Brasileirão Série A

Recuperado, Mendoza não cabe no ‘azeitado’ time titular do Santos

Atacante colombiano foi liberado pelo departamento médico após sofrer um estiramento na panturrilha direita há um mês

Recuperado de um estiramento na panturrilha direita, o atacante Mendoza está de volta aos treinamentos do Santos. Liberado pelo departamento médico do clube na última quarta-feira (11), o colombiano está à disposição do técnico Marcelo Fernandes para a partida da próxima quinta-feira (19), às 20 horas (horário de Brasília), na Vila Belmiro, contra o Red Bull Bragantino. Isso posto, em termos técnicos, não há, neste momento, nada que justifique o seu retorno ao encaixado time titular.

Mendoza se ausentou da equipe após a vexatória derrota do Santos para o Cruzeiro, em casa, por 3 a 0. Até o próximo compromisso estaremos falando em mais de um mês do colombiano sem disputar uma partida oficial. Isso por si só já seria um bom argumento para o atacante iniciar o duelo com o Red Bull Bragantino no banco de reservas. Afinal, o seu condicionamento físico não está no mesmo nível dos companheiros.

Mendoza deixo o campo de carrinho
Mendoza não disputa uma partida pelo Santos há pouco menos de um mês e à distância viu o time se encaixar em campo (Foto: Flickr/SantosFC)

Ocorre que esse é o menor dos problemas. Ao longo de todo o período de recuperação de Mendoza, o técnico Marcelo Fernandes fez mudanças na equipe e encontrou uma formação que levou o Santos a três vitórias consecutivas no Brasileirão – isso ainda não tinha acontecido na competição. Essa sequência positiva finalmente tirou a equipe da temida zona de rebaixamento.

Como em time que está ganhando não se mexe, o retorno de Mendoza aos 11 iniciais é incompreensível e talvez injustificável.

Por que o retorno seria injustificável?

Com a decisão de atuar no 3-5-2, Marcelo Fernandes sabe que Mendoza não tem espaço no ataque formado por Marcos Leonardo e Soteldo, que, caso esteja cansado por conta da partida entre Venezuela e Chile, terça-feira (17), pelas Eliminatórias da Copa Mundo, deverá ser substituído por Morelos como aconteceu na vitória por 2 a 1 sobre o Palmeiras.

Assim, para que o colombiano retornasse ao time titular, o treinador teria que recuá-lo para compor o lado esquerdo da linha de cinco homens no meio-campo, que nas três vitórias seguidas foi ocupado pelo jovem Kevyson.

A presença do Menino da Vila naquela posição é um dos principais acertos do treinador, pois, por ser um lateral-esquerdo de ofício, o garoto contribui defensivamente com Dodô, que tem atuado improvisadamente na defesa.

Apostar em Mendoza no lugar de Kevyson na próxima rodada significaria assumir um grande risco defensivo, uma vez que o colombiano não tem qualquer característica para defender e não esconde o desinteresse para executar essa função.

Além disso, quando tem a bola nos pés, Kevyson, até por conta da idade, se mostra muito mais coletivo e disposto a fazer o simples do que Mendoza.

Mendoza não poderia atuar pela direita?

Uma outra possibilidade seria inverter Mendoza de lado e aproveitá-lo na direita da linha de cinco do meio-campo. Nesse caso, para atuar na vaga do atacante Lucas Braga, que assim como Dodô, tem jogado improvisado.

Voluntarioso, Braga tem como principais características a dedicação tática e a entrega física ao time. Principalmente quando o desejo do treinador é contar com alguém disposto a ajudar na marcação.

Logo, do mesmo jeito que ocorreria pelo lado esquerdo do campo, Mendoza também não traria melhor resultado do que aquele que está lá atualmente.

Mendoza já vinha em má fase

Apesar de ter saído do time em razão de um problema muscular, Mendoza já não vinha justificando a sua titularidade antes da lesão. As atuações sem brilho e por muitas vezes displicentes já vinham irritando a torcida do Santos há algum tempo.

Não à toa, ao ser substituído contra o Cruzeiro – o último jogo em que esteve em campo -, Mendoza recebeu uma considerável vaia dos 11.826 mil santistas que compareceram à Vila Belmiro – os outros 418 presentes no estádio eram torcedores do Cruzeiro.

Diante de tudo isso, o mais plausível para o momento é que Mendoza, contra o Red Bull Bragantino, reapareça no banco de reservas e seja uma opção de segundo tempo para explorar contra-ataques ou, dependendo do andamento da partida, posicionar o Santos de maneira mais ofensiva em campo numa possível mudança pontual de esquema.

Foto de Bruno Lima

Bruno Lima

Bruno Lima nasceu em Santos (SP) e se formou em Jornalismo na Universidade Católica de Santos (UniSantos) em 2010. Antes de escrever para Trivela, passou por A Tribuna
Botão Voltar ao topo