Brasileirão Série A

Cruzeiro volta a ‘engrossar’ contra time forte, mas segue deixando pontos no caminho

Cruzeiro repete sina no campeonato, perde partida na qual jogou bem contra time forte e vê um sinal de alerta ser ligado

Como dito num texto assinado por mim e publicado na Trivela no último dia 10 de agosto, o Cruzeiro já mostrou que pode jogar bem no Brasileirão, mas é urgente que essas boas partidas virem vitórias. Mesmo fazendo boas partidas, em especial contra equipes fortes, o time celeste soma somente duas vitórias nos últimos 13 jogos disputados no campeonato.

O Cruzeiro enfrentou o Palmeiras nessa segunda-feira (14) e viu, mais uma vez, uma atuação sólida se tornar frustração. Contra o Porco, o time celeste não teve o mesmo domínio apresentado contra o líder Botafogo, mas ainda assim esteve sólido em campo, conseguindo criar chances para ganhar o jogo. Mas no apito final que comemorou foram os palmeirenses presentes no Allianz Parque, que viram Flaco López marcar o gol da vitória alviverde aos 51 minutos do segundo tempo.

O resultado faz com que o Cruzeiro termine o primeiro turno na 12ª colocação, com 24 pontos. São sete pontos abaixo do G6 e seis acima da zona de rebaixamento. A posição ainda é intermediária na tabela, mas a crescente de times do pelotão de trás do campeonato, somada à dificuldade celeste de fazer resultados, não pode ser ignorada.

Frustrante, o placar da partida contra o Palmeiras se torna ainda mais incômodo quando o torcedor puxa na memória outras situações semelhantes neste Campeonato Brasileiro. Em diversos jogos, especialmente contra o pelotão de frente da competição, o Cruzeiro foi bem, mas tropeçou.

Contra Corinthians e Fluminense, bons jogos e derrotas que poderiam ter ido por um caminho de melhor sorte para o Cruzeiro. Ao enfrentar o Flamengo, bastaram alguns minutos ruins para que uma possível vitória surpreendente ficasse no empate. Muitos torcedores ainda não entendem como a Raposa não conseguiu tirar o zero do placar ao visitar o Internacional. Athletico-PR e Botafogo também conseguiram arrancar empates de um time celeste que esteve melhor em ambos os jogos.

Tropeços não tem sido compensados

Bem, se o Cruzeiro não consegue transformar os bons jogos contra equipes fortes em vitórias, a ideia é compensar os pontos perdidos com as equipes da parte de trás da tabela, não é? Poderia ser. Mas o time celeste tem enfrentado dificuldades contra tais adversários.

Adepto de um estilo de jogo rápido e incisivo, que busca explorar os espaços deixados pelos rivais, o time de Pepa sofre contra equipes mais fechadas, o que ilustra, inclusive, o desempenho ruim da Raposa em seus domínios.

Sem conseguir vencer adversários fortes e fracos, mesmo que mereça em algumas ocasiões, o Cruzeiro vê uma quantidade pequena de pontos ser somada e uma luz de alerta se acender.

O que o Cruzeiro precisa fazer para voltar a vencer?

O Cruzeiro tem pela frente uma sequência que foi positiva no primeiro turno. Veja os próximos adversários celestes:

  • 20ª rodada – Cruzeiro x Corinthians – 19/08 (sábado) – 21h – Mineirão
  • 21ª rodada – Grêmio x Cruzeiro – 27/08 (domingo) – 16h – Arena do Grêmio
  • 22ª rodada – Cruzeiro x RB Bragantino – 03/09 (domingo) – 18h30 – Mineirão
  • 23ª rodada – Santos x Cruzeiro – 13/09 (quarta) – 21h30 – Vila Belmiro
  • 24ª rodada – Fluminense x Cruzeiro – 23/09 (quarta) – 21h – Maracanã

No primeiro turno, o clube celeste venceu três dos cinco adversários acima e jogou bem todos estes jogos. Claro que muita coisa mudou de lá para cá, mas resultados positivos estão no horizonte da Raposa.

Há muitas rodadas Pepa vem dizendo já ter identificado os problemas da Raposa e o principal deles é a finalização. A criação de oportunidades contra times fechados, a dificuldade de sair de pressões altas com qualidade, falta de efetividade nas bolas aéreas ofensivas e lapsos de concentração na defesa são outros deles.

Resolver tudo isso, de uma só vez, é tarefa complicada. Ainda assim, Pepa precisa sanar alguns desses problemas de forma rápida. É importante demonstrar repertório e criatividade. Com um elenco curto, as opções são escassas, mas muitas vezes as vitórias parecem próximas, ao alcance do treinador português e de seus comandados. Resta ao técnico e seus jogadores conseguirem alcançá-las.

Jogar bem, fazer frente, sempre é bom, principalmente quando se tem um elenco mais modesto e barato, como é o caso do Cruzeiro. Ainda assim, em dezembro, o que valerão são os pontos somados. Pepa precisa fazer seu time jogar bem para vencer, mas é preciso vencer algumas vezes, jogando bem, ou não.

Foto de Maic Costa

Maic Costa

Maic Costa nasceu em Ipatinga, mas se radicou na Região dos Inconfidentes mineiros. Formado em Jornalismo na UFOP, em 2019, passou por Estado de Minas, Superesportes, Esporte News Mundo, Food Service News e Mais Minas. Atualmente, é setorista do Cruzeiro na Trivela.
Botão Voltar ao topo