Brasileirão Série A

Ansiedade, substituições e excesso de cruzamentos: Grêmio apresentou ‘cardápio’ de problemas contra o Corinthians

Mesmo com um a mais durante quase 80 minutos do jogo, Grêmio apresentou problemas que o impediram de conquistar a sexta vitória consecutiva no Campeonato Brasileiro

O Grêmio desperdiçou ótima oportunidade de assumir a liderança do Campeonato Brasileiro na tarde de domingo (12). Com os resultados paralelos da 34ª rodada, se chegasse à sexta vitória consecutiva, contra o Corinthians, o Tricolor Gaúcho assumiria a ponta da competição pela primeira vez. Porém, mesmo com um jogador a mais durante quase 80 minutos, os comandados de Renato Portaluppi acabaram perdendo por 1 a 0, frustrando os mais de 50 mil gremistas presentes na Arena, em Porto Alegre.

Grêmio foi um time nervoso e ansioso

A partir da expulsão direta de Bruno Méndez, por entrada dura em Lucas Besozzi, logo aos 6 minutos de jogo, o Grêmio apresentou alguns problemas que o impediram de conseguir explorar a vantagem numérica. O Tricolor foi um time nervoso e ansioso depois do inesperado gol de Romero, aos 31 minutos da primeira etapa. Irritou-se com a arbitragem, com a cera de Cássio, e não teve paciência para rodar a bola até encontrar os espaços na defesa de um Corinthians que se defendia em duas linhas de quatro bem baixas.

Grêmio abusou dos cruzamentos

Em decorrência disso, o Grêmio abusou dos cruzamentos. Foram 48 ao longo do jogo, quando a média da equipe no campeonato é de apenas 18.59, a segunda menor entre os 20 participantes, segundo o Footstats. Da intermediária, a bola já era erguida para a área. Mesmo que dos pés de jogadores sem essa característica, como é o caso do zagueiro Bruno Alves, que ainda foi expulso aos 35 minutos do segundo tempo por entrada em Fagner.

Desta vez, substituições de Renato não deram certo

As escolhas de Renato também influenciaram para esse número elevado de cruzamentos. Aos 14 minutos do segundo tempo, o treinador colocou André Henrique e João Pedro Galvão nos lugares de Kannemann e Galdino. Já contando com Suárez, o Tricolor ficou com três centroavantes de origem em campo, embora André Henrique estivesse posicionado como ponta direita. Nathan Fernandes, que entrou muito bem na vitória sobre o Botafogo e vem pedindo passagem, sequer foi utilizado.

— O Corinthians fez duas linhas de quatro, deixando um jogador na frente. Se fechou bem, ficou difícil entrar. O que tínhamos que fazer? Jogadas pelo lado, e aí colocar bolas na área. Não tem outra opção. Por isso coloquei o João e o André, juntamente com Suárez. Foram vários cruzamentos, alguns a gente ganhou, outro perdeu. Era o que tinha que fazer, por dentro estava praticamente impossível — comentou Renato, que disse que não tinha onde encaixar Nathan neste contexto.

Se as trocas do treinador foram fundamentais para vitórias recentes, como aconteceu contra Flamengo e Botafogo, desta vez Renato mexeu mal. No final do jogo, com 10 jogadores em campo, o Grêmio foi um time desorganizado, e com jogadores fora de posição. Por exemplo, Villasanti era zagueiro e Gustavo Martins um lateral-direito que aparecia na área para cabecear.

Todos esses aspectos servem de aprendizado para as quatro partidas que restam ao Grêmio no Campeonato Brasileiro, contra Atlético-MG, Goiás, Vasco e Fluminense. Afinal, o Tricolor Gaúcho ainda está na briga pelo título. Mas ficou mais difícil depois de desperdiçar chance de ouro para ultrapassar Botafogo e Palmeiras e assumir a liderança.

Grêmio no Campeonato Brasileiro 2023

  • 2ª colocação com 59 pontos
  • 34 jogos, 18 vitórias, 5 empates e 11 derrotas
  • 57% de aproveitamento
  • 57 gols feitos e 50 gols sofridos
Foto de Nícolas Wagner

Nícolas Wagner

Gaúcho. Formado em Jornalismo pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Antes de escrever pela Trivela, esteve na Rádio Grenal e na RDC TV. Também é coordenador de conteúdo da Rádio Índio Capilé.
Botão Voltar ao topo