Ásia/Oceania

O melhor está de volta!

A principal competição interclubes do continente retorna com força total esta semana. São as quartas-de-final da Liga dos Campeões da Ásia 2008.
Com exceção do Urawa Red Diamonds, atual campeão (foto) que entra diretamente nesta fase, os outros clubes nunca ganharam o troféu mais badalado do território asiático.

A expectativa é de ver se o trio de japoneses – Urawa, Kashima e Gamba – conseguem promover uma hegemonia na competição ou se haverá um campeão inédito vindo de Oriente Médio, Ásia Central ou Oceania. Confira abaixo, uma rápida análise dos jogos desta etapa.

Kashima Antlers x Adelaide United
(Japão)                 (Austrália)

É um dos confrontos mais aguardados desta fase. O Kashima Antlers, atual campeão japonês e dirigido por Oswaldo de Oliveira, esmagou adversários frágeis na fase de grupos e agora terá seu ‘batismo de fogo’.

 É provável que o técnico brasileiro mude o desenho tático do 4-4-2 habitual da J-League para o 4-2-3-1 tendo o centroavante Marquinhos como única referência ofensiva sustentado por Motoyama, Danilo e Koroki. O título da LC Asiática é a grande meta do ano.

No instável time australiano, dirigido pelo ex-atacante da seleção Aurélio Vidmar, a confiança impera. O ‘United’ começou muito bem a temporada 2008/9 da A-League (Campeonato Australiano) e deve complicar a vida dos orientais se conseguir manter regularidade exibicional nos dois jogos. Se o fizer, equilibra a disputa, pois na teoria, os nipônicos são favoritos.

FC Bunyodkor x Saipa FC
(Uzbequistão)     (Irã)

O clube uzbeque está se tornando o novo titã do futebol asiático. Com apenas três anos de existência passou dos torneios amadores regionais ao atual momento onde lidera a Liga Nacional e conta com a neo-aquisição de Rivaldo.

O meia-atacante brasileiro, um dos melhores futebolistas do mundo nos últimos 15 anos, já estreou marcando dois gols contra o Marsh´al pelo campeonato local justificando os 10 milhões de euros – quantia elevada para um jogador de 36 anos.

O time iraniano, mais modesto, vem cambaleando na liga nacional e sente as mudanças da equipe que se reformulou muito desde que ganhou o Campeonato local em 2006/7 sob o comando do carismático Ali Daei. Bandeira do clube, o meia e capitão Ebrahim Sadeghi tentará ser o sustentáculo que os ‘oranges’ tanto necessitam para se equilibrar nesses jogos decisivos. Partida disputada palmo a palmo com ligeiro favoritismo para o emergente clube da Ásia Central.

Al-Karamah x Gamba Osaka
(Síria)            (Japão)

O clube sírio tem como ponto super positivo a frescura física, mas perdeu peças fundamentais que fizeram história no time vice-campeão continental de 2006. O zagueiro brasileiro Fábio Santos de escandalosos 2,6 metros, o meia Al-Houssain, o atacante Al-Hamwi e principalmente o bom técnico libanês Mohamed Kwid deixaram a equipe da milenar cidade de Homs nos últimos meses.

O Gamba, dono do menor orçamento entre os japoneses envolvidos no torneio, não vence há seis jogos (dois meses). O treinador Akira Nishino, um dos mais conceituados na Terra do Sol Nascente, tenta motivar um grupo que sofreu a baixa do possante centroavante brasileiro Baré, vendido ao Al-Ahli, dos Emirados Árabes. O cirúrgico pé direito do meia Yasuhito Endo é o que o time da ilha de Honshu tem de melhor no momento.

 Será interessante ver o confronto entre o estilo intenso e de maior paixão dos sírios contra o futebol veloz e calculado dos orientais.

Urawa Red Diamonds x Al-Qadsiya
(Japão)                          (Kuwait)

O atual campeão Urawa Reds entra automaticamente nesta fase. O time de Saitama é o favorito contra o Al-Qadsiya, do decadente futebol do Kuwait. Reforços que estão rendendo abaixo do esperado vem sendo o problema dos ‘Reds’, que encontra dificuldades para achar substitutos para Makoto Hasebe, Shinji Ono e Washington, vendidos no inicio do ano.

Até que o clube não esta fazendo feio na J-League, mas desafiar o calor do Oriente Médio pode ser complicado para quem não estava habituado a grandes viagens desde o ano passado.

 O Al-Qadsiya é o clube em melhor forma no minúsculo território kuwaitiano (o que não significa muito). O novo técnico Ibrahim Mohamed tenta implantar sua filosofia e colocar mais ordem numa equipe que se deixa levar pela empolgação da torcida e costuma deixar espaços.

Individualidades como o meio-campista tunisiano Bem Achour, ex-PSG, e o atacante Bader Al-Mutawa, principal jogador do país, podem ser o diferencial a favor do aurinegro da capital.
Quem melhor controlar as emoções levará a melhor. Nesse quesito, ponto para os japoneses.

 

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo