Brasil

Perto da estreia na Copinha, crias do Palmeiras promovidos em 2023 sofrem para conquistar Abel

Tendência é que vida dos atletas também não seja muito facilitada em 2024, para conquista de espaço

A oito dias da estreia na Copinha, o Palmeiras desponta como maior favorito ao título, que seria seu tricampeonato consecutivo – o Verdão estreia no próximo dia 4, às 17h30. O adversário, na Arena Barueri, será o Queimadense, da Paraíba.

É verdade que, nos últimos quatro anos, mais do que em qualquer outro período da história moderna do clube, o Palmeiras lançou muitos jogadores formados nas suas categorias de base no seu time profissional, com grande sucesso.

Nessa lista, Danilo e Endrick foram os maiores destaques. Mas jogadores como Gabriel Menino, Gabriel Veron e Patrick de Paula também brilharam. Contudo, a leva de promovidos em 2023 não conquistou muito espaço com Abel Ferreira, e vem conquistando português pouco a pouco.

Ian, Pedro Lima, Luis Guilherme, Kevin e Kauan Santos foram os jogadores que estrearam com Abel Ferreira em 2023. Destes, Pedro não está mais no clube, tendo sido emprestado ao Norwich, da Inglaterra.

27 jogos

Luis Guilherme foi o que mais se destacou. Ao todo, Luis fez 28 jogos pelo profissional do Palmeiras na temporada, sendo titular em quatro compromissos, todos no Brasileirão: Coritiba (3 a 1), Athletico (2 a 2), Fluminense (1 a 2) e Bragantino (1 a 2).

O grande jogo dele no ano, no entanto, foi na Libertadores e vindo do banco. Luis Guilherme entrou muito bem no empate em 1 a 1 com o Boca Juniors que culminaria na eliminação do Verdão nos pênaltis, na semifinal da competição.

Meia de origem, Luis tem sido escalado pela ponta direita com Abel, e, embora um pouco tímido, fez apresentações sempre, no mínimo, razoáveis.

O ponta solicitado

Quando Dudu se lesionou, Abel tentou, por dez rodadas, em vão, escalar Mayke como ponta-direita e Artur como ponta-esquerda.

Como hoje já se sabe, a experiência fracassou, e Abel, na prática, perdeu seus dois pontas. O jogador que muitos acreditavam que seria uma melhor opção à improvisação de Artur era Kevin.

Único do elenco com as mesmas características de Dudu, o jogador não ganhou a benção do comandante. Assim como Luis Felipe, ele só entrou no segundo tempo diante do Boca, fazendo ótima partida – insuficiente porém.

Em 12 jogos no ano – três como titular – o jogador não balançou a rede.

Ian e Kauan não tem bons prognósticos

Os outros dois estreantes, ao menos na teoria, não tem bons prognósticos de aproveitamento para 2024.

Ian é um lateral-esquerdo tratado como muito promissor no Palmeiras, mas 2023 não deve ser seu ano de ascensão no profissional.

Além de Piquerez como titular, o jogador terá a concorrência de Vanderlan e, muito possivelmente, de Caio Paulista, de mudança do CT da Barra Funda, do São Paulo, para a Academia de Futebol.

Em 2023, Ian fez dois jogos pelo Verdão. Contra o Bolívar em La Paz, na estreia do time na Libertadores, ele entrou no segundo tempo. Pelo Brasileiro, também entrou no decorrer da etapa final, na derrota por 2 a 1.

Kauan Santos, atacante de área que tem aparecido com sucesso jogando no meio-campo, no sub-20, jogou uma vez pelo Palmeiras de Abel: em outubro, entrou aos 44 minutos do 2º tempo, na derrota por 2 a 1 para o Bragantino, em Bragança. Ficou oito minutos em campo.

Base mais vencedora do Brasil

Em 2023, o Palmeiras conquistou 31 títulos em suas categorias de base, superando a marca da última temporada, quando foi campeão 24 vezes.

As categorias que mais levantaram troféus em 2023 foram o Sub-17 e a Sub-20, com cinco títulos cada uma. O Sub-17 ergueu o Campeonato Brasileiro, Copa do Brasil, FAM Cup, Festival TSFC e Torneo Internacional de Fuerzas Básicas-MEX.

Já o Sub-20 conquistou o Campeonato Paulista, Copa São Paulo, CEE Cup, na Tchéquia, e ICGT Tournament e Terborg Toernooi-HOL, na Holanda.

Foto de Diego Iwata Lima

Diego Iwata Lima

Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero, cursou também psicologia, além de extensões em cinema, economia e marketing. Iniciou sua carreira na Gazeta Mercantil, em 2000, depois passou a comandar parte do departamento de comunicação da Warner Bros, no Brasil, em 2003. Passou por Diário de S. Paulo, Folha de S. Paulo, ESPN, UOL e agências de comunicação. Cobriu as Copas de 2010, 2014 e 2018, além do Super Bowl 50. Está na Trivela desde 2023
Botão Voltar ao topo