Brasileirão Série A

Mais jovem a estrear no século, meia de 16 anos é alento em meio a momento difícil do Internacional

Em sua estreia como profissional, Gabriel Carvalho deu assistência para gol de Wesley na derrota colorada para o Vitória

Se a derrota por 2 a 1 para o lanterna Vitória, no último domingo (16), no Barradão, em Salvador/BA, deixou algo de positivo para o Internacional foi a estreia do jovem meia Gabriel Carvalho, cria do Celeiro de Ases, como profissional.

Com 16 anos, nove meses e 30 dias, Gabriel se tornou o jogador mais jovem a atuar pelo time profissional do Inter no século XXI. Ele superou Alexandre Pato, que estreou na goleada por 4 a 1 sobre o Palmeiras, em novembro de 2006, com 17 anos, dois meses e 24 dias.

Top-3 jogadores mais jovens a atuar pelo Internacional no século XXI

  • 1º Gabriel Carvalho — 16 anos, nove meses e 30 dias — Vitória 2 x 1 Internacional — 16/06/2024
  • 2º Alexandre Pato — 17 anos, dois meses e 24 dias — Palmeiras 1 x 4 Internacional — 26/11/2006
  • 3º João Dalla Corte — 17 anos, quatro meses e 22 dias — Internacional 3 x 4 Coritiba — 29/10/2023

Mesmo em contexto desfavorável, Gabriel Carvalho já deu assistência em sua estreia

Mais do que simplesmente estar em campo, Gabriel Carvalho teve boa participação em sua estreia pelo profissional do Inter. Depois de ingressar no lugar de Aránguiz, aos 26 minutos do segundo tempo, ele deu bela assistência para o gol de empate, marcado por Wesley, aos 37.

O técnico Eduardo Coudet reconheceu que as entradas não só de Gabriel, mas também de Gustavo Prado, outro jovem oriundo das categorias de base, melhoraram o time do Inter no segundo tempo em Salvador. Entretanto, frisou que a utilização de ambos não aconteceu no momento ideal.

— Vamos tentar recorrer à base, algum jogador que esteja mais perto, porque os jogadores mais destacados são muito novos. Segundo tempo entraram bem, caso do Gustavo, do Gabriel. Mas é difícil em situações assim. Em jogos de visitante, com público do rival. Essa é a primeira experiência deles — lembrou Coudet.

Necessidade faz Coudet recorrer aos jovens

A necessidade fez o treinador do Inter recorrer aos jovens. O Colorado tem sofrido com desfalques, tanto de jogadores que se preparam com suas seleções para a Copa América — Sergio Rochet, Rafael Borré e Enner Valencia –, quanto de atletas lesionados.

Devido à tragédia climática que assolou o Rio Grande do Sul em maio e adiou partidas, o Inter também tem enfrentado maratona de jogos nessa retomada. E nenhum deles em sua casa, já que o Beira-Rio, inundado pelas enchentes, segue em processo de reconstrução.

— São bons jogadores, vão ser bons jogadores. Mas também a necessidade faz com que tenhamos que utilizá-los. Eram os únicos jogadores ofensivos que tínhamos para buscar o resultado. É ideal o contexto? Não — admitiu Coudet.

Foto de Nícolas Wagner

Nícolas WagnerSetorista

Gaúcho, formado em jornalismo pela PUC-RS e especializado em análise de desempenho e mercado pelo Futebol Interativo. Antes da Trivela, passou pela Rádio Grenal e pela RDC TV. Também é coordenador de conteúdo da Rádio Índio Capilé.
Botão Voltar ao topo