Copa do Brasil
Tendência

Resumão da Copa do Brasil: a enorme virada do Athletico, os golaços de Cruzeiro x Grêmio e o brilho de Paulinho

Nas outras partidas do dia, Palmeiras e São Paulo venceram bem, os goleiros brilharam na Vila Belmiro e o Coelho derrotou o Internacional

O Athletico Paranaense chegou ao intervalo deixando escapar a sua invencibilidade como mandante na temporada, mas conseguiu buscar a virada contra o ótimo Botafogo e saiu do primeiro jogo das oitavas de final da Copa do Brasil com um grande resultado. Depois do Fla-Flu da última terça-feira, sete duelos foram disputados nesta quarta, com destaque para golaços no empate entre Grêmio e Cruzeiro e a atuação excelente de Paulinho contra o Corinthians. Palmeiras e São Paulo deram um passo importante rumo à classificação, os goleiros brilharam no 0 a 0 entre Santos e Bahia, e o Internacional teve uma noite desastrosa contra o América Mineiro no Independência.

Athletico Paranaense 3 x 2 Botafogo

O Botafogo está em grande fase. Lidera o Campeonato Brasileiro com cinco vitórias em seis rodadas, perdeu apenas uma vez desde o começo de março – para o Goiás, no último fim de semana – e, durante o primeiro tempo, parecia que conseguiria um resultado enorme. O Athletico Paranaense estava (e, spoiler, continua) invicto como mandante em 2023, mas chegou ao intervalo perdendo por 2 a 0: Tiquinho Soares dominou dentro da área e mandou uma chapa no canto, antes de fazer a jogada para Luis Henrique mandar às redes, com um desvio providencial. Mas a pressão do Furacão no segundo tempo foi insana. Vitor Roque descontou, após cobrança de escanteio, e depois acionou o xará Vitor Bueno, que soltou uma bomba de fora da área. O empate já era incrível para o Athletico, e a virada foi mais ainda: o interminável Fernandinho desviou uma cobrança de falta com a cabeça na primeira trave e deu a vantagem para o Furacão.

Atlético Mineiro 2 x 0 Corinthians

O Atlético Mineiro teve domínio da posse de bola no primeiro tempo (76%), mas encontrou dificuldades para furar a defesa do Corinthians. Cássio fez uma boa defesa contra Battaglia, de longe, e o Galo ameaçou outras vezes de média distância. Os paulistas finalizaram apenas uma vez antes do intervalo, aos 40 minutos, em cobrança de falta, e tiveram sua melhor chance pouco depois do intervalo, com Fausto Vera pegando de primeira da entrada da área. Mandou para fora. No fim das contas, não conseguir atacar de jeito nenhum custou caro ao Corinthians. O Galo, muito confortável na partida, seguiu em cima e uma hora a bola entrou. Pavón cruzou rasteiro da direita, ninguém cortou, e Paulinho completou na segunda trave. Paulinho exigiu uma defesa maravilhosa de Cássio, com uma testada à queima-roupa, antes de ampliar com um desvio na boca do gol.

Grêmio 1 x 1 Cruzeiro

Cada time marcou um golaço. Começando pelo Cruzeiro. Bruno Rodrigues, logo aos oito minutos, dominou na entrada da área, ajeitou para a perna direita e soltou um chute colocado no ângulo. A primeira etapa foi bem movimentada, com 19 finalizações, a maioria dos visitantes. Suárez quase anotou outra pintura, com uma finalização acrobática no travessão. Depois, pegou de primeira pela direita da área e mandou para fora. Os dois times perdiam chances. No segundo tempo, Suárez dominou na entrada da área e soltou um chute de Trivela no ângulo para empatar e deixar tudo indefinido para o jogo de volta em Minas Gerais.

Palmeiras 3 x 0 Fortaleza

O Palmeiras se impôs desde o começo, embora o pênalti marcado em cima de Rony, aos sete minutos, tenha gerado muita reclamação do Fortaleza. Raphael Veiga converteu sem problemas e, na sempre forte bola parada, Bruno Tabata mandou para dentro, depois de várias tentativas de Gustavo Gómez. Os donos da casa tiraram um pouco o pé no fim do primeiro tempo, passando ao modo administração. Depois do intervalo, Veiga acertou a trave, e Richard Ríos ampliou para 3 a 0, com muita tranquilidade para limpar a marcação antes de finalizar. O Fortaleza terá um trabalhão no jogo de volta para tentar voltar ao duelo.

Sport 0 x 2 São Paulo

O Sport estava invicto na Ilha do Retiro há um ano e três meses. A última derrota em seu estádio havia sido para o Botafogo-PB, pela Copa do Nordeste, em fevereiro do ano passado – houve outra derrota como mandante no período, mas na Arena Pernambuco. E durante muito tempo, parecia que pelo menos conseguiria o empate. Mas Fabinho foi expulso aos 16 minutos da etapa final, e brilhou a estrela de Dorival Júnior. Marcos Paulo entrou pouco depois e deu assistência para Luciano, outro substituto, abrir o placar. O próprio Marcos Paulo ampliou para 2 a 0, aos 44 minutos, depois de um cruzamento de Calleri, e deixou o clube tricolor mais tranquilo para a volta.

América Mineiro 2 x 0 Internacional

O Colorado levou perigo duas vezes no começo do primeiro tempo. Mateus Pasinato defendeu a cabeçada de Alan Patrick e depois frustrou Wanderson. E aí, o Internacional não bateria mais para o gol até o intervalo. Rodando titulares, o América Mineiro também não conseguiu ameaçar muito, mas quase marcou com Breno, aos 36. No segundo tempo, o Coelho levou perigo nos primeiros minutos e achou que sairia atrás, quando Maurício colocou a bola nas redes. Mas quem se deu mal no lance foi o Internacional porque o gol foi anulado, por uma falta de Alan Patrick, e o meia ainda levou o segundo cartão amarelo. Com um a mais, o América buscou a vitória, com um pênalti convertido por Aloisio, após falta de De Pena em Lucas Kal. Em um jogo interminável que passou dos 15 minutos de acréscimo, outra penalidade foi marcada para os donos da casa, de Bustos em Aloisio. O Boi Bandido cobrou novamente e ampliou.

Santos 0 x 0 Bahia

Os goleiros prevaleceram na Vila Belmiro. João Paulo fez ótimas defesas no primeiro tempo, principalmente em uma batida forte de Vitor Hugo, de dentro da área, e em uma bomba de Cauly de média distância. Depois do intervalo, foi Marcos Felipe quem brilhou, defendendo com a ponta dos dedos a cabeçada de Bruno Mezenga. Um resultado bem melhor para o Bahia do que o da semana passada, quando o Peixe fez 3 a 0 pelo Campeonato Brasileiro na Vila, e agora os baianos precisam apenas vencer em seus domínios para avançar.

Foto de Bruno Bonsanti

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.
Botão Voltar ao topo