Ásia/Oceania

Quando o futebol e o futuro das nações se interferem

A Confederação Asiática de Futebol (AFC) tem um projeto de evolução bastante definido em se tratando de competições internacionais envolvendo clubes. Além da Liga dos Campeões da Ásia, principal torneio do continente (veja o Guia Trivela), a entidade promove outros dois campeonatos.

Espécie de segunda divisão, a AFC Cup reúne os países que ainda não apresentam condições de jogar a Liga dos Campeões, tendo como base critérios bem definidos, como número de times na primeira divisão, interferência do governo no futebol, entre outros. Ainda há a Presidents Cup, que abrange os países que não se encaixam nos critérios dos dois primeiros, considerados emergentes pela AFC – nem todos entram nesta categoria, como o Afeganistão, por exemplo.

Ao final de cada temporada, as federações nacionais que se sentirem aptas a jogar uma competição de nível superior podem protocolar o pedido junto à Confederação Asiática, que faz a análise e dá o veredicto. Nos últimos anos, alguns países puderam ascender na hierarquia dos torneios continentais, um importante passo rumo à evolução das próprias seleções nacionais.

Mianmar

Criada em 2005, a Presidents Cup passou a contar com times birmaneses em 2008, quando o Kanbawza representou o país do sudeste asiático, de 60 milhões de habitantes. Acabou eliminado na fase de grupos, perdendo a vaga na fase final nos gols-pró. A melhor campanha de um time de Mianmar ocorreu em 2010, com o Yadanabon.

A equipe venceu o Grupo C, fazendo 11 gols e não levando nenhum, encarando o Vakhsh (Tadjiquistão) nas semifinais. Novo triunfo levou à disputa do título, contra o Dordoi Dynamo (Quirguistão). Um com gol na prorrogação bastou, o único troféu do país no torneio, pois em novembro de 2011 a federação birmanesa ganhou o direito de que seus clubes jogassem na AFC Cup do ano seguinte.

É verdade que o primeiro capítulo dessa nova história não foi muito bom. Pelo Grupo G, o Yangon United terminou na lanterna, com apenas dois pontos, atrás de Chonburi (Tailândia), Home United (Indonésia) e Citizen (Hong Kong). No Grupo H, o Ayeyawady United também segurou a última posição, mas surpreendeu, sendo eliminado apenas pelo confronto direto diante de Arema (Indonésia) e Navibank Saigon (Vietnã) – todos com sete pontos.

Na atual temporada (2013), o Yangon United começou avassalador, com vitória de 3 a 0 sobre o Persibo Bojonegoro (Indonésia), em casa – completam o Grupo F New Radiant (Ilhas Maldivas) e Sun Hei (Hong Kong). Na chave G, o Ayeyawady United enfentará Da Nang (Vietnã), Kelantan (Malásia) e Maziya (Ilhas Maldivas).

Jogos mais difíceis para os clubes do país, base da seleção nacional, são grande oportunidade para os jovens birmaneses (média de 20,9 anos, com dez jogadores somando-se os dois times), ganharem experiência. Ainda é cedo para falar em evolução, mas o primeiro passo já foi dado.

Tadjiquistão

Os clubes tadjiques são os maiores vencedores da AFC Presidents Cup. O Regar TadAZ possui três troféus, todos sobre o Dordoi Dynamo (Quirguistão). A final mais tranquila foi em 2005, 3 a 0 sobre o adversário, enquanto três anos depois o maior time do país teve de suar a camisa para derrotar os quirguizes por 4 a 3, nos pênaltis, após empate a um gol.

Em 2012, o Istiqlol encarou a surpresa Markaz Shabab Al Am’ari (Palestina) e faturou o título, vencendo por 2 a 1, de virada. Em 2013, os clubes do Tadjiquistão terão a chance de enfrentar oponentes mais gabaritados, já que a AFC confirmou o upgrade do país para a AFC Cup.

O Regar TadAZ jogaria a fase preliminar, mas foi beneficiado pela desistência do Al Muharraq (Bahrein), entrando diretamente no Grupo A, ao lado de Safa (Líbano), Al Kuwait (Kuwait) e Al Riffa (Bahrein). O primeiro jogo será em 5 de março, contra os libaneses, fora de casa. E o curioso é que o Regar TadAZ conta com estrangeiros interessantes…

Os destaques vão para dois brasileiros: o zagueiro Fábio Tocha, ex- 7 de Setembro (Mato Grosso do Sul) e interior paulista, e o atacante Elton Santos, que vestiu a camisa do São José (São Paulo). Há ainda três africanos e dois uzbeques.

A base do Ravshan Kulob, atual campeão nacional, é de tadjiques, mas pode-se destacar o atacante ganês Felix Baffoe, que jogou pelo Hearts of Oak (Gana). A seleção nacional, comandada pelo sérvio Nikola Kavazovic, tem elenco dividido entre Regar TadAZ (sete atletas) e Istiqlol (12), e terá a chance de continuar evoluindo com as eliminatórias para a AFC Challenge Cup 2014, torneio das seleções periféricas, que classifica o campeão para a Copa da Ásia. Tamanha responsabilidade têm os clubes de Mianmar e Tadjiquistão na evolução do futebol dos respectivos países.

Curtas

– Índia, Jordânia, Cingapura e Vietnã tentaram levar seus times para a LC da Ásia, mas a entidade que rege o futebol do continente negou os pedidos. Já Filipinas foi aprovada na AFC Presidents Cup e o atual campeão nacional (Global FC) terá a honra de representar o país.

– Já houve zebra na fase preliminar da LC da Ásia 2013. Os iranianos do Saba Qom jogaram em casa contra os emirantenses do Al Shabab Al Arabi, perdendo nos pênaltis (5 a 3). Os brasileiros Ciel e Edgar converteram suas cobranças. O Al Nasr (Emirados Árabes) passou aperto, mas derrotou o Lokomotiv Tashkent (Uzbequistão) por 3 a 2, com gol de pênalti de Léo Lima, aos 44 minutos do segundo tempo. Outro resultado surpreendente foi o da eliminação do Brisbane Roar (Austrália) pelo Buriram United (Tailândia), nas penalidades máximas (3 a 0), após empate sem gols.

– Na primeira rodada da fase de grupos, os times do Uzbequistão surpreenderam. Pelo Grupo B, o Pakhtakhor (Uzbequistão) venceu o Al Ittifaq (Arábia Saudita) por 1 a 0, em casa, ao passo que o Bunyodkor derrotou o Sanfreece Hiroshima (Japão), por 2 a 0, fora, pela chave G. O empate do Buriram contra o Vegalta Sendai (Japão) por 1 a 1, fora de casa, foi ótima largada para os tailandeses, assim como a igualdade entre Muangthong United (Tailândia) e Jeonbuk (Coreia do Sul), em 2 a 2, com gol de empate dos tailandeses aos 44 do segundo tempo.

– Menção honrosa para o atacante montenegrino Dejan Danjanovic, do Seoul (Coreia do Sul), autor de dois gols na goleada de 5 a 1 sobre o Jiangsu Sainty (China). Ele divide a artilharia com o saudita Omal Al Ghamdi (Al Shabab) e com o sul coreano Yun Il Lok (Seoul).

Mostrar mais

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo