Brasileirão Série A

3ª passagem de Luxemburgo pelo Corinthians deixa clube sem rumo e sem resultados

Treinador foi demitido em meio a disputa da semifinal da Copa-Sul Americana, torneio que é a única chance de título para o Corinthians no ano

A terceira passagem de Vanderlei Luxemburgo chegou ao fim sem conseguir os resultados esperados, e muito distante do que foram as duas anteriores. 

A demissão do treinador era iminente desde que o trabalho deixou de dar resposta, a realidade é que Luxemburgo estava há muito tempo na corda bamba, mas seguia no comando do time por ter conseguido as classificações na Copa do Brasil e Sul-Americana, ainda que o desempenho do time em campo fosse visivelmente abaixo do esperado. 

Após o empate em casa diante do Fortaleza por a 1 a 1, na partida de ida da semifinal da Sul-Americana, o presidente Duilio Monteiro Alves surpreendeu a torcida e escolheu esse momento para dar fim a situação do treinador no clube. Vale lembrar que, recentemente, o Corinthians ficou dez dias sem entrar em campo devido a pausa para a Data Fifa, período em que algumas diretorias acreditam ser o mais ideal para mudanças no comando.

Minutos após a queda de Luxemburgo, começou a se especular uma possível sinalização positiva de Tite quanto a um retorno ao clube, de acordo com informações apuradas pelo site “Meu Timão”. Difícil saber se Duilio foi seduzido pela ideia de ter o treinador mais vitorioso da história do clube de volta ao final de seu mandato, mas fica claro que o timing da demissão de Luxemburgo não foi o ideal (nem o esperado).

Luxemburgo chegou para abafar queda de Cuca

Contratado para abafar a terrível e problemática passagem de Cuca pelo Corinthians, Luxemburgo pegou um time sem padrão, e um clube com bastidores tensos e uma diretoria sem respaldo da torcida.

Mesmo tentando utilizar sua experiência e seu perfil despreocupado, Luxemburgo não conseguiu defender os resultados entregues pelo trabalho da sua comissão técnica. Com ele, o Corinthians não conseguiu se distanciar da zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro, foi superado pelo São Paulo na Copa do Brasil em um jogo de volta em que o time sequer agrediu o adversário e agora precisa superar um consistente Fortaleza, no Castelão, para chegar ao que seria uma surpreendente decisão continental.

Luxemburgo deixa o Corinthians na décima posição, do Campeonato Brasileiro, com 30 pontos, foram 38 jogos à frente do time, com 14 vitórias, 12 empates, 12 derrotas com um aproveitamento de 48%. Sob o comando do treinador, o time balançou as redes 42 vezes, mas também sofreu 40 gols.

A data Fifa poderia ter ajudado, mas o time continuou sem padrão

Luxemburgo chegou à Data Fifa completamente pressionado pela torcida. Bancado pela diretoria, a esperança era de que o treinador usasse os mais de 10 dias para ajustar o time, mas a realidade não foi essa.

Na primeira partida pós Data Fifa, supostamente treinado e descansado, o Corinthians optou por uma escalação mista e foi derrotado pelo Fortaleza no Ceará. No duelo seguinte, um empate alucinante com o Grêmio por 4 a 4 escancarou as fragilidades defensivas do clube, embora alguns poucos corinthianos otimistas pudessem ter visto o copo meio cheio: há tempos o ataque alvinegro não produzia tantos gols. 

Já no que seria um dos últimos respiros do Corinthians de Luxemburgo, o Corinthians bateu o Botafogo, líder isolado do Campeonato Brasileiro. Contudo, é importante ressaltar que o time paulista enfrentou uma equipe com 10 por mais de uma hora dentro da Neo Química Arena. Ainda assim, precisou novamente do talento de Renato Augusto – arma recorrente de Luxemburgo nos momentos de desespero – para marcar o único gol da partida.

Outro ponto problemático da passagem de Luxemburgo pelo Corinthians foi a sua comunicação. O treinador sempre chamava a atenção negativamente em suas entrevistas coletivas. Em certo momento, chegou a questionar um jornalista se ele, como técnico, precisaria sempre ‘analisar a partida’ em suas falas. Por vezes, chegou a irritar a torcida ao negar qualquer preocupação com rebaixamento no Campeonato Brasileiro, entre outras pérolas.

Classificações heróicas deram sobrevida ao treinador

É verdade que foi sob o comando de Luxemburgo que o Corinthians conseguiu as principais viradas da temporada em jogos de mata-mata. Logo no começo de sua passagem, o TImão virou uma improvável eliminatória contra o Atlético-MG, em que o time mineiro, ainda treinador por Coudet, fez de tudo para facilitar a vida dos paulitas.

Depois, o Corinthians ainda viraria contra o América-MG nas quartas de final da Copa do Brasil em mais um jogo iluminado de Renato Augusto em Itaquera. Na Sul-Americana, única frente em que Luxemburgo não deixou terra arrasada no clube, o alvinegro contou com Cássio, bolas na traves e pênaltis para chegar na semifinal.

Passagens anteriores foram vitoriosas 

A primeira vez que Luxemburgo comandou o time do Corinthians foi em 1998, quando conquistou o Campeonato Brasileiro em cima do Cruzeiro. Na mesma temporada, o Timão foi vice-campeão paulista.

A segunda passagem aconteceu três anos depois da sua saída. Após uma passagem pela Seleção Brasileira, Luxemburgo voltou ao Corinthians para conquistar o Campeonato Paulista em cima do Botafogo-SP. Ainda teria tempo de ser vice-campeão da Copa do Brasil diante de um Grêmio treinado pelo ainda pouco experiente Tite. 

Somando todas as passagens, agora o treinador tem 73 vitórias, 44 empates e 47 derrotas no comando do Corinthians,

Foto de Jade Gimenez

Jade Gimenez

Jornalista, fascinada por esporte desde a infância e transformou a paixão em profissão. Além do futebol, se mantem por dentro de outras modalidades desde Fórmula 1 até NFL. Trabalhou como repórter em TV e rádio cobrindo partidas de futebol, futsal e basquete.
Botão Voltar ao topo