Brasileirão Série A

Insistência de quem quer título: Palmeiras luta até o fim com um a menos, empata com o Fortaleza e segue líder

Mesmo ficando em desvantagem duas vezes e jogando com um a menos por mais de 30 minutos, o Palmeiras empatou com o Fortaleza no Castelão e ainda depende só de si para ser campeão

O Palmeiras ainda depende só de si mesmo para ser campeão brasileiro em 2023. Neste domingo (26), o Alviverde não fez um bom primeiro tempo, ficou atrás no placar duas vezes e teve o capitão Gustavo Gómez expulso aos 14 minutos da segunda etapa, mas mesmo assim buscou um empate heróico com o Fortaleza em 2 a 2, no Castelão, pela 35ª rodada do Brasileirão.

Thiago Galhardo abriu o placar para o Leão do Pici no começo do jogo. Pouco depois de Gómez ter recebido o cartão vermelho direto, Raphael Veiga deu vida ao time de Abel Ferreira e deixou tudo igual. Calebe ainda colocaria o time comandado por Juan Pablo Vojvoda em vantagem novamente, mas Zé Rafael sacramentou o empate sete minutos depois.

A atuação não foi boa, mas a persistência e mentalidade do Palmeiras — que têm sido fatores determinantes para o momento glorioso e repleto de títulos que o clube vive nos últimos anos — foram fundamentais mais uma vez e garantiram um importante ponto. O Alviverde agora tem a mesma pontuação do Flamengo, mas muito provavelmente será campeão se vencer os três compromissos restantes já que possui um saldo de gols de 26, enquanto o Rubro-Negro tem 17.

As formações

Apesar da sequência de novo jogos sem vencer, Juan Pablo Vojvoda manteve o esquema de 4-2-3-1. A única alteração feita em relação ao time que empatou com o Botafogo na quinta-feira (26) foi a entrada de Thiago Galhardo como centroavante no lugar de Juan Martín Lucero, que sofreu uma contratura muscular no músculo posterior da coxa direita e foi desfalque. O restante foi o mesmo: João Ricardo foi o goleiro, com Tinga, Emanuel Brítez, Titi e Bruno Pacheco na linha de defesa. No meio-campo, Caio Alexandre e Zé Welison formaram novamente a dupla de volantes, enquanto Yago Pikachu (aberto pela direita), Calebe e Guilherme Augusto (pela esquerda) apareciam mais à frente.

Já o Palmeiras seguiu no 3-5-2 que marcou a recente arrancada rumo à liderança do Brasileirão. Como era de se imaginar, Weverton abriu a escalação. Retornando após cumprir suspensão na vitória sobre o Internacional, Gustavo Gómez atuou no centro do trio de zaga formado também por Marcos Rocha e Murilo, já que Luan foi baixa por lesão na coxa direita. Zé Rafael e Richard Ríos foram os volantes, com Mayke e Joaquín Piquerez nas alas e Raphael Veiga centralizado e mais avançado no meio-campo. No ataque, Breno Lopes e Endrick foram os escolhidos de Abel Ferreira mais uma vez.

Primeiro tempo

O primeiro tempo no Castelão foi do Fortaleza. O time de Vojvoda deixou o Palmeiras dominar a posse de bola e precisar tomar as iniciativas do confronto, mas pouco pressionava a saída de bola adversária e marcava no seu próprio campo. Assim, o Tricolor do Pici não deu campo para Breno Lopes e Endrick explorarem as costas da defesa em velocidade e cedeu pouquíssimas oportunidades, fazendo com que o Alviverde se limita-se a trocar passes até meio-campo.

Quando tinha a bola, o Fortaleza era direto. Assim que recuperava a bola, os mandantes se lançavam ao ataque em velocidade para pegar a defesa palmeirense desmontada e contaram com um dia inspirados do seus jogadores de frente para levar perigo ao gol de Weverton. Quando o lance não dava certo, os atacantes pressionavam para não deixar que o atual campeão brasileiro achasse espaços para Breno Lopes e Endrick, precisando recorrer a faltas muitas vezes.

Pouca coisa aconteceu nos dez minutos iniciais. Logo no primeiro lance, Guilherme Augusto até tentou uma finalização, mas pegou mal na bola e não assustou a meta do Palmeiras. A partir dos 12 minutos, no entanto, a estratégia ofensiva do Fortaleza começou a dar certo. Quando conseguiu pegar a defesa adversária desarrumada, um cruzamento pela direita longo demais terminou em um chute travado por Marcos Rocha. Na sobra, Caio Alexandre soltou uma bomba da intermediária que explodiu no travessão.

Aos 19, a ligação direta para os velozes atacantes funcionou de novo. João Ricardo rapidamente fez a reposição após uma defesa tranquila e chutou para frente. Murilo venceu a disputa com Thiago Galhardo, mas afastou mal. Calebe, de primeira, acionou Guilherme Augusto, que teve espaço para invadir a área e tocar para o meio. Galhardo aproveitou, bateu de primeira com o pé direito e abriu o placar para o Fortaleza com um belo gol.

A vantagem no placar não mudou a postura de nenhuma das equipes. O Fortaleza voltou a levar perigo com Calebe em duas ocasiões. Na primeira, aos 24 minutos, o camisa 27 finalizou para fora depois de Zé Welison desarmar Breno Lopes e ir até a linha de fundo cruzar. Na segunda, aos 37, ele entrou na área tentando superar quase que a defesa inteira do Palmeiras, mas levou a pior.

O Palmeiras, por sua vez, conseguiu ser melhor nos minutos finais da primeira etapa, ao menos chegando até a área mandante na bola parada. A única chance real, no entanto, foi aos 45, com Raphael Veiga dando um belo drible de corpo em Titi e exigindo boa defesa de João Ricardo em chute de direita.

