Brasileirão Série A

Montevidéu ensina: Pelo título, Palmeiras terá que jogar pontos corridos com cabeça de mata-mata

Para ser campeão Brasileiro, Palmeiras precisar encarar os jogos faltantes como três partidas eliminatórias a serem vencidas na base do pragmatismo

O aniversário de dois anos da conquista do tricampeonato do Palmeiras na Copa Libertadores da América chega para dar aos palmeirenses o exemplo perfeito para este fim de Campeonato Brasileiro. E o fato de o Flamengo ser hoje o maior concorrente do Alviverde à taça torna a comparação ainda mais palpável:

Não importa mais como, o Palmeiras só precisa dos resultados.

Não faz mais diferença, a esta altura, como eles virão. Se haverá muitas bolas cruzadas, se os gols sairão em escanteios, laterais, se o time vai jogar fechado por uma bola ou enfrentar outra defesa muito fechada. O único objetivo é conseguir os pontos. E a boa notícia para os palmeirenses é que o Palmeiras do técnico Abel Ferreira sabe jogar desse modo.

Foi assim em Montevidéu, em 27 de novembro de 2021, naquela final de Libertadores. Para ganhar ao jogo de um time tecnicamente superior, o Verdão fez a estratégia necessária. Piquerez virou zagueiro, Scarpa virou lateral. E, na prorrogação, o reserva Deyverson, com quem Abel nem contava, foi quem entrou para roubar a bola do jogo, na raça, e fazer o gol do título.

Virou mata-mata

O Brasileirão de 2023 é de pontos corridos, mas virou mata-mata de jogo único. Vencendo América-MG, Fluminense e Cruzeiro, o Palmeiras não precisa nem olhar para o retrovisor, porque tera ganhado a corrida.

Isso posto, vale trazer de volta uma análise sempre declamada por Abel, sobre as quatro dimensões que regem um jogo de futebol: tática, física, técnica e mental.

Hoje, o Palmeiras não vive um bom momento técnico. Jogadores-chave como Gustavo Gómez, Murilo e Zé Rafael (no 1º tempo) não fizeram grande jogo contra o Fortaleza no domingo (26). E, como todas as equipes do Brasil, o Palmeiras tampouco apresenta boa forma física.

Mas o gol que empatou o jogo em 2 a 2 e manteve o Palmeiras na ponta do Brasileiro pelo saldo de gols saiu justamente de uma cabeçada de Murilo para Zé. Em uma jogada zero pensada, no rebote de um chute errado de Piquerez.

Na vontade de construir um resultado que viria a ser mantido com base na inteligência dos jogadores. Tudo na conta da parte mental.

É encarando os próximos nove dias como a reta final de uma Copa do Mundo que o Palmeiras vai estar mais bem preparado para conquistar o título. Não existe saída melhor.

O Santo saldo

O fato de ainda haver torcedores brasileiros com saudade dos Campeonatos Brasileiros com finais, 20 anos depois da primeira edição do torneio no formato de pontos corridos, beira o terraplanismo.

Mas se alguém ainda precisa de argumentos para entender por que cada jogo do Brasileirão é uma final, sugiro uma olhada na tabela atual da competição.

Se o Campeonato Brasileiro terminasse hoje, o Palmeiras seria campeão por ter nove gols a mais de saldo que o segundo colocado Flamengo.

Saldo conquistado naquela goleadas de 5 a 0 sobre o São Paulo, no Allianz Parque. Mas também no 2 a 1 sobre o Cuiabá, no 1 a 0 sobre o Internacional e no 4 a 3 sobre o Botafogo. Tem um pouco de cada jogo nessa liderança do Palmeiras.

Brasileiro Serie A
# Seleção J V E D +/- Pontos
1 Palmeiras

Palmeiras

38 20 10 8 31 70
2 Gremio

Gremio

38 21 5 12 7 68
3 Atletico Mineiro

Atletico Mineiro

38 19 9 10 20 66
4 Flamengo

Flamengo

38 19 9 10 14 66
5 Botafogo

Botafogo

38 18 10 10 21 64
6 Bragantino

Bragantino

38 17 11 10 14 62
7 Fluminense

Fluminense

38 16 8 14 4 56
8 Athletico Paranaense

Athletico Paranaense

38 14 14 10 8 56
9 Internacional

Internacional

38 15 10 13 1 55
10 Fortaleza EC

Fortaleza EC

38 15 9 14 1 54
11 Sao Paulo

Sao Paulo

38 14 11 13 2 53
12 Cuiaba

Cuiaba

38 14 9 15 1 51
13 Corinthians

Corinthians

38 12 14 12 -1 50
14 Cruzeiro

Cruzeiro

38 11 14 13 3 47
15 Vasco da Gama

Vasco da Gama

38 12 9 17 -10 45
16 EC Bahia

EC Bahia

38 12 8 18 -3 44
17 Santos

Santos

38 11 10 17 -25 43
18 Goias

Goias

38 9 11 18 -17 38
19 Coritiba

Coritiba

38 8 6 24 -32 30
20 America MG

America MG

38 5 9 24 -39 24
Foto de Diego Iwata Lima

Diego Iwata Lima

Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero, cursou também psicologia, além de extensões em cinema, economia e marketing. Iniciou sua carreira na Gazeta Mercantil, em 2000, depois passou a comandar parte do departamento de comunicação da Warner Bros, no Brasil, em 2003. Passou por Diário de S. Paulo, Folha de S. Paulo, ESPN, UOL e agências de comunicação. Cobriu as Copas de 2010, 2014 e 2018, além do Super Bowl 50. Está na Trivela desde 2023
Botão Voltar ao topo