Brasileirão Série A

Data Fifa no Grêmio é marcada pelo ensurdecedor silêncio de Renato após o Gre-Nal

Depois de sair do clássico Gre-Nal sem falar, Renato Portaluppi aparou arestas com o presidente Alberto Guerra e permaneceu em silêncio durante a Data Fifa

Quase 10 dias se passaram desde a derrota do Grêmio, por 3 a 2, no clássico Gre-Nal. Além do resultado e do desempenho da equipe em si, o que mais indignou os gremistas foi a atitude do técnico Renato Portaluppi, que não concedeu entrevista coletiva e viajou direto para o Rio de Janeiro, onde aproveitou os três dias de folga, concedidos também ao elenco.

De lá para cá, se esperava um pronunciamento oficial do treinador, ou alguma atitude mais contundente do presidente Alberto Guerra, que demonstrou grande insatisfação com o fato de Renato não ter falado no Beira-Rio. Nem uma coisa, nem outra: o período sem jogos por conta da Data Fifa foi marcado por silêncio ensurdecedor no CT Luiz Carvalho, em Porto Alegre.

Conversas e sorrisos

Na reapresentação do elenco, na última quinta-feira (12), Guerra e Renato tiveram reunião em uma das salas do Centro de Treinamento. Depois, desceram ao gramado juntos, sorrindo, e se sentaram no banco de reservas acompanhados do vice-presidente de futebol Antonio Brum. Claros indicativos de que as arestas foram aparadas.

O presidente tratou de colocar panos quentes no ocorrido. Talvez pensando em não prejudicar a campanha da equipe na reta final do Campeonato Brasileiro, em que, na 3ª colocação, busca confirmar vaga direta na Libertadores de 2024. Mas demonstrou novamente que, em muitos casos, Renato é maior do que o Grêmio.

Após demonstrar insatisfação com atitude de Renato, presidente Alberto Guerra colocou panos quentes no ocorrido. Foto: Lucas Uebel/Grêmio FBPA

Renato só falará após o jogo contra o Athletico-PR

Afinal, fosse outro treinador, ou outro clube, o reflexo de não conceder entrevista após ser amplamente dominado pelo maior rival em um clássico seria demissão. Ou, no mínimo, punição e/ou pedido de retratação pública.

Nada disso aconteceu com Renato. O treinador ainda não falou depois do Gre-Nal. Ficará para o pós-jogo contra o Athletico-PR, em que a vitória poderá deixar o clima mais ameno para os necessários questionamentos que virão dos repórteres.

Mas, para isso, o treinador tem muito o que corrigir. E busca fazer isso com portões fechados. Desde domingo as atividades no CT Luiz Carvalho estão sendo totalmente fechadas à imprensa.

Mistério por conta dos desfalques

Renato conversa com o elenco durante treinamento no CT Luiz Carvalho. Foto: Lucas Uebel/Grêmio FBPA

Além da privacidade para realizar cobranças mais fortes e ajustar questões táticas da equipe, o mistério se dá pelos desfalques, especialmente no meio-campo. O Grêmio não contará com ao menos três dos cinco volantes do elenco para enfrentar o Furacão.

Villasanti está servindo à Seleção Paraguaia nas Eliminatórias da Copa do Mundo; Ronald se prepara para a disputa dos Jogos Pan-Americanos com a Seleção Brasileira de Ramon Menezes; e Mila só voltará a jogar em 2024, devido à grave lesão no joelho. A dúvida fica por conta de Carballo, que pediu dispensa da seleção uruguaia e permaneceu em Porto Alegre para realizar tratamento da pubalgia crônica que enfrenta.

Com isso, Pepê é o único volante confirmado diante do Athletico. Isso forçará Renato a improvisar, sendo Nathan e Galdino os mais cotados; ou então mudar o esquema tático com a entrada de mais um zagueiro — a disputa, neste caso, ficaria entre Bruno Alves e Bruno Uvini.

Foto de Nícolas Wagner

Nícolas Wagner

Gaúcho. Formado em Jornalismo pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Antes de escrever pela Trivela, esteve na Rádio Grenal e na RDC TV. Também é coordenador de conteúdo da Rádio Índio Capilé.
Botão Voltar ao topo