Brasileirão Série A

Internacional finalmente estacionou melhor o ônibus contra o RB Bragantino

Diferentemente de outros jogos em que também recuou no segundo tempo, Internacional se defendeu melhor na vitória sobre o RB Bragantino

O torcedor colorado já se acostumou com esse roteiro. O Internacional sai na frente no primeiro tempo, mas recua e sofre pressão principalmente na reta final da segunda etapa. Aconteceu de novo contra o RB Bragantino, no último domingo (25), pela 35ª rodada do Campeonato Brasileiro. A diferença é que, desta vez, o time de Eduardo Coudet defendeu bem a própria área. Isso foi fundamental para garantir a vitória por 1 a 0, que praticamente aniquila chance de rebaixamento para os lados do Beira-Rio.

Reativo já no primeiro tempo, Internacional apenas se defendeu na segunda etapa

Mesmo no primeiro tempo, o Inter já adotou postura mais reativa. Tanto pelo adversário — que gosta da bola e pressiona muito para retomá-la — quanto por seus próprios problemas: o Colorado não contava com Aránguiz e Alan Patrick, figuras centrais para o jogo com bola que Coudet tanto gosta. Com a vantagem no marcador, construída em pênalti sofrido e convertido por Enner Valencia, essa lógica se reforçou para o segundo tempo, que foi praticamente de ataque contra defesa.

Aos 19 minutos, Coudet sacou Bruno Henrique e Lucca para as entradas de Rômulo e De Pena. Com isso, o Inter passou a se postar no 4-1-4-1, com tripé de meio-campo: Johnny como primeiro volante, Rômulo pela direita e De Pena pela esquerda. Aos 34, ao tirar Maurício por desgaste, o treinador argentino optou por Nico Hernández. Igor Gomes passou para a lateral-direita, e Bustos foi adiantado para a ponta direita.

RB Bragantino não teve acerto nos cruzamentos no segundo tempo, e pouco finalizou

É verdade que recuo foi demasiado, e o Inter não conseguia sair de trás, o que incomodou os 22 mil colorados presentes no Beira-Rio. O Bragantino ocupava o campo de ataque, e rondava a área colorada perigosamente. Entretanto, também é fato que o time de Coudet resistiu bem à pressão. Fechou bem o funil e controlou os cruzamentos do Massa Bruta — foram 12 tentativas no segundo tempo, nenhuma certa. Mérito tanto dos defensores quanto do goleiro Rochet, soberano pelo alto.

Das sete finalizações do Bragantino no segundo tempo, três tiveram a direção do gol. Curiosamente, a que mais assustou os colorados, não. Ela aconteceu logo aos 6 minutos, com Vitinho. Em seu cartão de visitas após ingressar no intervalo, o atacante recebeu na ponta esquerda, trouxe para dentro e chutou cruzado. A bola passou muito perto da trave esquerda de Rochet. O goleiro colorado deu susto ao soltar conclusão fraca de Vitinho aos 14, mas pegou em definitivo no segundo momento. Aos 42, bem posicionado, o uruguaio ainda encaixou chute colocado, de fora da área, de Helinho.

O ideal é que o Inter não recue tanto na reta final dos jogos. Mas, em alguns momentos, isso se torna inevitável, seja pelo cansaço, ou mérito do adversário. Nesses momentos, é preciso saber sofrer. O que não aconteceu em outros jogos da temporada, mesmo em vitórias, como contra Vasco e Cruzeiro. Diante do RB Bragantino, o ônibus esteve melhor estacionado.

Internacional no Campeonato Brasileiro 2023

  • 11ª colocação com 46 pontos
  • 35 jogos, 12 vitórias, 10 empates e 13 derrotas
  • 43% de aproveitamento
  • 39 gols feitos e 43 gols sofridos

Quais são os próximos jogos do Internacional?

  • Cuiabá x Internacional – Campeonato Brasileiro – quarta-feira, 29 de novembro, às 20h
  • Corinthians x Internacional – Campeonato Brasileiro – sábado, 2 de dezembro, às 18h
  • Internacional x Botafogo – Campeonato Brasileiro – quarta-feira, 6 de dezembro, às 21h30min

 

 

Foto de Nícolas Wagner

Nícolas Wagner

Gaúcho. Formado em Jornalismo pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Antes de escrever pela Trivela, esteve na Rádio Grenal e na RDC TV. Também é coordenador de conteúdo da Rádio Índio Capilé.
Botão Voltar ao topo