vinha sendo extremamente criticado pela torcida.

Além do incômodo de perder um ídolo, o cruzeirense passou a “provar do veneno” que muitos de seus adversários sofreram nos 17 anos de Fábio com a camisa estrelada.

Sempre que enfrentou o time celeste desde 2022, Fábio foi uma pedra no sapato do Cruzeiro.

O Fluminense de Fábio venceu os dois jogos contra a Raposa em 2022, pelas oitavas de final da Copa do Brasil, por 2 a 1 e 3 a 0.

Este foi, inclusive, o único gol sofrido pelo camisa 1 contra seu ex-clube. O zagueiro Lucas Oliveira marcou.

Em 2023, dois jogos pelo Brasileirão, duas vitórias do Tricolor, 2 a 0 e 1 a 0.

Chance de retorno?

Curiosamente, Pedro Lourenço, novo dono da SAF do Cruzeiro, tentou contratar Fábio para a continuidade da temporada 2024. O goleiro, por ter gratidão pelo Fluminense, recusou.

Os dois se encontraram neste quarta-feira:

Cruzeiro e Fluminense chegaram desfigurados

Muito desfalcado, o Cruzeiro entrou em campo modificado, com um trinca de volantes muito questionada pela torcida: Filipe Machado, que deve deixar o clube celeste, Ramiro, que tem feito partidas ruins, e Lucas Silva, há muito criticado.

Mesmo jogando em casa, Fernando Seabra preferiu utilizar uma formação sem um centroavante fixo, com Gabriel Veron, Robert e Matheus Pereira à frente.

A Raposa entrou em campo assim:

  • Anderson; William, Zé Ivaldo, João Marcelo e Marlon; Filipe Machado, Ramiro e Lucas Silva; Gabriel Veron, Robert e Matheus Pereira.

O Fluminense, por sua vez, chegou ao Mineirão sem nove jogadores, mas com Fábio, dúvida na véspera da partida, entre os titulares.

Fernando Diniz foi obrigado a improvisar alguns jogadores, como Marquinhos na lateral-direita e Thiago Santos na zaga.

O Tricolor foi escalado com:

  • Fábio; Marquinhos, Antônio Carlos, Thiago Santos e Diogo Barbosa; Martinelli, Lima e Renato Augusto; Douglas Costa, John Kennedy e Cano.

Fábio é homenageado pelo Mineirão

O goleiro Fábio, ídolo de Cruzeiro e Fluminense, foi homenageado pelo Mineirão antes da partida desta quarta-feira. Ele recebeu as “Chaves do Vestiário” do estádio.

O Gigante da Pampulha celebrou seu jogo de número 500 desde a reforma para a Copa do Mundo de 2014.

O camisa 1 é o jogador com mais partidas da história do Mineirão, com 406 jogos completados nesta noite, além de ser o atleta com mais confrontos no estádio após a reforma para a Copa de 2014.

Fábio agradeceu aos torcedores do Cruzeiro após a homenagem.

— Eu agradeço. São 500 jogos de muita história, de grandes jogadores que passaram aqui. Tenho que agradecer a Deus por fazer parte desta história do Mineirão, tanto do antigo quanto do novo, onde tive muitas alegrias, comemorei títulos. E só agradecer a Deus e todos que fizeram parte e me deram a oportunidade de entrar em campo. Tenho que agradecer a torcida do Cruzeiro, o carinho e a gratidão. É uma satisfação imensa poder receber essa homenagem — celebrou Fábio.

 

Foto de Maic Costa

Maic Costa

Maic Costa é mineiro, formado em Jornalismo na UFOP, em 2019. Passou por Estado de Minas, Superesportes, Esporte News Mundo, Food Service News e Mais Minas, antes de se tornar setorista do Cruzeiro na Trivela.
Botão Voltar ao topo