Brasileirão Série A

É hora de trocar Marcos Leonardo por Furch? Ex-centroavantes do Santos opinam sobre o momento

Artilheiro do Santos no Brasileirão, com 13 gols, Marcos Leonardo vive um jejum e parte da torcida quer Furch entre os titulares

O Santos tem apenas mais dois compromissos no Campeonato Brasileiro e justamente nesse momento da competição, em que o Peixe precisa pontuar para acabar com qualquer risco de rebaixamento à Série B, a equipe sofre com o jejum de gols do centroavante Marcos Leonardo. O camisa 9 alvinegro não balança as redes adversárias há seis partidas e a sombra do argentino Julio César Furch, considerado o talismã da torcida, começa a crescer em cima do Menino da Vila, que ouviu vaias de alguns torcedores ao ser substituído na derrota por 3 a 0 para o Fluminense, quarta-feira (29), na Vila Belmiro.

Mas afinal, promover uma mudança de peças no ataque nesse momento do Brasileirão pode ser positivo na luta do Santos contra o rebaixamento? Para responder isso, a Trivela conversou com dois ex-centroavantes que defenderam o Peixe e conhecem muito bem o torcedor alvinegro: Paulinho McLaren e Kleber Pereira.

Paulinho enxerga momento favorável a Furch

Atacante do Santos no final da década de 80 e início da década de 90, Paulinho McLaren se diz um admirador de Marcos Leonardo, mas entende que o momento pode ser mais favorável ao argentino Julio César Furch.

– O Marcos Leonardo é um ótimo jogador e é o artilheiro do Santos nesta temporada e no Brasileiro, com 13 gols. Ele é acima da média. É um jogador que todo mundo tem uma expectativa muito grande, mas ele ainda é muito jovem. Carrega uma responsabilidade grande e penso que esse momento é difícil para ele também por conta de toda a correria de vende ou não vende, se sai ou não sai. Então, isso mexe com a cabeça e de alguma forma acaba atrapalhando ele e o próprio time – opina Paulinho, que defendeu o Santos em 142 partidas e marcou 57 gols.

Paulinho McLaren no treino do Santos
Paulinho McLaren, que defendeu o Santos no final da décade de 80 e início da década de 90, vê o momento favorável a Furch (Foto: Flickr/Santos)

– Eu, particularmente, gostaria de ver o Furch mais tempo em campo, porque acho que ele é um jogador que tem características para fazer um jogo mais apoiado. Ele segura a bola na frente e isso contribuiu para o Santos que precisa jogar em transição. O Santos não tem uma equipe para assumir o protagonismo, ter posse de bola o tempo todo e amassar o adversário. Então, o time precisa jogar, na maior parte do tempo, no jogo em transição e de uma referência para ter essa aproximação dos homens de velocidade. Diante disso, penso que começar com o Furch, e depois recorrer ao Marcos Leonardo, não tem nada de errado. O Furch está de chegada no clube, enquanto o Marcos está de saída. E a verdade é que isso tem um peso. A gente tem visto nos últimos jogos. A responsabilidade sobre o Marcos Leonardo aumentou bastante. O Furch, por sua vez, experiente, conquistou o espaço dele e está pedindo passagem. Eu enxergo dessa maneira o atual momento, acrescentou o artilheiro do Brasileirão de 1991.

Kléber Pereira não é a favor da mudança no ataque

Centroavante do Santos entre 2007 e 2009, Kleber Pereira marcou 86 gols em 153 compromissos pelo Peixe, Kleber Pereira vai na contramão de Paulinho e entende que promover essa mudança, nesse momento do campeonato, não seria benéfica.

– O Marcos Leonardo não vive um bom momento, mas o elenco todo do Santos não vem bem. A equipe está mal. Entendo que estão se esforçando bastante, mas fazer essa troca, na minha opinião, não é uma boa. O Marcos Leonardo é bom, tem talento e já provou isso nesse campeonato – fala o artilheiro do Brasileiro de 2008, com 21 gols, ao lado de Washignton e Keirrison .

– A briga do Santos é apenas para não cair. Isso é muito importante para o clube. A equipe precisa jogar esses últimos jogos como se fosse uma final. Nestas condições a bola vai chegar e o Marcos Leonardo vai corresponder – completou Kleber.

Situação do Santos no Brasileirão

Com 43 pontos conquistados, o Santos ocupa a 15ª colocação na tabela. O Peixe tem apenas dois pontos de vantagem para o Bahia, que é o 17º e abre a zona de rebaixamento. Na próxima rodada, os comandados de Marcelo Fernandes visitam o Athletico-PR, domingo (3), às 18h30 (horário de Brasília), na Ligga Arena.

O Santos pode terminar a rodada finalmente livre de qualquer risco de queda. Para isso, tem que vencer o Furacão e torcer por uma derrota do Bahia ou do Vasco diante de América-MG e Grêmio, respectivamente. Caso não vença o Athletico-PR, o Peixe chegará na última rodada, contra o Fortaleza, na Vila Belmiro, ainda correndo riscos.

Foto de Bruno Lima

Bruno Lima

Bruno Lima nasceu em Santos (SP) e se formou em Jornalismo na Universidade Católica de Santos (UniSantos) em 2010. Antes de escrever para Trivela, passou por A Tribuna
Botão Voltar ao topo