Champions League

Melhor do mundo? Vini Jr. marca, Real Madrid castiga Borussia e é campeão da Champions

Time madridista se recupera após 1º tempo irreconhecível, faz 2 a 0 e alcança 15º título europeu

O Real Madrid é campeão da Champions League! O roteiro mais corriqueiro da história do futebol europeu se repetiu na temporada 2023/24. Neste sábado (1), no gramado do sagrado estádio de Wembley, o clube merengue suou, mas derrotou o Borussia Dortmund por 2 a 0, e conquistou seu 15º título do torneio de clubes mais importante do planeta.

No jogo que marcou a despedida de Toni Kroos dos gramados, o Real Madrid foi Real Madrid: confirmou o favoritismo, bateu um resiliente adversário e aumentou sua luxuosa coleção de troféus. Os protagonistas da final? O baixinho Carvajal e o imparável (e melhor do mundo) Vinicius Júnior.

Por outro lado, a frustração tomou conta dos aurinegros. O Borussia Dortmund, que retornou a Wembley com intuito de apagar a dor do vice-campeonato de 2013, sofreu mais um duro baque em solo inglês.

A Muralha Amarela fez sua parte nas arquibancadas: cantou incessantemente e apoio o time durante os 90 minutos. Mas não deu. A força dos donos da Champions falou mais alto, e Marco Reus se despediu do clube de sua vida com uma amarga derrota.

Escalações

A principal novidade na escalação do Real Madrid ficou por conta do retorno de Courtois ao gol da equipe. Como antecipado por Ancelotti em coletiva pré-jogo, Lunin, titular durante toda campanha madridista na Champions, sofreu com forte gripe nos últimos dias.

Recuperado, o arqueiro ucraniano ficou no banco de reservas. De resto, time padrão, com Vini Jr e Rodrygo no comando de ataque merengue.

Escalação do Real Madrid: Courtois; Carvajal, Rüdiger, Nacho e Mendy; Camavinga, Valverde e Kroos; Bellingham, Vinicius Júnior e Rodrygo.

Já Edin Terzić escalou o Borussia Dortmund sem surpresas, no 4-2-3-1. O jovem técnico alemão repetiu a formação das semifinais contra o PSG, com Julian Brandt sendo a peça móvel entre meio e ataque, e muita força nas pontas, explorando as velocidades de Sancho e Adeyemi.

Escalação do Borussia Dortmund: Kobel; Ryerson, Hummels, Schlotterbeck e Maatsen; Emre Can, Sabitzer; Adeyemi, Julian Brandt e Sancho; Füllkrug.

Descidas em velocidade, bola na trave e Courtois acionado: Dortmund é melhor no 1º tempo

Com 30 segundos de bola rolando, a partida foi interrompida. O motivo? Invasão de campo. Se aproveitando de grande falha da segurança do estádio, alguns espectadores entraram no gramado e tietaram jogadores. Apesar do contratempo, a situação logo foi controlada.

Azarão da final, o Borussia Dortmund surpreendeu nos primeiros minutos de jogo. Com postura agressiva, a estratégia dos aurinegros era muito clara: marcar forte e imprimir velocidade pelos lados do campo. A equipe merengue, por sua vez, iniciou a decisão de maneira mais cautelosa, mas não demorou muito a igualar as ações.

A primeira boa chance da decisão foi dos alemães. Schlotterbeck descolou lindo lançamento na direção de Füllkrug, que dominou e ajeitou na entrada da área para chegada de Brandt. Atrapalhado por Camavinga, o camisa 19 finalizou à esquerda do gol defendido por Courtois.

Melhor no jogo, o Dortmund por pouco não abriu o placar com Adeyemi. Acionado por Hummels, o jovem atacante rasgou a defesa madridista e saiu cara a cara com Courtois, mas adiantou demais a bola e ficou sem ângulo. No momento da definição, acabou travado pela marcação.

A pressão aurinegra continuou. No lance seguinte, Füllkrug recebeu na entrada da área e finalizou rasteiro. Para alívio dos merengues, a bola beijou caprichosamente a trave. Antes do final do 1º tempo, o Dortmund teve mais duas boas oportunidades, mas Adeyemi e Sabitzer pararam no goleiro belga.

Com mais sorte do que juízo, Real Madrid sobrevive

O Real Madrid controlou a posse de bola e tentou ditar o ritmo do jogo no 1º tempo. Só tentou. A equipe de Ancelotti pecou no terço final de campo e sequer assustou Kobel. Bem posicionada e atenta aos movimentos, a defesa do Borussia soube frear o ímpeto dos merengues e praticamente não sofreu nos 45′ iniciais.

Defensivamente, o Real Madrid teve atuação preocupante na etapa inicial. Desorganizado e desatento, o time espanhol foi presa fácil para o ataque aurinegro. A verdade é que a sorte esteve do lado merengue. E se não fosse por Courtois e pela trave, o placar parcial do intervalo certamente seria outro.

Carvajal e Vinicius Júnior decidem, e Madrid conquista a 15ª

Bem diferente do 1º tempo, a etapa complementar foi de mais equilíbrio. O Real Madrid voltou melhor do intervalo e enfim colocou Kobel para trabalhar. Em cobrança de falta venenosa de Kroos, o arqueiro suíço voou no ângulo e espalmou.

Mesmo diante da evolução madridista, o Borussia não desacelerou no ataque. Pelo contrário. Manteve a postura arrojada e seguiu infernizando a defesa adversária. Melhor em campo pelo lado madridista, Courtois salvou seu time ao defender um míssil de cabeça de Füllkrug.

Assim como na etapa inicial, o Real Madrid controlou a posse de bola. Entretanto, faltava objetividade e capricho. Vini Jr era o único do ataque merengue que tentava algo. Rodrygo e Bellingham, encaixotados na marcação, não faziam bom jogo. O jeito foi apelar para bola aérea…

Aos 28 minutos, Kroos cobrou escanteio na cabeça de Carvajal, que testou consciente e venceu Kobel. Vendido no lance, Hummels até chegou a tocar a mão na bola para tentar impedir o tento. Sem sucesso.

A partir daí, só deu Real Madrid. O Dortmund claramente acusou o golpe, afrouxou a marcação e permitiu diversas investidas merengues. Em uma delas, Vini Jr não perdoou. Bellingham aproveitou erro na saída de bola aurinegra e serviu Vini na esquerda. O brasileiro invadiu a área e tocou na saída de Kobel, sacramentando a vitória e o título madridista.

Estatísticas de Borussia Dortmund 0 x 2 Real Madrid – Champions League 2023/24

  • Posse de bola: 42{62c8655f4c639e3fda489f5d8fe68d7c075824c49f0ccb35bdb79e0b9bb418db} x 58{62c8655f4c639e3fda489f5d8fe68d7c075824c49f0ccb35bdb79e0b9bb418db}
  • Faltas: 12 x 8
  • Finalizações: 12 x 13
  • Finalizações no gol: 4 x 6

Lista dos maiores campeões da Champions League

  • Real Madrid – 15 títulos
  • Milan – 7 títulos
  • Bayern de Munique – 6 títulos
  • Liverpool – 6 títulos
  • Barcelona – 5 títulos
  • Ajax – 4 títulos
  • Internazionale – 3 títulos
  • Manchester United – 3 títulos
Foto de Guilherme Calvano

Guilherme Calvano

Jornalista pela UNESA, nascido e criado no Rio de Janeiro. Cobriu o Flamengo no Coluna do Fla e o Chelsea no Blues of Stamford. Na Trivela, é redator e escreve sobre futebol brasileiro e internacional.
Botão Voltar ao topo