Brasileirão Série A

Palmeiras tem baixa procura por ingressos e desempenho financeiro também vai cair

Com ano decepcionante e eliminações traumáticas, Palmeiras deve ter arrecadação menor no Allianz Parque

A derrocada precoce do Palmeiras em 2023 já começa a ter impactos também na questão financeira. A baixa procura por ingressos, até a tarde desta quarta-feira (18), para o confronto com o Atlético-MG de amanhã (19), prenuncia uma arrecadação menor que o estimado pelo clube.

Até a publicação desta reportagem, o Palmeiras informava que apenas 18,8 mil ingressos haviam sido comercializados para a partida desta quinta-feira, às 19h.

Em dezembro de 2022, o Palmeiras informou que estimava arrecadar R$ 44 milhões com bilheteria no ano. Tal número, como de praxe em balanços e orçamento, já é normalmente subdimensionado para uma medida conservadora. Na realidade, a expectativa do clube é maior do que essa. E é quase certo que o Palmeiras terá menos do que de fato esperava ao fim da temporada.

Não bastasse o fator desânimo com o fim de ano melancólico em outubro, já sem chances de títullo, o Palmeiras ainda será desalojado em alguns de seus jogos. A equipe tem mais sete compromissos como mandante, dos quais ao menos três devem acontecer na Arena Barueri.

O Palmeiras pega o Athletico-PR em 4, 5 ou 6 de novembro. Nos dias 4 e 5, o Allianz Parque vai receber o festival GP Week. Em 11, 12 ou 13, o adversário é o Internacional. Nos dias 11 e 12, será a vez de Roger Waters se apresentar na casa do Alviverde. Em 25, 26 e 27 de novembro, o Palmeiras encara o América-MG. Taylor Swift toca na arena nos dias 24, 25 e 26.

Impacto brutal

Uma boa medida do que o ano decepcionante e o deslocamento para a cidade do interior de São Paulo podem causar é comparar as arrecadações do clássico contra o Santos deste ano com o do ano passado.

Rumo à conquista do título nacional, o Palmeiras, que venceu o Clássico da Saudade por 1 a 0, com gol de Merentiel, levou 40.337 torcedores ao Allianz Parque, em 18 de setembro do ano passado – renda de
R$ 2.450.421,12.

Já no último dia 8, em Barueri, na sequência da eliminação diante do Boca Juniors de Merentiel, o Alviverde atraiu 17.049 torcedores, que geraram renda de R$ 801.845,00 – menos de um terço do ano passado. E o Verdão ainda perdeu por 2 a 1, de virada.

E não será apenas pelo fator atração que a arrecadação será menor. O preço médio do ingresso também vai baixar diante da atratividade menos interessante.

Outra medida interessante para se dimensionar o impacto do ano abaixo do esperado do time está no último jogo do time no Allianz Parque em 2022.

Na vitória por 4 a 0 sobre o Fortaleza, que só não foi a noite do título porque o Internacional perdeu naquela tarde de 2 de novembro para o América-MG, o Palmeiras teve renda de R$ 3,67 milhões para 29.104 pagantes (parte do estádio estava fechada também por conta de um show).

Neste ano, o time encerrra sua participação em casa contra o Fluminense, no dia 29 de novembro, que decidirá a Libertadores cinco dias depois, no Maracanã, contra o Boca.

Na temporada 2022, os ganhos com bilheteria do Palmeiras ficaram próximos de 10% da arrecadação bruta do time na temporada, que ficou pouco acima de R$ 856 milhões.

Para se ter uma ideia do significado, o patrocínio da Crefisa e da FAM ao clube gera um percentual semelhante dentro do diagrama de receitas.

Foto de Diego Iwata Lima

Diego Iwata Lima

Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero, cursou também psicologia, além de extensões em cinema, economia e marketing. Iniciou sua carreira na Gazeta Mercantil, em 2000, depois passou a comandar parte do departamento de comunicação da Warner Bros, no Brasil, em 2003. Passou por Diário de S. Paulo, Folha de S. Paulo, ESPN, UOL e agências de comunicação. Cobriu as Copas de 2010, 2014 e 2018, além do Super Bowl 50. Está na Trivela desde 2023
Botão Voltar ao topo