Brasil

Saída de CEO e demissão por Champions League: as mudanças na diretoria do Cruzeiro

Clube celeste vive período de mudanças após Pedro Lourenço comprar a SAF de Ronaldo Fenômeno

O Cruzeiro vive momento de intensas mudanças, com entradas e saídas, tanto de jogadores, quanto de profissionais da diretoria. A chegada de Pedro Lourenço, o Pedrinho BH, ao controle da SAF celeste mudou processos dentro do clube e isso resultou em alterações de pessoal.

Entre os motivos das trocas estão a confiança dos líderes da nova gestão, formas diferentes de se enxergar o futebol e, num caso mais recente, algo inusitado: a Champions League.

O então diretor de marketing do Cruzeiro, Marco Farah, foi demitido nesta quarta-feira (12) por supostamente ter “usado dinheiro do clube” para assistir a final da UEFA Champions League, disputada no último dia 1º e vencida pelo Real Madrid, que bateu o Borussia Dortmund por 2 a 0.

Foi o próprio Pedrinho BH, em entrevista à Band, quem fez as afirmações.

— Eu deixei de ir na final da Champions League por causa dos compromissos. Fui procurar o diretor de marketing no Cruzeiro, o cara estava dentro do avião, em São Paulo, para ir para a Champions League. Para o Cruzeiro pagar — declarou o empresário.

Pedrinho declarou, ainda, que a decisão da demissão foi totalmente sua.

Eu disse: ‘se for (à final), está demitido’. Pronto. É assim que funciona. Eles não têm muita responsabilidade com isso não e vou tentar equalizar isso — completou.

Marco Farah nega declarações de Pedrinho BH

Procurado pela Itatiaia, Marco Farah, que chegou ao Cruzeiro em 2023, para substituir Lênin Franco, afirmou que sequer viajou e, consequentemente, negou que tenha utilizado dinheiro do Cruzeiro em benefício próprio.

Não tem nenhuma verdade nas afirmações. A Adidas me fez um convite, quando eu ainda era diretor do Cruzeiro, para conhecer a sede da empresa, na Alemanha, e para ir assistir ao jogo da Champions. Tudo seria pago com o meu dinheiro, passagens, hospedagem em Londres — contrapôs, afirmando, inclusive, que foi demitido do clube antes mesmo da final acontecer.

— Inicialmente eu aceitei o convite, paguei tudo do meu bolso, mas como deixei o Cruzeiro, não fazia mais sentido eu viajar para representar o clube. Portanto, sequer viajei. Por isso, até perdi dinheiro das reservas que havia feito, tudo com o meu dinheiro — argumentou Farah.

Sem Marco Farah, que chegou à Toca da Raposa 2 na gestão de Ronaldo Nazário, é Renato Kobbi, responsável pelo departamento comercial do Cruzeiro, quem assumiu, de forma interina, o marketing do clube celeste.

Gabriel Lima também deixará o Cruzeiro

Outra notícia que mexeu com os bastidores do Cruzeiro foi a iminente saída de Gabriel Lima, CEO do clube desde que ele se tornou SAF. A informação foi trazida, inicialmente, pelo jornalista Jorge Nicola.

Um dos pilares da gestão de Ronaldo, Lima havia sido um dos remanescentes após a chegada de Pedrinho BH, que demonstrou muita confiança e satisfação com o trabalho do dirigente, mas a relação durou pouco, menos de dois meses.

Inicialmente, Gabriel Lima seguiria no Cruzeiro mesmo com a saída de Ronaldo, tendo o respaldo de Pedrinho BH
Inicialmente, Gabriel Lima seguiria no Cruzeiro mesmo com a saída de Ronaldo, tendo o respaldo de Pedrinho BH – Foto: Gustavo Aleixo/Cruzeiro

Diferentemente de Marco Farah, Gabriel Lima não deixará o Cruzeiro de forma imediata. Ele finalizará a transição de gestões antes de entregar o cargo, que ainda não tem um substituto.

A decisão da saída de Lima se deu por motivos pessoais. Nesta quarta-feira (12), também em entrevista à Band, Pedro Lourenço se mostrou impressionado com o salário do diretor, que revelou na declaração.

— Eu trabalho na minha empresa e tenho a retirada de R$ 200 mil. Jogador quer ganhar R$ 2 milhões, eu estou meio embaralhado com esse negócio e para acostumar não é fácil não. Por exemplo, o CEO do Ronaldo aqui no Cruzeiro ganha R$ 150 mil. Eu tenho a retirada na empresa e o cara ganha mais do que eu — apontou o dono da SAF do Cruzeiro.

Diretor da “Era Associação” retorna ao clube

Outra mudança anunciada pelo Cruzeiro foi o retorno de Robson Pires ao clube como novo Diretor Institucional do clube.

Homem de confiança de Pedro Lourenço, Robson trabalhou no Cruzeiro entre 2013 e 2019, quando deixou o cargo.

Depois de sair da Raposa, o dirigente de 56 anos passou a trabalhar nos Supermercados BH, rede de Pedrinho. Em 2022, passou a trabalhar no Ipatinga, onde estava até então, como diretor comercial.

Robson Pires, inclusive, havia processado o Cruzeiro após sua saída, pedindo mais de R$ 1 milhão, alegando falta de pagamento de comissões de contratos firmados e dívidas trabalhistas.

Com o retorno ao clube, Robson desistiu dos processos.

Foto de Maic Costa

Maic CostaSetorista

Maic Costa é mineiro, formado em Jornalismo na UFOP, em 2019. Passou por Estado de Minas, Superesportes, Esporte News Mundo, Food Service News e Mais Minas, antes de se tornar setorista do Cruzeiro na Trivela.
Botão Voltar ao topo