Brasileirão Série A

Acima de gramado e arbitragem, Tite mandou a real para torcida do Flamengo sobre 2024

Tite foi sincero e sinalizou a dificuldade de vencer as três competições mais importantes de 2024, além de comentar sobre o gramado ruim e a arbitragem péssima contra o Atlético-GO

Tite tinha diversos fatores externos para comentar após a vitória do Flamengo sobre o Atlético Goianiense, por 2 a 1. Claro que o treinador abordou a oscilação do time dentro das quatro linhas, mesmo com um jogador a mais, porém a arbitragem e o péssimo gramado do Serra Dourada não escaparam. Por fim, o comandante ainda pediu calma com o trabalho e disse que espera uma evolução do time com o tempo.

O que Tite disse durante a coletiva?

  • Pediu tempo para que o time se consolide no Campeonato Brasileiro
  • Explicou a resenha com Jair Ventura após a expulsão do treinador do Atlético-GO
  • Detonou o gramado do Serra Dourada
  • Deu o papo reto na torcida sobre tentar ser campeão das três competições importantes de 2024

A arbitragem prejudicou o jogo, Tite?

Vi todos os lances agora. Foram corretas. Com exceção que eu não vi, que foi da ofensa, um jogo acidentado muito difícil de apitar. Porém, das decisões das quais eu vi pegando as imagens elas foram corretas, a favor e contra – afirmou o treinador, comentando ainda a expulsão de Jair Ventura no primeiro tempo, quando ele saiu em defesa do companheiro de profissão:

— Eu falei que o árbitro tem que ter um pouco mais de sensibilidade de administrar algumas situações. Porém, eu também tenho que falar a verdade, que o árbitro falou que ele foi ofendido e aí é justificado. O Jair (Ventura) pode falar mais a respeito. Se fosse só por um momento de reclamação eu poderia externar para ter um pouco mais de calma e conduzir, mas aí teve um oitro incidente.

Entre os fatores externos, Tite também comentou sobre a qualidade do gramado do Serra Dourada. Por muito tempo, o principal estádio de Goiás teve uma das melhores canchas do Brasil, mas, neste domingo, o campo estava coberto de areia e muito esburacado.

— O gramado dá para ser melhor para ter um espetáculo melhor. Não dá para ter um Serra Dourada… Faz tempo, mas eu joguei aqui. Serra Dourada era um prazer vir aqui. Agora a bola pipoca, e a qualidade do jogo ele te trava mais — cobrou.

Tite e Jair Ventura trocaram sorrisos antes da bola rolar no Serra Dourada (Foto: Heber Gomes/AGIF/Sipa USA)

Pedro quer o elenco do Flamengo em sintonia

Autor do gol da vitória do Flamengo, Pedro conversou com a imprensa após a partida e engrandeceu os três pontos conquistados no Serra Dourada. Entre o gramado ruim, a péssima arbitragem e a boa atuação do Atlético-GO, o centroavante valorizou a entrega da equipe.

— Só tenho que agradecer a Deus por cada gol, por cada momento bom aqui no Flamengo. Esse início tem sido um início muito bom, não só meu, mas de toda a equipe. E hoje a gente sabia que enfrentar uma equipe de muita qualidade vem de 15 jogos, eu acho, sem perder. Um campo difícil também, o campo tava bem complicado hoje. Mas graças a Deus a gente conseguiu a vitória, que era o mais importante. Jogando fora de casa, estresse do brasileiro, é um jogo difícil desse. E somamos três pontos, foi fundamental a vitória. E agora continuar nessa pegada que tem um jogo atrás do outro pra continuar nessa evolução — analisou, em entrevista à TV Globo.

Perguntado sobre a maratona do Flamengo, Pedro explicou que o Campeonato Brasileiro é uma prioridade para a equipe. O jogador entende que o elenco vai precisar ser rodado, é algo natural, e quem entrar vai apresentar bom futebol.

— O Flamengo exige isso, não é pelo elenco que ele tem e pela qualidade. De todos que joga aqui no Flamengo, exige que a gente entre em todas as competições pra vencer, sabendo da dificuldade de cada competição, mas continuar essa pegada, como falei, pra quem entrar dar conta do recado — finalizou.

O próximo desafio do Flamengo será novamente pelo Campeonato Brasileiro, nesta quarta-feira (17), quando Tite e companhia receberão o São Paulo, de James Rodríguez. A bola rola na reedição da final da Copa do Brasil do ano passado a partir das 21h30 (de Brasília), no Maracanã.

Veja outros pontos abordados na coletiva

Recuperação e desgaste

— A recuperação não tem aspecto descanso. Coração não engessa, né? Eu não posso pensar no quarto jogo, eu vou pensar no próximo. O jogo foi muito emocionante, e volto a dizer: os mesmos três pontos que disputamos aqui são os mesmos três pontos que vão dizer onde devemos estar no fim do campeonato. Briga por campeão, Libertadores… Era a primeira de 38 decisões, temos essa consciência.

Oscilação do time no jogo

— Quando nós chegamos no intervalo a gente sabe que a necessidade é de continuar produzindo e empurrando o adversário para trás e buscar o segundo gol. Inclusive coloquei que administrar jogo nós já tínhamos aprendido que não era dessa forma que nós agiríamos. E nós buscamos o segundo gol. Porém, tem alguns detalhes na bola: no único lance que nós erramos, em cruzamento que teve de conclusão, o Atlético-GO foi efetivo. Então tem que olhar sob esse contexto. A partir daí ela traz cenários diferentes desde o primeiro jogo que foi acidentado.

— A questão de tomada de decisão no último terço hoje tiveram duas questões bem claras no jogo: a primeira é a condição do gramado e a segunda a forma com que o Atlético-GO se defende muito bem com sua primeira linha de quatro e seus dois volantes centrais. Não tinha muito espaço de criação. (Cléber Xavier)

— Reitero o que o Cleber colocou, da qualidade da marcação do Atlético-GO. Na linha defensiva, marcação baixa, são extremamente agressivos e pressionantes. Teve um lance no primeiro tempo em que nós ficamos trocando passes e os caras bloqueavam. Tocou no Arrasca, bloqueava. Tocou no Pedro, bloqueava. A qualidade do trabalho do Jair nessa fase e essa pressão no homem da bola nos dificultou muito. (Tite)

E o Matheus Gonçalves?

— É uma opção entre o número de atletas que a gente trouxe. Como o Cleiton ficou de fora hoje, o Wesley que ainda não se recuperou… Grupo grande a gente vai trabalhando todos eles dentro da competição. Ele vem treinando muito bem. (Cléber Xavier)

Foto de Guilherme Xavier

Guilherme Xavier

É repórter na cobertura do Flamengo há três anos, com passagens por Lance! e Coluna do Fla. Fã de Charlie Brown Jr e enxadrista. Viver pra ser melhor também é um jeito de levar a vida!
Botão Voltar ao topo