BrasilCampeonato Brasileiro

Azul na ponta

Quando começou o Campeonato Brasileiro, provavelmente ninguém apontou o Cruzeiro como um candidato ao título. Passadas seis rodadas, é a raposa que está na ponta da tabela, com 14 pontos, em quatro vitórias e dois empates. Está invicto, ao lado do Fluminense, além de ter a melhor defesa, com apenas três gols sofridos, junto com o rival Atlético Mineiro.

É inegável que é uma boa surpresa. Fruto de um time que é bem armado para jogar contra os adversários. Falando um português claro, Celso Roth faz o Cruzeiro primeiro se defender muito bem para depois pensar em atacar. Às vezes (ou quase sempre) ele é condenado por isso, é chamado de retranqueiro, mas é o básico do futebol. Qualquer time que precise ser remontado – e o Cruzeiro precisava MUITO – tem que pensar primeiro em se arrumar defensivamente.

Alguns dados desse Cruzeiro chamam a atenção. O clube tem o jogador que mais faltas cometeu no campeonato. Você pensou em algum volante, mas está errado. Com 24 faltas cometidas até aqui, Wellington Paulista é o jogador que mais vezes cometeu infrações. Não é por acaso. O Cruzeiro é também o time que mais faltas fez no Brasileiro. São 156 faltas em seis jogos – média de 26 por jogo.

O segundo colocado no quesito é, curiosamente, o Atlético Mineiro, também vice-líder do Brasileiro. São 133 faltas cometidas em seis jogos, pouco mais de 22 por partida. Não por acaso, os dois times são os que mais receberam cartões amarelos, com 20 cada um. Um número alto.

O time faz muitas faltas mas também rouba muitas bolas. Charles, volante do Cruzeiro, é o segundo jogador que mais desarma no campeonato. Foram 28 desarmes até aqui, perdendo apenas para Rivaldo, do Sport, que fez 34. É um time que morde muito, que incomoda o adversário e, por vezes, joga só para contra-atacar. Pode tornar o jogo chato em algumas vezes, mas tem sido eficiente. Perigosamente eficiente, é verdade, porque o time pode sofrer com o excesso de faltas e de cartões.

O Cruzeiro de Celso Roth depende muito de Walter Montillo. É um perigo, mas é também um alento, já que poucos times podem depender de um jogador tão bom. Se o camisa 10 conseguir manter um bom nível de atuações, pode levar o Cruzeiro a uma campanha tranquila. Para ir além disso, precisará de mais do que já tem, com reforços que tornem o elenco melhor, mais qualificado e capazes de tirar o peso das costas de Montillo. Ou, ao menos, facilitar para o argentino.

Título? Está muito longe. Libertadores? Ainda é um sonho. Mas para um time que quase foi rebaixado em 2011 e começou 2012 de maneira ridícula, o início do Brasileiro é animador e pode significar que, desta vez, o sufoco passará longe.

Curtas

– O Atlético Mineiro também surpreende com sua campanha de vice-líder. Assim como o arquirrival, é um time que mostrou que dá trabalho e é difícil para ser vencido. E, assim como o rival, precisa saber que essa posição não é natural, que o time precisará fazer ainda muito mais para se manter no grupo dos quatro primeiros. É possível, já que não temos nenhum grande esquadrão no campeonato, mas é preciso cautela.

– O Santos é um dos que pode começar a se preocupar. O time tem um elenco pior do que acha que tem. Só está entre os melhores times do país porque tem o melhor jogador. O time tem bons jogadores, mas que são parecidos com boa parte dos times. Vai ter dificuldades para brigar por uma posição na Libertadores, embora, claro, seja um dos candidatos.

– O Fluminense é quem mostra a maior curva ascendente. É o melhor elenco do país e com seus jogadores rendendo, a tendência é que o time fique entre os primeiros lutando pelo título. Em quinto lugar e já a dois pontos dos líderes, é de se imaginar que o time assuma essa posição de favorito já nas próximas rodadas.

– O Vasco, apesar da derrota para o Cruzeiro, é outro que tem tudo para brigar entre os primeiros.

– Já o São Paulo parece que sofrerá muito para chegar aos primeiros lugares, se é que conseguirá. Não tem um elenco tão ruim, mas muitos jogadores são supervalorizados e o time é absolutamente previsível. Não sabe sair de situações difíceis e não consegue improvisar.

– O Corinthians ainda tem muito espaço para se recuperar, é verdade, mas já são dez pontos de diferença para o líder. Pode ser que a diferença seja grande demais, mas como o campeonato é bem equilibrado e sem um time que esteja acima dos demais, é possível que o time chegue. Depende da motivação. E isso só saberemos após a Libertadores.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo