Ásia/Oceania

Tudo igual

A atual temporada da A-League é sem dúvida a melhor desde a primeira edição, em 2004. Na última rodada, que tem início nesta sexta com Newcastle Jets x Perth Glory, todos os quatro times chegam empatados com 31 pontos. O quinto colocado, o atual campeão Melbourne Victory, soma 26 pontos e não pode mais ficar entre os quatro primeiros. Com isso, as semifinais da A-League já estão definidas.

Mas isso não quer dizer que não teremos emoção nas últimas partidas. Isso porque Queensland Roar, Sydney FC, Central Coast, que liderou boa parte da liga, e Newcastle Jets querem ter a vantagem de decidir o segundo jogo em casa. E mais. Querem terminar nas duas primeiras posições. Explica-se.

Na A-League existem dois tipos de semifinais: a Major e a Minor, ambas em jogos de ida e volta. Os dois primeiros colocados disputam a Major, sendo que o vencedor se garante na decisão, a Grand Final. O perdedor da Major espera o vencedor da Minor, jogada entre o terceiro e quarto lugares da Temporada Regular. Essas duas equipes jogam uma final antecipada em jogo único (Preliminary Final), para definir o outro finalista. A Grand Final será realizada, também em jogo único, no dia 24 de fevereiro.

A 21ª e última rodada da Temporada Regular segue sábado com Central Coast x Wellington. Domingo jogam Sydney FC x Melbourne Victory e Adelaide United x Queensland Roar. Confira alguns detalhes dos quatro semifinalistas, lembrando que ainda resta uma rodada para acabar a temporada regular.

Queensland Roar (Cidade: Brisbane)
Queensland Roar Football Club
Estádio: Suncorp Stadium (52.500)
Campanha: 8 vitórias, 7 empates e 5 derrotas
Técnico: Frank Farina
Destaque: Craig Moore (zagueiro)
Brasileiro(s): Marcinho (meia) e Reinaldo (atacante)

Sydney (Cidade: Sydney)
Sydney Football Club
Estádio: Sydney Football Stadium (45.500)
Campanha: 8 vitórias, 7 empates e 5 derrotas
Técnico: John Kosmina
Destaque: Alex Brosque (atacante)
Brasileiro(s): Juninho Paulista (meia) e Patrick (atacante)

Central Coast (Cidade: Gosford)
Central Coast Mariners
Estádio: Bluetongue Central Coast Stadium (20.059)
Campanha: 9 vitórias, 4 empates e 7 derrotas
Técnico: Ian Ferguson
Destaque: John Aloisi (atacante)
Brasileiro(s): nenhum

Newcastle Jets (Cidade: Newcastle)
Newcastle United Jets Football Club
Estádio: Energy Australia Stadium (26.000)
Campanha: 8 vitórias, 7 empates e 5 derrotas
Técnico: Gary Van Egmond
Destaque: Joel Griffiths
Brasileiro(s): Denni (meia) e Jardel (atacante)
Mudanças na O-League

A derrota por 3 a 1 do Waitakere United para o Sepahan no último Mundial de Clubes da Fifa fez a entidade máxima do futebol repensar sobre a participação de um time da Oceania na competição para esse ano. Como a Trivela noticiou no último dia 12 de dezembro, o presidente Joseph Blatter declarou que o campeão da Oceania corre o risco de ficar de fora das próximas edições do Mundial de Clubes devido, justamente, ao fraco desempenho da equipe neozelandesa na última edição.

Com o “puxão de orelha”, a Confederação da Oceania se agilizou. É quase certo que o Wellington Phoenix irá entrar na O-League ainda na atual edição. Como a Fifa deu um prazo de dois anos para que o continente melhore a qualidade de suas equipes, ou corre o risco de ficar fora do Mundial, o time neozelandês é o único com condições de participar.

O Phoenix nunca disputou a O-League até agora porque joga a A-League, na Austrália, que agora tem o controle da Confederação Asiática. No entanto, o clube foi julgado inelegível a participar da Liga dos Campeões da Ásia porque está localizado na Nova Zelândia, país da Oceania.

Passado isso, ficou previamente decidido que o clube não participaria da atual edição da O-League porque a mesma já está bastante evoluída. Mas com o aviso da Fifa, o Phoenix poderá entrar na fase final, junto com os primeiros colocados dos dois grupos. Os três jogariam entre eles em jogos de ida e volta.

Apesar da grande oportunidade, o Wellington Phoenix entraria em campo no final de abril, durante suas férias. Para a federação neozelandesa, a participação do time não teria problema, mas para o Auckland City e o próprio Waitakere United, times do país que estão na atual O-League, sim. Eles consideram o nível do Phoenix maior e também não querem perder a chance de participar do Mundial.

A decisão final pode sair no final do mês, quando o presidente da Confederação da Oceania Reynald Temarii visitará a Nova Zelândia.

Confusão em Fiji

Oito jogadores da seleção olímpica de Fiji foram afastados e multados após a preparação do time para os Jogos Olímpicos no último final de semana. Eles fugiram da concentração para beber.

Apisome Turuva e Noa Seru, do Labasa, Jone Vesikula e Jone Sorolo, do Ba FC, Samuel Kautoga, Taniela Waqa, Ben Kumar, todos do Navua, e Seremaia Nadusitu receberão uma multa entre $10,000 e $18,000 e uma suspensão da seleção nacional de cinco anos.

Os jogadores foram ousados. Eles pularam um muro de arama farpado com quase três metros na academia de futebol em Namosau antes de irem para Lautoka, onde um dos atletas mora.

O presidente da Fiji Football Association ainda revelou para a imprensa que viu cinco jogadores fumando na academia no sábado. Turuva, Vesikula e Kautoga já jogaram pela seleção principal e acabaram com o sonho de disputar uma Olimpíada. “Os jogadores voltaram intoxicados às 4:45 da manhã seguinte”, disse o médico Sahu Khan.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo