Ásia/Oceania

O show de bicicletas da rodada serviu até mesmo para Jong Tae-se voltar à cena

Jong Tae-se é um personagem marcante da Copa do Mundo de 2010. O destaque da Coreia do Norte no Mundial nasceu no Japão e ficou marcado pelo choro durante a execução do hino nacional do país de seus pais. Sua trajetória pelos Chollima se encerrou em 2011, mas ele continua se aventurando no futebol, aos 33 anos. Então jogador do Bochum, o atacante passou por Colônia e Suwon Samsung Bluewings. Já em 2015, voltou a sua terra-natal, para defender o Shimizu S-Pulse. E, assim como Sassá ou Diego Souza, também pedalou no final de semana.

Depois de um desempenho modesto em sua primeira temporada, chegando no meio do campeonato e sem conseguir evitar o rebaixamento do Shimizu, Jong Tae-se foi o grande destaque da segundona em 2016. Artilheiro da competição, balançou as redes 26 vezes e foi eleito o jogador do mês em três oportunidades. Não à toa, garantiu o acesso de sua equipe. Já no início da J-League 2017, o veterano vem se saindo bem. Marcou três gols nas primeiras cinco rodadas, incluindo o deste sábado, na derrota por 3 a 1 para o Jubilo Iwata. O tento só saiu aos 49 do segundo tempo, quando as esperanças eram em vão. Mas a categoria de Tae-se na manobra merece os aplausos:

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo