Ásia/Oceania

Trivela apresenta a K-League

O futebol sul-coreano protagonizou a maior façanha da história do futebol asiático com o 4º lugar na Copa do Mundo de 2002. Os ‘Guerreiros Taegeuk’ já deixaram de ser o saco de pancadas do passado e seu estilo de jogo vertiginoso e de muita aplicação já é respeitado por qualquer oponente ao redor do mundo.

O nome oficial do campeonato nacional do país – K-League – entrou em vigor em 1994, um ano depois da J-League, dos vizinhos japoneses. Antes, se chamava Korean Super League, sendo disputada desde 1983.

A Trivela traz abaixo o perfil das 14 equipes que começam a temporada 2008, e são muitos brasileiros – a maioria esmagadora é de atacantes.
 

Seongnam Ilhwa Chunma

É uma das maiores potencias do futebol asiático contemporâneo e o maior ganhador de títulos da Liga. O ‘Pegasus’, treinado por Kim Hak-Beon, tem uma boa base de jogadores da seleção escorados pelos atacantes brasileiros Dudu e Mota. É sempre uma força, é sempre sinônimo de sucesso em território sul-coreano.

CIDADE: Seongnam, em Gyeonggi.
POSIÇÃO NA K-LEAGUE 2007: Vice-campeão
ESTÁDIO: Seongnam 2 Stadium, 16 mil pessoas.
TREINADOR: Kim Hak-Beon, 46 anos. O melhor técnico local da atualidade.
ESTRELA: Mota, atacante, 27 anos. Um dos destaques do ótimo Cruzeiro de 2003 é um dos astros da K-League.
BRASILEIROS NA EQUIPE: Dudu (atacante, ex-Cruzeiro) e Mota (atacante, ex-Fortaleza e Cruzeiro).

Pohang Steelers

Os atuais campeões terão um ano estafante levando-se em conta o principal plano traçado para 2008: ganhar a Liga dos Campeões da Ásia. O jovem treinador carioca Sérgio Farias perdeu o articulador Andrézinho, ex-Flamengo, e negociado com o Internacional, mas chegaram reforços importantes (para os padrões locais) como Denílson e Clodoaldo.

CIDADE: Pohang.
POSIÇÃO NA K-LEAGUE 2007: Campeão
ESTÁDIO: Steelyard, 20 mil pessoas.
TREINADOR: Sérgio Farias, 40 anos. Trabalhou bastante com jovens nos clubes e seleções que dirigiu no passado. Com o titulo ganho em 2007, vive um momento dourado na sua carreira.
ESTRELA: Denílson, atacante, 31 anos. O atacante baiano chega do Daejeon Citizens para, enfim, consolidar seu grande momento na K-League.
BRASILEIROS NA EQUIPE: Denílson (atacante, ex-Galicia), Clodoaldo (atacante, ex-Corinthians), Fabiano (atacante, ex-Marilia).

Suwon Samsung Bluewings

As saídas de dois símbolos como o volante Kim Nam-Il (Vissel Kobe-JAP) e o atacante Jung Ahn-Hwan (Busan Park) não abalaram as estruturas de um dos clubes mais populares e vitoriosos da região. Com uma plausível mescla de figuras experientes e valores firmes para o futuro, não é inteligente duvidar do ‘Bluewings’.

CIDADE: Suwon, Gyeonggi.
POSIÇÃO NA K-LEAGUE 2007: 4º lugar
ESTÁDIO: Big Bird Stadium, 43 mil pessoas.
TREINADOR: Cha Bum-Kun, 54 anos. Simplesmente o maior jogador asiático do século XX. Poucos sabem, mas ‘Tscha Boom’, como era chamado pela imprensa germânica, fez um grande sucesso nos anos 1980 na Alemanha jogando pelo Eintracht Frankfurt e Bayer Leverkusen.
ESTRELA: Nadson, atacante, 27 anos. Ágil, explosivo e faz gols. Acima da média local.
BRASILEIROS NA EQUIPE: Edu (atacante, ex-Náutico) e Nadson (atacante, ex-Vitória e Corinthians).

