Brasileirão Série A

Derrota para Athletico é mais uma prova da bagunça que reina no Vasco

O resultado contra o Athletico parece ser o menor dos problemas do Vasco, que vive uma crise dentro e fora de campo

Neste domingo (5), o Vasco perdeu para o Athletico por 1 a 0, na Ligga Arena, pela 5ª rodada do Campeonato Brasileiro. Com o resultado, o Gigante da Colina continua na zona de rebaixamento para a Série B na 17ª posição com três pontos. Já o Furacão assume a liderança provisória com 10 pontos, mas pode ser ultrapassado até o término da rodada.

A verdade é que o placar é o menor dos problemas do Vasco. Essa derrota é só mais uma prova da situação vexatória que o clube passa, tanto dentro, quanto fora de campo. Nos bastidores cruz-maltinos, a 777 Partners acumula polêmicas no Brasil e no mundo, a ponto de estar sendo processada nos Estados Unidos acusada de uma fraude bilionária.

No Vasco, os investimentos realizados até aqui não surtiram o efeito esperado. Com a demissão de Ramón Díaz, o Gigante da Colina não tem um treinador. Contra o Athletico-PR, a equipe cruz-maltina pareceu perdida. Uma expulsão boba só serviu para ajudar o Furacão a se impor ainda mais e somar outros três pontos na Série A.

Como foi Athletico Paranaense x Vasco pelo Brasileirão

Desde o primeiro minuto do 1º tempo, o Athletico dominou o Vasco, e Cuca nem teve muitas dificuldades para isso. O Furacão ficou com a posse de bola, pressionou a saída de bola do Gigante da Colina, que dava um verdadeiro show de horrores. Lá atrás, a defesa não conseguia marcar os adversários. Em cruzamentos, os donos da casa venciam quase todas as disputas.

Tudo desandou de vez aos 15 minutos, quando Hugo Moura recuou uma bola displicente do meio-campo para trás, mas entregou nos pés de Zapelli. No desespero de ver o Athletico Paranaense cara a cara com o goleiro, o volante do Vasco agarrou o adversário na entrada da área. A arbitragem não teve dúvidas e expulsou o atleta, o que abriu caminho para o passeio do Furacão.

Após fuzilar Léo Jardim e parar três vezes na trave, o Athletico-PR abriu finalmente o placar com uma bola lançada nas costas da zaga para Lucas Esquivel, que cruzou para a área e encontrou Erick, que só teve o trabalho de completar para o fundo da rede. O Vasco, por sua vez, estava uma bagunça em todos os sentidos e sequer conseguiu praticar futebol. O Furacão poderia ter uma vantagem ainda maior, mas pecou na pontaria, para o alívio do Gigante da Colina.

Até melhorou, mas…

O 2º tempo começou com um roteiro parecido: o Athletico em cima e o Vasco se defendendo como podia. De novo, a trave e Léo Jardim impediram novos gols. Justiça seja feita: o time carioca chegou a ser melhor em determinado momento da partida, tanto que, mesmo com um jogador a menos, passou a assustar o Furacão quando chegou ao ataque.

O Athletico Paranaense também pareceu ter se desligado por alguns minutos, e o Vasco chegou ao empate, mas gol foi anulado porque Vegetti estava impedido na hora do passe. Ao perceber o crescimento do Gigante da Colina no jogo, o Furacão voltou a arriscar finalizações. Contudo, nada mais mudou até o apito final.

Foto de Matheus Cristianini

Matheus Cristianini

Formado em Jornalismo pela Unesp, é apaixonado por esportes, acima de tudo futebol. Ama escrever sobre o que acontece dentro e fora de campo. Após passar por Antenados no Futebol, Bolavip Brasil, Minha Torcida e Esportelândia, se juntou à equipe da Trivela com muita vontade de continuar crescendo.
Botão Voltar ao topo