Ásia/OceaniaEliminatórias da Copa

Kuwait está suspenso pela FIFA e pode ser excluído das Eliminatórias 2018

A classificação do Kuwait para a fase final das Eliminatórias para a Copa de 2018 parece bem perto, já que basta vencer birmaneses e laocianos (o Líbano também encara a Coreia do Sul fora de casa). Porém, a campanha dos kuwaitianos pode sofrer reviravolta até o próximo dia 17 de novembro de 2015, quando a equipe jogará contra Mianmar. Tudo por causa de confusão envolvendo governo do país e federação local. No congresso da FIFA no fim de setembro de 2015, a entidade máxima do futebol mundial identificou que uma nova lei esportiva promulgada no Kuwait, pelo governo, feria os artigos da entidade sobre interferência governamental no futebol, pois retirava da federação kuwaitiana a autonomia da qual a FIFA não abre mão.

VEJA TAMBÉM: Tsubasa existe, e este gol insano em um campeonato estudantil no Japão prova isso

A entidade, então, deu um prazo até 15 de outubro para os dirigentes kuwaitianos adequarem a tal lei esportiva às regras da FIFA, o que infelizmente não foi feito até hoje – a lei entraria em vigor no último dia 27 de outubro. Com isso, a FIFA não teve outra alternativa senão suspender o Kuwait como membro da entidade, algo que já aconteceu em 2007 e 2008 – o Comitê Olímpico Internacional também suspendeu o país em 27 de outubro e por enquanto o Kuwait está fora das Olimpíadas 2016.

E isso significa que o país não poderá participar de qualquer competição internacional, seja com suas seleções, times locais. A federação kuwaitiana, seus dirigentes e árbitros não poderão ser beneficiados por programas de desenvolvimento do futebol, cursos e treinamentos ministrados pela Confederação Asiática e pela FIFA.

A entidade máxima do futebol mundial ainda não emitiu nenhum documento oficial sobre a seleção kuwaitiana nas eliminatórias 2018, até porque a punição será retirada prontamente caso a federação local e o governo consigam demonstrar que não ferem as regras. Ainda há tempo para o Kuwait salvar a boa campanha e continuar sonhando com a Copa 2018, o que não foi possível para os clubes do país.

O Kuwait é uma seleção de porte médio na Ásia, que já participou da Copa do Mundo 1982, quando foi treinado por Carlos Alberto Parreira e sucumbiu na fase de grupos ao somar apenas um ponto (1 a 1 com a antiga Checoslováquia) e perder para Inglaterra (1 a 0) e França (4 a 1), um dos gols marcados por Michel Platini.

Desde então o Kuwait nunca mais participou de uma Copa do Mundo e nas eliminatórias 2014 deu vexame ao ficar dois pontos atrás do Líbano e perder vaga à fase final do qualificatório. Nas eliminatórias para a Copa 2018, o Kuwait vive outra situação: vice-líder do Grupo G com dez pontos, três a mais que o Líbano e com mais três jogos a fazer, dois fora de casa (Mianmar e Coreia do Sul) e um em seus domínios (Laos).

Favoritos são excluídos da Copa AFC

Diferentemente da Liga dos Campeões da Ásia, o principal torneio continental, a Copa AFC, espécie de segunda divisão, terá a final em jogo único. O mais esperado era que a decisão fosse entre Al Kuwait e Al Qadsia, ambos do Kuwait e amplamente favoritos nas semifinais. Nos jogos de ida, por exemplo, o Al Kuwait venceu o Istiklol (Tadjiquistão) por 4 a 0 em casa, enquanto o Al Qadsia superou o Johor Darul Takzim (Malásia) por 3 a 1, também em seus domínios.

Os jogos de ida foram disputados em 29 e 30 de setembro e a volta ocorreria nos últimos dias 20 e 21 de outubro. Evidentemente, os times kuwaitianos venceriam as partidas e disputariam a taça da Copa AFC, o que já aconteceu em 2013, com título do Al Kuwait. Porém, a final será entre Istiklol (conheça mais sobre o clube) e Johor Darul Takzim, que já teve Pablo Aimar e recentemente negou que estaria interessado em Ronaldinho Gaúcho.

Al Qadsia e Al Kuwait foram impedidos de disputar a Copa AFC e excluídos da competição por determinação da FIFA. Um triste acontecimento para as duas equipes, que certamente fariam uma grande final, pois são os melhores times da competição. Aliás, o Kuwait é um dos grandes da Copa AFC, simplesmente porque a Confederação Asiática não promove o país à Liga dos Campeões da Ásia, em razão de critérios meio malucos.

A Copa AFC é disputada desde 2004, mas os times kuwaitianos só passaram a disputar o torneio a partir de 2009. E daí em diante, todas as vezes houve pelo menos um time do país na decisão, com quatro títulos e três vice-campeonatos, contra três taças da Jordânia – finais sempre em jogo único desde 2009.

2009 – O Al Kuwait mediu forças com o Al Karamah (Síria) e venceu por 2 a 1 diante de 17.400 torcedores.
2010 – O Al Qadsia perdeu para o Al Ittihad (Síria) nos pênaltis por 4 a 2, após empate de 1 a 1. O jogo foi na Cidade do Kuwait, capital do país. Cerca de 58 mil pessoas estiveram no estádio.
2011 – O Al Kuwait jogou fora de casa diante do desconhecido Nasaf Qarshi (Uzbequistão) e foi superado por 2 a 1. Festa dos quase 16 mil uzbeques no estádio.
2012 – O Al Kuwait não teve problemas para golear o Erbil (Iraque) por 4 a 0, mesmo atuando na casa do adversário e com 30 mil torcedores contra.
2013 – Com apenas 10 mil torcedores, Al Kuwait e Al Qadsia fizeram o clássico local, com vitória do primeiro por 2 a 0.
2014 – O Al Qadsia venceu pela primeira vez a Copa AFC após dois vice-campeonatos, mas teve de suar a camisa para superar o Erbil nos pênaltis por 4 a 2, após empate sem gols. Haja coração para os 5.240 torcedores no estádio.

Curtas

– Quem se lembra de Rico (São Paulo, Grêmio e Criciúma) e Afonso Alves (Atlético Mineiro, Heerenveen e Al Rayyan), recentemente aposentado? Eles são os únicos brasileiros a terminar a temporada na Copa AFC como artilheiros da competição. Rico defendeu o Al Muharraq (Bahrein) em 2008 e fez 19 gols, o jogador que mais marcou numa só edição da competição. Já Afonso Alves fez nove gols com a camisa do Al Rayyan (Catar) em 2010. Em 2009, o brasileiro naturalizado vietnamita Kesley Alves (Lusa, Vasco, Icasa) marcou oito vezes pelo Binh Duong (Vietnã) em 2009 – joga no país desde 2005 e tem 33 anos; defendeu a seleção principal em apenas um jogo.

Mostrar mais

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo