Brasil

Começo de Artur Jorge no Botafogo chama a atenção por ótima estatística defensiva

Conhecido por futebol ofensivo, Artur Jorge melhorou sistema defensivo do Botafogo, que praticamente não cede finalizações certas aos adversários

Há menos de um mês no Botafogo, o técnico Artur Jorge chegou no clube com fama de fazer um futebol ofensivo. E, de fato, isso foi percebido nos primeiros jogos do português no comando do time. No entanto, outro setor do Botafogo tem se destacado neste começo da passagem de Artur Jorge pelo clube: a defesa. Na última quinta-feira, no triunfo sobre o Vitória, pela Copa do Brasil, o clube completou dois jogos seguidos sem sofrer gols. Foram apenas seis gols sofridos nos sete jogos com o novo treinador.

Mas outra estatística defensiva chama ainda mais atenção no time de Artur Jorge. Nestes últimos dois jogos, nas vitórias sobre o Flamengo, pelo Campeonato Brasileiro, e sobre o Vitória, pela Copa do Brasil, o Botafogo cedeu apenas uma finalização na direção do gol. Ou seja, nas duas partidas, o goleiro John praticamente não teve trabalho embaixo das traves.

E essa dificuldade que o Botafogo tem imposto aos ataques adversários na hora de finalizar não aconteceu apenas nos dois últimos jogos. Nas últimas duas partidas, os adversários só finalizaram, no total, três vezes na direção do gol do Botafogo. Desde a chegada de Artur Jorge, o Glorioso cede, em média, apenas 2,2 finalizações certas por jogo aos adversários. No total, o Glorioso cedeu 90 finalizações, entre certas e erradas, nas sete partidas sob o comando de Artur Jorge. Ou seja, o Botafogo de Artur Jorge precisa levar incríveis 15 finalizações para sofrer um gol. Os dados são do Footstats.

E a evolução defensiva do Botafogo é clara. Artur Jorge perdeu os dois primeiros jogos no comando do Botafogo, para a LDU, pela Copa Libertadores, e para o Cruzeiro, na estreia pelo Campeonato Brasileiro. Nestas partidas, o Glorioso cedeu, respectivamente, quatro e seis finalizações na direção do gol. Depois, quando iniciou a atual sequência de cinco vitórias, este número não passou de três por jogo.

Essa boa postura defensiva do Botafogo aconteceu, inclusive, mesmo quando Artur Jorge mexeu no time titular. Na partida contra o Vitória, por exemplo, foram sete mudanças entre os onze iniciais em relação ao jogo contra o Flamengo, no último domingo. Três dessas mexidas foram na linha de defesa — apenas o zagueiro Lucas Halter foi mantido de um jogo para o outro.

Artur Jorge atribui melhora ao coletivo

Para o técnico Artur Jorge, esta melhora do sistema defensivo do Botafogo, que já foi um problema para o clube no começo da temporada, se deve ao jogo coletivo do time. Desde a chegada do português, a equipe passou a atuar com uma marcação alta, pressionando a saída de bola adversária. Para exemplificar esta melhora, o português usou até o gol marcado sobre o Vitória. No lance, a bola passou por todos os jogadores de linha do time antes de Eduardo finalizar.

– É um princípio básico que nós temos que ter e perceber que é ter um melhor desempenho defensivo. Que não dependerá exclusivamente da linha de zagueiros, mas de todo conjunto. Começamos a defender em zonas altas e dentro do campo de ataque. É uma missão coletiva. Nós fizemos o gol (contra o Vitória) começando de trás. Essa vontade de saber defender bem e ter gosto em defender, tem sido por nós explorada porque é um aspecto fundamental. É um jogo que a equipe tem que estar compacta – afirmou Artur Jorge.

Ainda depois do triunfo do Botafogo sobre o Vitória, ao falar sobre o estilo de jogo do seu time, Artur Jorge reforçou a ideia de que a marcação alta dificulta a finalização das jogadas do time adversário.

— É característica da equipe pressionar muito alto, procurar recuperar bolas em zonas altas, estar posicionado em zonas mais altas para recuperar, condicionar ou obrigar o adversário a definir mal. As faltas às vezes nos levam a quebrar um bocado, acima de tudo, o tempo útil de jogo — disse o técnico do Botafogo.

Finalizações cedidas pelo Botafogo

Confira quantas finalizações o Botafogo cedeu sob o comando de Artur Jorge e quantas foram na direção do gol.

  • Botafogo 1×0 Vitória: 1 (certa)/14 (total)
  • Flamengo 0x2 Botafogo: 0/14
  • Botafogo 3×1 Universitário-PER: 1/9
  • Botafogo 5×1 Juventude: 1/12
  • Botafogo 1×0 Atlético-GO: 3/11
  • Cruzeiro 3×2 Botafogo: 6/16
  • LDU 1×0 Botafogo: 4/14
Foto de Gabriel Rodrigues

Gabriel Rodrigues

Gabriel Rodrigues é jornalista formado pela UFF e soma passagens como repórter e editor de Lance!, Esporte News Mundo e Jogada10.
Botão Voltar ao topo