Ásia/Oceania

Joshua Cavallo, do Adelaide United, se declara gay: “Estava lutando contra a minha sexualidade”

Aos 21 anos, australiano Josh Cavallo divulgou comunicado emocionado ao anunciar que é gay e recebeu muito apoio do mundo do futebol

Em um mundo que por vezes mostra tanto ódio, uma manifestação trouxe uma onda positiva de apoio. Josh Cavallo, lateral esquerdo australiano de 21 anos, jogador do Adelaide United, anunciou em seu Twitter que é gay. É um dos raros jogadores profissionais a assumir ser homossexual, algo que é visto como um grande tabu não só no futebol, mas no esporte masculino profissional. O anúncio foi seguido por apoio não só do seu próprio clube, que produziu um vídeo emocionante, mas de vários clubes importantes na Europa que aproveitaram para acolhê-lo e mandar mensagens de apoio.

“Hoje estou pronto para falar sobre algo pessoal que estou finalmente confortável em falar na minha vida. Tenho orgulho de anunciar que eu sou gay. Foi uma jornada para chegar neste ponto da minha vida, mas eu não poderia estar mais feliz com a minha decisão de falar sobre isso. Tenho lutado contra a minha sexualidade nos últimos seis anos e estou feliz que posso finalmente acabar com isso”, escreveu o jogador na sua conta no Twitter.

“Para as pessoas que me conhecem pessoalmente, vocês sabem que sou uma pessoa privada. Ao crescer, sempre senti a necessidade de me esconder porque eu tinha vergonha. Vergonha que nunca poderia fazer o que amo e ser gay. Esconder quem eu verdadeiramente sou, buscar um sonho que sempre desejei quando criança, jogar futebol e ser tratado igualmente é algo que nunca senti como uma realidade”, afirmou ainda o jogador.

“Como jogador de futebol gay no armário, aprendi a mascarar meus sentimentos para poder me encaixar no molde de um jogador profissional. Ao crescer sendo gay e jogando futebol eram duas palavras que nunca pareceram cruzar caminhos antes. Vivi a minha vida assumindo que este seria um assunto que nunca poderia falar a respeito”.

Cavallo afirmou que se preocupava que sair do armário pudesse ter um impacto negativo na sua carreira e afirmou ainda que sabe que há outros jogadores “vivendo em silêncio”. “Quero ajudar a mudar isso, mostrar que todos são bem-vindos no futebol e merecem o direito de ser quem autenticamente são. É surpreendente saber que atualmente não há jogadores profissionais de futebol gays jogando, não apenas na Austrália, mas em todo o mundo. Espero que isso mude em breve”, disse o jogador do Adelaide United.

“Espero que ao compartilhar quem sou possa mostrar a outros que se identificam como LGBTQ+ que eles são bem-vindos na comunidade do futebol. