Libertadores

Falta de pontaria e desgaste pautam Tite após vitória do Flamengo na Libertadores

O Flamengo venceu o Palestino por 2 a 0 nesta quarta-feira (10), no Maracanã, mas oscilou bastante antes de garantir o resultado

Tite sabia que a atuação do Flamengo diante do Palestino foi de oscilação entre tempos, mas preferiu não atribuir culpados. O treinador tocou bastante no assunto “desgaste físico” durante a coletiva, confirmando a intenção de que todos joguem e sejam importantes para o time ao longo da temporada. A versatilidade será fundamental para o Rubro-Negro.

O que Tite disse durante a coletiva?

  • Atribuiu o desgaste (e as substituições) à maratona do Flamengo
  • Reclamou do número de chances perdidas
  • Explicou a oscilação do time no segundo tempo
  • Elogiou (novamente) o sistema defensivo do Flamengo

O desgaste do elenco, sob o olhar de Tite

— O aspecto clínico tira atletas, fisiologia não tira atletas. Engloba parte tática e daqui a pouco vai ter um jogador que é necessário. Flamengo não paga preço de saúde de atleta para vencer jogo. É sentar pra ver o que a direção também tem. A diretoria colocou que a priroidade era vencer o Carioca. Bruno Spindel, Marcos Braz e Luiz colocaram isso. Agora é sentar e elencar esse norte.

O treinador ainda falou sobre a mudança pontual de colocar Léo Ortiz na vaga de Fabrício Bruno, que é o atleta que mais entrou em campo pelo Flamengo em 2024. Segundo Tite, é muito importante que o elenco esteja coeso e saiba aproveitar bem as oportunidades.

— É humanamente impossível trabalhar com competições de tamanha grandeza, e a equipe se repetindo quarta e domingo. Hoje entrou o Léo Ortiz, Fabrício estava com seis jogos seguidos, duas viagens. Nessa valorização do grupo, é importante que todos estejam preparados. Vamos precisar de todos. Sabíamos que tínhamos de vencer, num jogo em que fizemos um grande primeiro tempo, com grande volume — disse.

RIO DE JANEIRO, RJ – 10.04.2024: FLAMENGO X PALESTINO – Tite, Coach, during Flamengo x Palestino held at the Maracanã Stadium in the group stage of the Copa Libertadores, on Wednesday night (10), in Rio de Janeiro, RJ. (Photo: Celso Pupo/Fotoarena/Sipa USA) – Photo by Icon Sport

Quantidade de gols perdidos assusta

Ao ser perguntado sobre o número de chances desperdiçadas, Tite respondeu de maneira bem humorada. O treinador confirmou que o Flamengo precisa capitalizar suas oportunidades e, se não for feito, ele pode parar de trabalhar antes do tempo esperado.

— Penso em treinar até os 75, se não eles fizeram os gols vão me fazer parar com 63 (risos). Dá volume. Numa bola parada. Bota várias bolas, e o cara vai “tum” e empatou. Precisa traduzir isso. O plantel do Flamengo foi criado e estruturado. Eu não tenho que fazer uma coisa que eu goste. Eu tenho que adaptar — disse.

Léo Ortiz: estreia e gol

O grande festejado da noite acompanhou Tite na coletiva, como parte do protocolo da Conmebol. Léo Ortiz estreou com a camisa rubro-negra em grande estilo, marcando o gol que garantiu a vitória no Maracanã. Sobre essa explosão de sentimentos, o zagueiro tentou resumir.

— Feliz pela vitória e principalmente por não sofrer gol, que é nosso principal dever ali atrás. Perdi um gol ali no primeiro tempo, mas no intervalo meus companheiros mandaram eu levantar a cabeça que teria outra chance. Aí pude fazer o gol que deu alivio, estava ficando perigoso o jogo — disse, durante a coletiva.

Léo Ortiz comemora seu gol contra o Palestino, pela Libertadores (Foto: Divulgação/Flamengo)

O próximo desafio do Flamengo será pelo Campeonato Brasileiro, neste domingo (14), quando Tite e companhia visitarão o Atlético Goianiense. A bola rola para o duelo de rubro-negros a partir das 16h (de Brasília), no Estádio Serra Dourada, em Goiânia.

Veja outros pontos abordados na coletiva

Diferentes características dos atletas

— Allan faz um “double” cinco, com dobra de meio-campista e deixa o meio mais livre. Quando tem Bh, você tem bola de profundidade. Quando tem o Cebola, tem o jogo combinado. Com Victor Hugo, você tem mais retenção de jogo apoiado. Com Luiz, o jogo de velocidade.

Oscilação do time no jogo

— Ela teve o aspecto emocional e físico, com a responsabilidade de fazer o placar, de saltar na tabela. Devo reconhecer uma coisa que cobrei bastante essa semana é a precisão de finalização. No outro jogo, a gente teve um declínio. Tivemos muitas oportunidades, e o goleiro adversário estava posicionado em dois lances. Foi um grande jogo no primeiro tempo, temos que reconhecer. Quando você não traduz isso, fica uma ansiedade no ar. Tem que passar por esses momentos e saber ser gelo.

— Quando você não faz o segundo gol, começa a ficar tenso, nervoso, começa a bola parada. Equipe precisa de maturidade para jogar com pressão, como fez, e faz o segundo gol. Não queria. Queria fechar o primeiro tempo porque já merecia três ou quatro a zero. Foi pressionado no segundo tempo, mas felizmente pode definir também com trocas no segundo tempo porque precisávamos de fresh.

Elogios à defesa do Flamengo

— Léo Ortiz jogou muito, Fabrício e Léo Pereira são dois jogadores selecionáveis. E o Bahia é um garoto que vocês ainda vão ter que falar muito. Técnico não tem que ser dono de plantel, mas ele vai construindo.

Foto de Guilherme Xavier

Guilherme Xavier

É repórter na cobertura do Flamengo há três anos, com passagens por Lance! e Coluna do Fla. Fã de Charlie Brown Jr e enxadrista. Viver pra ser melhor também é um jeito de levar a vida!
Botão Voltar ao topo