Segundo tempo

O segundo tempo começou com ambas as equipes com estratégias parecidas com as de antes do intervalo. Tinga teve enorme oportunidade de abrir 2 a 0 aos dois minutos, saindo do campo de defesa e atacando as costas da defesa palmeirense para receber grande lançamento de Pikachu. De frente para o gol, o lateral chutou de primeira para fora.

Parecia que o Fortaleza seguraria a vantagem magra e exploraria os contra-ataques para tentar ampliar, mas o jogo mudou por completo a partir dos 13 minutos. Mais uma vez, João Ricardo fez uma reposição com rapidez e encontrou Calebe no campo de ataque. O meia superou Murilo, que escorregou, com um leve toque de cabeça e só não ficou cara a cara com Weverton porque foi derrubado por Gustavo Gómez. O árbitro André Luiz Skettino Policarpo Bento entendeu o contato como faltoso e expulsou o zagueiro paraguaio.

Jogar com um homem a mais e estando na frente no marcador era o cenário perfeito para o Fortaleza. Afinal, o Leão do Pici teria mais espaço para contra-atacar, ainda mais com o Palmeiras sendo obrigado a buscar ao menos o empate. Acontece que a equipe de Vojvoda não aproveitou o momento e deu oportunidade do time de Abel Ferreira mostrar a mentalidade fora do comum que tem sido marcante desde a chegada do técnico português.

Aos 17 minutos, Zé Welison exigiu outra boa intervenção de Weverton após nova grande jogada de Calebe, esta pelo lado direito. Aos 20, o Palmeiras empatou pela primeira vez. Raphael Veiga recebeu com muita liberdade da intermediária e arriscou. O camisa 23 pegou mal iria mandar longe, mas deu sorte de ficar com a sobra depois da bola bater na marcação e, aí sim, bateu colocado no canto direito de João Ricardo.

Mas o 1 a 1 durou pouquíssimo. Aos 24 minutos, Calebe recebeu, rapidamente procurou uma tabela com Thiago Galhardo, saiu de frente para o gol dentro da área e tocou rasteiro de canhota por baixo de Weverton para colocar o Fortaleza na frente novamente e coroar a grande atuação que teve neste domingo.

O gol de Calebe fez com que o Palmeiras fosse obrigado mais uma vez a propor jogo, inevitavelmente cedendo espaços. Aos 28 minutos, Zé Welison desarmou Mayke no meio-campo e chegou até a grande área, mas foi atrapalhado por Murilo. A bola sobrou para Thiago Galhardo, que tocou para Calebe driblar Weverton e servir Zé Welison. O volante não aproveitou o goleiro ter sido batido e finalizou em cima de Mayke, que estava na linha do gol.

A oportunidade perdida inacreditavelmente teve seu preço. Aos 31 minutos, a defesa tricolor afastou a cobrança de escanteio pela esquerda e Piquerez pegou mal ao tentar um voleio da entrada da área. A bola subiu muito e foi desviada por Murilo para a pequena área, onde Zé Rafael apareceu para completar para rede e sacramentar o empate em 2 a 2.

Com a nova igualdade, Abel Ferreira conseguiu fechar o Palmeiras, sacando Endrick e Veiga para colocar o zagueiro Naves e o volante Fabinho. Com a nova estratégia, o Alviverde foi sólido defensivamente e deixou a bola com o Fortaleza, que não sabia o que fazer. Marinho até assustou os palmeirenses aos 48 balançando na frente de Murilo, mas a finalização rasteira da entrada da área foi perigosamente para fora.

Classificação

A disputa pelo título do Brasileirão ficou ainda mais embolada. O Palmeiras segue líder com o empate, agora com 63 pontos. Acontece que o Flamengo venceu o América-MG e chegou a mesma pontuação, mas aparece em segundo lugar por ter um saldo de gols bem menor. Já a terceira posição é do Botafogo, que empatou com o Santos e tem 62 pontos.

O Fortaleza, por outro lado, caiu a 12ª colocação. Sem vencer há nove partidas pelo Campeonato Brasileiro, o time comandado por Vojvoda está em queda livre e ainda não garantiu vaga na próxima edição da Copa Sul-Americana.

Próximos jogos de Fortaleza e Palmeiras

O Fortaleza volta a campo na quinta-feira (30) para enfrentar o Red Bull Bragantino, às 20h30 (de Brasília), no Nabi Abi Chedid. A partida é válida pela 36ª rodada do Brasileirão.

Já na quarta-feira (29), será a vez do Palmeiras receber o lanterna e já rebaixado América-MG no Allianz Parque. O jogo, marcado para às 21h30 (de Brasília), também será pela 36ª rodada da Série A.

Estatísticas de Fortaleza 2 x 2 Palmeiras

  • Posse de bola: Fortaleza 37% x 63% Palmeiras
  • Finalizações (a gol): Fortaleza 20 (8) x 13 (5) Palmeiras
  • Grandes chances: Fortaleza 3 x 2 Palmeiras
  • Passes certos: Fortaleza 205 (77%) x 364 (84%) Palmeiras
  • Gols: Thiago Galhardo, aos 19 minutos do 1ºT, e Calebe, aos 24 minutos do 2ºT (Fortaleza); Raphael Veiga, aos 20, e Zé Rafael, aos 31 minutos do 2ºT (Palmeiras).
Foto de Felipe Novis

Felipe Novis

Felipe Novis nasceu em São Paulo (SP) e cursa jornalismo na Faculdade Cásper Líbero. Antes de escrever para a Trivela, passou pela Gazeta Esportiva.
Botão Voltar ao topo