Brasileirão Série A

Ausência de Thiago Maia é o ‘X da questão’ para Tite em Flamengo x Palmeiras

Escolha para manter sustentação no meio-campo do Flamengo será fundamental para Tite encontrar o caminho da vitória contra o Palmeiras

O Flamengo voltou de Fortaleza logo depois de vencer os donos da casa por 2 a 0, pela 32ª rodada do Campeonato Brasileiro, mas mal teve tempo de respirar. Ainda em maratona de jogos, o Rubro-Negro teve que iniciar a preparação para o confronto direto contra o Palmeiras, pensando em vaga na Libertadores, no dia seguinte ao retorno. O pouco tempo deixa Tite em sinuca de bico para montar o time, diante dos desfalques.

A principal baixa é Thiago Maia, que recebeu o terceiro amarelo diante do Fortaleza. Mesmo que Bruno Henrique esteja fora, também por suspensão, vejo a saída do volante como importante pela mudança na estrutura do Flamengo. Com o retorno de Gerson, Tite deve utilizar o Coringa como segundo volante, algo que deu certo em trabalhos anteriores, mas, com o treinador, não tem rendido frutos. Hora da Trivela analisar o que pode ser feito.

Como a mudança interfere no estilo de jogo do Flamengo

Assim que chegou ao clube, Tite identificou que o principal problema da equipe passava pela instabilidade do sistema defensivo. O Flamengo sofreu mais gols (69) do que teve de partidas (66) em 2023, passando pelos três trabalhos de treinadores: Vítor Pereira, Sampaoli e, agora, Adenor Bachi. O time até melhorou neste início de caminhada do gaúcho, mas passou muito pela decisão de ter uma dupla de volantes à frente da zaga.

Tite já citou, em outras coletivas, o tamanho da importância de Erick Pulgar e Thiago Maia para a sustentação do meio-campo e da defesa. Com eles, o Flamengo consegue manter a solidez, aprende a sofrer e consegue resultados positivos. Dos cinco jogos do treinador no Rubro-Negro, quatro tiveram a dupla como titular, e o retrospecto é excelente: três vitórias, uma derrota, oito gols marcados e apenas três sofridos.

  • 5 jogos à frente do Flamengo
  • 60% de aproveitamento (3 vitórias e duas derrotas)
  • +3 de saldo (8 gols marcados e 5 sofridos)

O problema é quando Tite mexe no esquema e tira um dos volantes para recuar Gerson. Foi assim contra Grêmio e Santos, justamente nos únicos dois resultados negativos deste início de passagem do comandante. Em Porto Alegre, o Flamengo até começou com Pulgar e Thiago Maia, mas um mal estar do chileno, somado ao cartão amarelo, fizeram com que o esquema fosse desmontado na etapa final. O resultado? Três gols sofridos em dez minutos e revés no Sul.

O amarelo de Pulgar rendeu suspensão automática para o jogo contra o Santos, e Tite voltou a confiar no esquema 4-2-1-3 para fechar o Flamengo, com Gerson mais recuado. O Rubro-Negro até abriu o placar em Brasília, com Pedro, mas sofreu o empate logo depois, em falha defensiva. O Coringa acabou expulso em lance duvidoso, e o Rubro-Negro foi castigado com um gol do Peixe no fim, para sacramentar mais uma derrota dolorida em 2023.

— A sustentação desses dois meio-campistas (Pulgar e Thiago Maia) tem sido fundamental na organização da equipe. Tenho a consciência dessa movimentação e mobilidade dos dois, a importância tática dos dois. Eu tenho a consciência e discernimento de saber do trabalho para que essa construção, inclusive de confiança no treinamento se prolongue. Inclusive para conhecer melhor os atletas e saber em que momento importante eles podem utilizados — disse Tite, após o clássico contra o Vasco.

Gerson funciona mais perto do gol

Desde que deixou o Flamengo rumo ao Olympique de Marselha, Gerson fez a transição de segundo volante para meia de criação. A mudança, promovida, inclusive, por Jorge Sampaoli, fez com que o jogador brasileiro ganhasse em estatísticas e presença. Ele consegue contribuir mais para a equipe quando está perto do gol e vive a segunda temporada mais artilheira da carreira: são seis tentos, além de outras nove assistências distribuídas.

A excelente fase como jogador que pensa o jogo e chega na área para definir renderam convocações para a Seleção Brasileira. O problema está quando ele retorna à função de segundo volante, já que seu poder de marcação diminuiu bastante nos últimos anos. É quase um desperdício delegar funções defensivas a um atleta com tantas proficiências ofensivas.

Gerson tem sido um dos poucos a viver grande fase no Flamengo de 2023 (Foto: Marcelo Cortes/CRF)

Rodrigo Caio pode ser solução?

Ainda que tenha outras opções no banco de reservas, como é o caso do jovem Victor Hugo, Tite tem utilizado um atleta fora de posição para compor o meio-campo. Quando necessário — foi assim nos últimos dois jogos — Rodrigo Caio é lançado e faz a função ao lado de Thiago Maia ou Pulgar, no intuito de manter a sustentação e características defensivas da dupla de volantes.

A entrada do zagueiro, mesmo que improvisado, pode ser uma solução no próximo compromisso do Flamengo, que será um confronto direto diante do Palmeiras, no Maracanã. Por se tratar de um time qualificado e com boas opções ofensivas, todo cuidado é pouco para os comandados de Tite. Uma vitória contra o Alviverde pode — quem sabe — recolocar o Rubro-Negro na briga pelo título brasileiro.

O grande problema é a falta de ritmo de Rodrigo Caio. Por mais que tenha sido importante nos últimos dois jogos, a entrada contra o Santos, na última quarta-feira (01), foi a primeira do defensor em mais de seis meses. A última vez que ele havia colocado as chuteiras e pisado dentro das quatro linhas tinha sido em abril, diante do Internacional, pela quarta rodada do Campeonato Brasileiro.

Rodrigo Caio disputou apenas 11 partidas pelo Rubro-Negro em 2023 (Foto: Divulgação/Flamengo)

Reforços e baixas no Flamengo

Além de Thiago Maia e Bruno Henrique, citados na matéria, o Flamengo ainda tem outros problemas para o jogo contra o Palmeiras. Filipe Luís está na mesma situação da dupla: recebeu o terceiro amarelo e está fora de ação. David Luiz e Allan, que seria uma opção para o meio-campo, estão entregues ao departamento médico do Rubro-Negro.

Em compensação, Tite conta com os retornos de Gerson, também citado, Wesley e, muito provavelmente, Gabigol. A dupla ficou de fora da viagem para Fortaleza por problemas clínicos e começou a preparação treinando normalmente com o grupo. O time titular será definido no treino desta terça-feira (07), véspera da partida, como tem sido rotineiro no trabalho de Adenor Leonardo Bachi.

Foto de Guilherme Xavier

Guilherme Xavier

Jornalista formado pela PUC-Rio. Da final da Libertadores a Série A2 do Carioca. Copa do Mundo e Olimpíada na bagagem. Passou por Coluna do Fla e Lance antes de chegar à Trivela, onde apura e escreve sobre o Flamengo desde 2023.
Botão Voltar ao topo