Brasileirão Série A

Centro de duplas históricas, Atlético-MG tem em Hulk e Paulinho a melhor do Brasil em 2023

Hulk e Paulinho foram os destaques do Atlético-MG na inauguração da Arena MRV; Clube tem histórico de duplas de sucesso

Principais destaques da estreia do Atlético-MG na sua nova casa, a Arena MRV, Hulk e Paulinho, que participaram dos dois primeiros gols do estádio, formam também a melhor dupla do Brasil em 2023. Para o Galo, é mais uma a fazer história pelo clube.

Hulk deu duas assistências para Paulinho marcar os dois gols da vitória do Atlético contra o Santos, no domingo (29). Foram os primeiros gols da história da Arena MRV. Com essa parceria na estreia da nova casa atleticana, a dupla chegou a 12 gols entre si. Ou seja, gols que um deu assistência para o outro marcar.

O Hulk está me ajudando bastante durante a temporada. É um cara que está sempre disposto a ajudar a mim e ao time todo. Desde o começo a gente conseguiu se entender muito bem, e assim ter muita troca, dentro e fora de campo. Fez com que a nossa parceria aflorasse mais ainda. Fico feliz que a gente tenha conseguido juntar as nossas energias em prol do Atlético para poder buscar as vitórias”, disse Paulinho.

Hulk deu sete assistências para Paulinho marcar, enquanto o camisa 10 retribuiu com cinco assistências para o camisa 7 balançar as redes. Um dado que chama atenção é que, de todas as assistências que cada um deu, só uma não foi para o companheiro de ataque.

Assistências de Hulk em 2023

  • Camp. Mineiro – Tombense 1×2 Atlético – assistência para Paulinho
  • Copa Libertadores – Atlético 3×1 Millonarios – assistência para Paulinho
  • Copa Libertadores – Athletico-PR 2×1 Atlético – assistência para Paulinho
  • Camp. Brasileiro – Cuiabá 0x4 Atlético – assistência para Pavón
  • Camp. Brasileiro – Atlético 2×0 Internacional – assistência para Paulinho
  • Camp. Brasileiro – Atlético 1×0 Bahia – assistência para Paulinho
  • Camp. Brasileiro – Atlético 2×0 Santos – dupla assistência para Paulinho

Assistências de Paulinho em 2023

  • Copa Libertadores – Atlético 3×1 Carabobo – assistências para Hulk e Edenílson
  • Copa Libertadores – Atlético 3×1 Millonarios – assistência para Hulk
  • Camp. Mineiro – Atlético 1×0 Athletic- assistência para Hulk
  • Camp. Mineiro – América 2×3 Atlético – assistência para Hulk
  • Copa Libertadores – Alianza Lima 0x1 Atlético – assistência para Hulk

A melhor dupla do Brasil

No Brasil, há várias duplas que se destacam nos principais times do país, como Cano e Arias (Fluminense). Gabigol e Bruno Henrique (Flamengo), Rony e Veiga (Palmeiras), a já extinta Roger Guedes e Yuri Alberto (Corinthians), entre outras. Mas nenhuma delas chega nem perto da parceria que Hulk e Paulinho criaram.

Enquanto a dupla do Atlético tem 12 interações entre si, a outra que chega mais perto, que é a do Fluminense, tem “apenas” sete. Ou seja, Hulk e Paulinho tem quase o dobro de interações diretas para gol do que a segunda dupla no quesito.

— Não sei dizer qual o segredo. O importante é estar empenhado em ajudar o time. É importante ter a conversa. Quem joga ali na frente precisa se entender. É válido o diálogo para poder sempre ver o que é melhor um para o outro. Sei que quando o Hulk pega na bola, ele tem alguns movimentos que dão certos com os meus, como minhas infiltrações e corridas no espaço com a visão de jogo dele. Então isso faz com que a gente tenha uma boa conexão, assim somando muitos gols juntos – afirmou Paulinho.

Dupla do Atlético ficou distante por um tempo

A dupla Hulk e Paulinho começaram voando na temporada, com um achando o outro em praticamente todos os jogos. Um fator para isso foi o esquema adotado por Eduardo Coudet, que tinha apenas os dois no comando de ataque. Sendo assim, eles jogavam mais próximos, conseguindo se entender melhor e tendo mais oportunidades. Com o argentino no comando, foram nove interações entre eles que terminaram em gols.

Mas Coudet acabou deixando o Atlético, que optou por contratar Felipão, que tem um esquema de jogo diferente. Com o experiente treinador, o Galo passou a jogar com três atacantes, com Pavón e Paulinho abertos nas pontas e Hulk mais centralizado. Essa mudança distanciou a dupla de destaque do time. Eles ficaram mais de dois meses (06/06 até 13/08) sem combinarem para gols, justamente quando o alvinegro viveu seu pior momento.

Felipão entendeu que os dois atacantes precisam jogar mais próximos e fez adaptações no esquema para que isso possa acontecer. Com isso, Hulk deu três assistências para os três últimos gols do Atlético, marcados por Paulinho, que garantiram duas vitórias nos últimos três jogos.

— Com certeza quando a gente está mais próximo, as coisas sempre vão sair melhor para o Galo.

Paulinho quase virou vilão

Apesar de ser o vice-artilheiro do Atlético na temporada, Paulinho foi alvo de muitas críticas da torcida nos dois meses de péssimo desempenho do clube. O jogador recebeu vaias e alguns xingamentos por parte da torcida, que vê ele perdendo muitas oportunidades.

Na partida contra o Bahia, há três jogos, Paulinho marcou o gol da vitória, mas perdeu uma grande chance, sozinho com o goleiro. Antes, na eliminação para o Palmeiras, ele perdeu a única chance que o Galo teve no jogo. Por conta disso, mesmo tendo o marcado o gol que garantiu três pontos pro alvinegro, ele ouviu algumas vaias no estádio. Agora, com os dois gols na estreia da Arena MRV, deu a volta por cima.

— Foram semanas de muitas emoções. São momentos que fazem parte do futebol. A gente que é jogador tem que estar preparado para isso. Com relação às críticas, é normal no futebol. Cada um tem a sua opinião e a sua forma de ver o jogo. Eu escolhi ser jogador e sabia muito bem que as cobranças sempre vão aparecer. Estou preparado para isso como sempre estive.

Atlético tem histórico de grandes duplas

Hulk e Paulinho não são a primeira grande dupla da história do Atlético. Longe disso. O Galo já teve, por exemplo, a dupla Reinaldo e Éder Aleixo, que fizeram sucesso nos anos 80 e quase foram vice-campeões Brasileiros de 1980. O Rei é o maior artilheiro da história do Galo, com 255 gols, enquanto o Bomba é o 13°, com 122.

Nos anos 90, foi a vez da provável dupla mais famosa da história do Atlético: Marques e Guilherme. Assim como os dois de 80, os atacantes também foram vice-campeões Brasileiros, em 1999. Os dois estão no top 10 de artilheiro do Galo. Guilherme (7°) tem 139 gols e Marques (9°) tem 133.

Em 2010, o Atlético teve uma nova dupla de ataque que respirava gols. Tardelli e Obina chegaram ao Galo desacreditados após passagem pelo Flamengo. No fim do ano, o primeiro terminou com 27 gols, enquanto o segundo fez 25. Os 52 gols da dupla foram 40% de todos os gols do alvinegro no ano.

Dois anos depois, em 2012, uma nova dupla, a primeira que não foi formada por dois atacantes. Ronaldinho Gaúcho e Jô chegaram ao Galo juntos no meio daquele ano, e formaram uma parceria de sucesso. No ano seguinte, levaram o alvinegro à conquista de sua primeira e única Copa Libertadores. Em 2013, Jô foi o artilheiro do Galo na competição continental (7 gols) e no ano (19), além de somar oito assistências. Já Ronaldinho contribuiu com 17 gols e 16 assistências.

Comemoração entre Jô e Ronaldinho Gaúcho virou febre na torcida do Atlético (Actionplus / Icon Sport)
Foto de Alecsander Heinrick

Alecsander Heinrick

Alecsander Heinrick se formou em Jornalismo na PUC Minas em 2021. Antes da Trivela, passou por Esporte News Mundo, EstrelaBet e Hoje em Dia.
Botão Voltar ao topo