Ulsan Hyundai Horang

A imprensa coreana considera a equipe cada vez mais fraca desde que levantou a taça pela última vez, em 2005. A aposta no talento brasileiro no setor ofensivo com o ótimo Luizinho encostando na dupla Brasília e Leandrão será o caminho para desbancar os favoritos Seongnam, Steelers e o Suwon.

CIDADE: Ulsan.
POSIÇÃO NA K-LEAGUE 2007: 3º lugar
ESTÁDIO: Big Crown, 45 mil pessoas.
TREINADOR: Kim Jung-Nam, 65 anos. É o técnico mais experiente em atividade no país. Também foi jogador da seleção nos anos 1960.
ESTRELA: Leandrão, atacante, 24 anos. Desde 2004 no Oriente, será o quinto clube que o ex-botafoguense defenderá depois de Vissel Kobe, Daejeon Citizens, Ulsan Hyundai e Chunnam Dragons.
BRASILEIROS NA EQUIPE: Brasília (atacante, ex-Fluminense), Luizinho (atacante, ex-Daegu), Leandrão (atacante, ex-Botafogo).

Chunnam Dragons

Depois do fiasco em 2007, a Diretoria trouxe 18 jogadores, a maioria de universidades. Nota-se que falta uma gama maior de bons futebolistas locais e um treinador acostumado a vencer para se juntar aos favoritos. Chegar entre os cinco será um grande resultado para os dragões.

CIDADE: Gwangyang.
POSIÇÃO NA K-LEAGUE 2007: 10º lugar.
ESTÁDIO: Dragon Dungeon, 14 mil pessoas.
TREINADOR: Park Hang-Seo, 49 anos. Disciplinador e organizado. Mas ainda não triunfou na carreira.
ESTRELA: Sandro Hiroshi, atacante, 28 anos. Veloz e driblador, é o elemento que a equipe procura para desequilibrar as partidas.
BRASILEIROS NA EQUIPE: Sandro Hiroshi (atacante, ex-São Paulo), Adriano Chuva (atacante, ex-Palmeiras) e Victor Simões (atacante, ex-Figueirense).

Jeonbuk Motors

Apesar do proclamado titulo da Liga dos Campeões da Ásia 2006, os ‘greens’ nunca foram uma equipe de chegada na K-League. O time do brasileiro Zé Carlo, ex-Ponte Preta, costuma se dar melhor em competições de ‘mata-mata’. Para apagar essa deficiência repatriou o atacante Cho Jae-Jin, que estava muito bem no Shimizu S-Pulse-JAP e é da seleção sul-coreana.

CIDADE: Jeonju, em Jeonbuk.
POSIÇÃO NA K-LEAGUE 2007: 8º lugar.
ESTÁDIO: Jeonju Castle, 43 mil pessoas.
TREINADOR: Choi Kang-Hee, 48 anos. Bastante competitivo e com experiência acumulada em torneios locais e na seleção – como jogador e técnico.
ESTRELA: Stevica Ristic, atacante, 25 anos. Depois de surgir arrasando na Liga da Macedônia – seu país de origem – chegou muito bem na Coréia do Sul. Carismático e goleador.
BRASILEIROS NA EQUIPE: Zé Carlo (atacante, ex-Ponte Preta).

Busan Park

Quando as coisas não vão bem alguns clubes recorrem as lendas do passado. Assim também é a filosofia do Busan, que vem colecionando fracassos nos últimos anos. Com a vinda do técnico Sun-Hong, ex-estrela do time nos anos 90 e do atacante Ahn Jung-Hwan, também cria do clube, as esperanças se abastecem mais uma vez.

CIDADE: Busan.
POSIÇÃO NA K-LEAGUE 2007: 12º lugar.
ESTÁDIO: Asiad Main Stadium, 54 mil pessoas.
TREINADOR: Hwang Sun-Hong, 39 anos. Um dos maiores futebolistas da história do país. Jogou quatro Copas – 1990, 94, 98 e 2002 – e promete muito como técnico.
ESTRELA: Ahn Jung Hwan, atacante, 32 anos. O herói da vitória contra os italianos na Copa de 2002 retorna ao clube onde começou a carreira.
BRASILEIROS NA EQUIPE: Sousa (meio-campista, ex-Ceará) e Reinaldo (atacante, ex-América/MG e Corinthians/AL).

Incheon United

Sem muita verba para robustecer o plantel, um dos poucos clubes que não tem brasileiros na Coréia do Sul apostará no talento e na rápida adaptação de Verselinovic, ex-seleção sub-21 da Sérvia. Com o retorno do entusiástico técnico Woe Ryong, a equipe ganha fôlego para subir mais na tabela em relação a 2007.

CIDADE: Incheon.
POSIÇÃO NA K-LEAGUE 2007: 9º lugar.
ESTÁDIO: Incheon Munhak Stadium, 50 mil pessoas.
TREINADOR: Chang Woe-Ryong, 48 anos. Começou a carreira no Japão e depois de passar 2007 estudando na Inglaterra está de volta ao ‘In Utd’.
ESTRELA: Borko Verselinovic, meia, 22 anos. Promessa sérvia oriunda da prolífica base do Partizan. Chega para ‘dar o toque de diferença’.
BRASILEIROS NA EQUIPE: Nenhum.

FC Seoul

Teve um inicio arrasador em 2007, mas foi caindo gradualmente. Tem dois talentos de enorme potencial para surpreender no futuro – Park Chu Young e Ki Sung-Yong. Com um treinador acima da média local, tem capacidade comprovada para ser uma surpresa nesta edição.

CIDADE: Seoul.
POSIÇÃO NA K-LEAGUE 2007: 5º lugar.
ESTÁDIO: Seoul World Cup Stadium, 67 mil pessoas.
TREINADOR: Senol Gunes, 55 anos. Ex-técnico da sensacional Turquia da Copa do Mundo (Coréia-Japão) de 2002. A Coréia do Sul parece trazer bons fluidos para o melhor treinador europeu de 2002. Chegou ano passado e ficará mais um ano.
ESTRELA: Park Chu-Young, atacante, 22 anos. Eleito melhor jovem da Ásia em 2004, é um futebolista diferenciado. Combina altura, velocidade e disparos certeiros. Membro da seleção do país.
BRASILEIROS NA EQUIPE: Adilson (zagueiro, ex-Paraná).

Daejeon Citizens

Cometeu um erro enorme ao negociar o trio de atacantes brasileiros Denílson, Adriano Chuva e Brasília, responsáveis diretos pela boa campanha ano passado. Agora, ainda sob a batuta do experiente técnico Kim Ho, tenta juntar os cacos e se manter firme na caça aos gigantes do futebol sul-coreano.

CIDADE: Daejeon.
POSIÇÃO NA K-LEAGUE 2007: 6º lugar.
ESTÁDIO: Purple Arena, 41 mil pessoas.
TREINADOR: Kim Ho, 63 anos. Foi quem levou a Coréia do Sul a Copa de 1994, nos Estados Unidos. Conhecedor profundo do futebol local, é o homem ideal para levar o Citizens a patamares mais destacados.
ESTRELA: Ko Jong-Soo, meia, 29 anos. Já foi considerado o futebolista mais técnico do país, mas eclipsou-se. Depois do anonimato, ressurgiu com força total vestindo a camisa do Citizens.
BRASILEIROS NA EQUIPE: Castor (meia)

Daegu FC

O clube mais jovem da competição – fundado em 2002 – dependerá mais um ano do talento brasileiro. Os desconhecidos Alexandro e Jou Silva terão que se desdobrar para manter o clube da região central longe dos últimos lugares.

