Brasileirão Série A

Santos perde do América-MG e dá passo largo em direção ao precipício no Brasileiro

Santos vai cumprindo roteiro do rebaixamento e perde para o América-MG, ficando ainda mais perto do precipício

O Santos continua brincando com fogo no Campeonato Brasileiro e perdeu do América-MG, fora de casa, neste domingo (3) por 2 a 0. Marcou mais um item da lista do manual de como ser rebaixado que o clube vem preenchendo com primor nesta temporada e está cada vez mais ameaçado com a queda para a Série B, e não apenas pela baixa pontuação. O Santos tem muita dificuldade dentro de campo, está contando com uma dose de azar que é típica de times na situação em que ele está, e parece estar em areia movediça, afunda mais quanto mais se move.

Diante do América-MG o Santos voltou a mostrar velhas falhas e sofrer com erros que a torcida está desesperada de tanto que vê se repetir. Contou, ainda, com um Coelho aguerrido, que com a eliminação diante do Fortaleza na Copa Sul-Americana, no meio da última semana, tem como único foco uma dificíl permanência na Série A. E que, por isso, vê nesta vitória diante do Peixe uma forma de subir sua pontuação ao mesmo tempo em que não deixa o rival escapar fazendo mais pontos.

O América-MG chegou à segunda vitória consecutiva e aos 16 pontos, com um jogo a menos em relação à maior parte dos adversários. Um deles o Santos, que abre a zona de rebaixamento e, com a derrota, sua segunda seguida, estaciona nos 21 pontos. Da mesma forma que não consegue diminuir a distância para o Bahia, primeiro time fora da degola e que abriu um ponto de vantagem, o Peixe ainda vai vendo adversários que estão abaixo, como o próprio América e o Vasco, somarem pontos e se aproximarem aos poucos.

Santos de Aguirre fica com a bola, mas e daí?

Inegável que o Santos, sob o comando do técnico Diego Aguirre, deixou de ser um inimigo da bola como foi com Paulo Turra de técnico. Mas isso também parece não querer dizer muita coisa e o resultado da partida deste domingo é uma prova meio que cabal disso. Sim, o Peixe não tem mais o pavor do balón, mas ao mesmo tempo também não é exatamente um time que sabe o que fazer quando fica com a bola.

Hoje, diante do América-MG, foi incontestável que o Santos teve muito mais a posse da bola, trocou mais passes. E mesmo assim praticamente não levou perigo ao gol adversário. Pior ainda, por ter a posse de bola, nas vezes que a perdia, o Peixe ofereceu diversas chances ao Coelho através de contra-ataques. E foi assim que os mineiros aproveitaram para abrir o placar e deixar a situação do Santos desesperadora.

Em um contra-ataque aos 29 minutos da primeira etapa, Felipe Azevedo achou Rodrigo Varanda sozinho na direita. Dentro da área, ele não teve dificuldades para abrir o placar para o América. Poucos minutos antes, o mesmo Varanda, cria das categorias de base do Corinthians, tivera uma chance, desta vez pela esquerda, em moldes muito semelhantes. Quando não tem a bola, o Santos parece ainda mais um catado e, por isso, é tão fácil fazer gols no alvinegro.

Um segundo tempo de pá de cal total para o Santos

O Santos foi atordoado para o intervalo e assim retornou ao campo para a segunda etapa. Aguirre promoveu a estreia do lateral Júnior Caiçara, que entrou no lugar Rodrigo Fernández e se tornou um ala, com Joaquim, que foi uma espécie de lateral direito, sendo levemente deslocado para uma formação com três zagueiros que tinha como objetivo tornar as posses de bola do Peixe mais incisivas.

Não tornou. E o América-MG seguiu da mesma forma, sofrendo quando necessário, quase o tempo todo sem a bola, mas tentando punir o Santos com contra-ataques. A primeira pá de cal não demorou para atingir o Peixe: Varanda achou Matheus Henrique na direita, que fez ótimo cruzamento e viu o volante Juninho aparecer de surpresa para sacramentar o 2 a 0. O Santos foi à lona.

Aguirre até tentou acordar seu time com as entradas de Yeferson Soteldo e Julio Furch, mas não deu em muita coisa. As raras chances do Santos vieram mais com Jean Lucas, um dos mais lúcidos em campo, e possível arma com seus chutes de longa distância. Hoje, ele tentou, mas não conseguiu. Nos 30 minutos em que esteve em campo, Soteldo também foi criativo e melhorou a parte ofensiva, mas nada muito notório. Se ajuda, no entanto, criou dor de cabeça pois será desfalque no próximo jogo.

O venezuelano, que chegou a ficar afastado recentemente por problemas de disciplina, tomou dois cartões amarelos seguidos, ambos por reclamação motivada após um amarelo levado por Jean Lucas. O Peixe tem uma sequência difícil pela frente, com três jogos contra adversários diretos na luta contra o rebaixamento em sequência. Primeiro, pega o Cruzeiro em casa, para depois viajar para enfrentar o Bahia e fechar a sequência em casa contra o Vasco. Depois, dois pesos pesados do Brasileirão: o ótimo RB Bragantino, de novo na Vila Belmiro, e finalmente o clássico contra o Palmeiras no Allianz Parque.

Um caminho árduo e que pode praticamente decidir se o Santos cairá no abismo do rebaixamento no Campeonato Brasileiro. Hoje, contra o América-MG, deu um largo passo.

Foto de Leonardo Sacco

Leonardo Sacco

Formado em Jornalismo pela Cásper Líbero, fez categorias de base na TV Gazeta, Olheiros e Impedimento, se profissionalizou no Yahoo e desde junho de 2023 é coordenador de conteúdos da Trivela.
Botão Voltar ao topo