CIDADE: Daegu.
POSIÇÃO NA K-LEAGUE 2007: 13º lugar.
ESTÁDIO: Blue Arc, 66 mil pessoas.
TREINADOR: Beoun Byung-Ju, 46 anos. Como jogador esteve em duas Copas: 1986 e 1990. Tenta fazer milagre na equipe da quarta maior cidade do país.
ESTRELA: Lee Keun-Ho, atacante, 22 anos. Revelado no Incheon United, já é estrela na seleção olímpica e um valor firme para a seleção principal, onde já acumula quatro jogos e um gol.
BRASILEIROS NA EQUIPE: Alexsandro (atacante, ex-Coruripe/AL), Ênio (atacante) e Jou Silva (atacante, ex-ADAP/PR).

Gwangju Sangmu

Com um moderno estádio que homenageia o técnico holandês Guus Hiddink, que contribuiu barbaramente com o desenvolvimento do futebol sul-coreano, o ‘Phoenix’, que tem origens militares, é o único clube da K-League que não contrata estrangeiros. Investindo puramente no talento local, ainda está longe de conseguir alguma proeza no cenário nacional.

CIDADE: Gwangju.
POSIÇÃO NA K-LEAGUE 2007: 14º lugar.
ESTÁDIO: Guus Hiddink Stadium, 44 mil pessoas.
TREINADOR: Lee Kang-Jo, 53 anos. Desde 1990 é técnico do clube. Uma lenda do ‘Phoenix’.
ESTRELA: Park Kyu-Seon, meia, 26 anos. Fez parte da seleção olímpica da Coréia do Sul, em 2004. Disparado o melhor do elenco.
BRASILEIROS NA EQUIPE: Nenhum.

Jeju United

O objetivo do clube da ilha de Seogwipo é terminar, no mínimo, no meio da tabela. Com a chegada do mago brasileiro Arthur Bernardes, um profundo conhecedor do futebol asiático, a tarefa se torna mais fácil. Mais ainda se considerarmos a presença de outros brasucas no plantel.

CIDADE: Seogwipo, em Jeju-Do.
POSIÇÃO NA K-LEAGUE 2007: 11º lugar.
ESTÁDIO: Seogwipo World Cup Stadium, 34 mil pessoas.
TREINADOR: Arthur Bernardes, 54 anos. O brasileiro tem vasta experiência na Ásia e na África. Chega para embalar a pequena equipe de Jeju-Do.
ESTRELA: Ricardinho, atacante, 23 anos. Revelado no Santa Cruz e com passagens por Palmeiras e Grêmio, é a referencia técnica do grupo.
BRASILEIROS NA EQUIPE: Rômulo (meia, ex-Criciúma e Remo), Paty (atacante, ex-Olaria e Noroeste) e Ricardinho (atacante, ex-Santa Cruz e Grêmio).

Gyeongnam FC

Depois do bom 7º lugar de 2007, o clube perdeu os três principais responsáveis pela façanha da última Liga: o técnico Park Hang-Seo, o meia Popó e o artilheiro Cabore. Repetir o que aconteceu no último ano será extremamente difícil.

CIDADE: Changwon.
POSIÇÃO NA K-LEAGUE 2007: 7º lugar.
ESTÁDIO: Changwon Civil Stadium, 27 mil pessoas.
TREINADOR: Cho Kwang-Rae, 54 anos. Tem experiência, mas ganhou muito pouco. Chega com a árdua incumbência de manter o clube na metade de cima da tabela.
ESTRELA: Park Jae-Hong, defensor, 29 anos. Estava ‘encostado’ no Cluj, da Romênia, e retorna para casa, desta vez, numa equipe menor. Jogou alguns anos na seleção.
BRASILEIROS NA EQUIPE: Rogério Pinheiro (zagueiro, ex-São Paulo).
 

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo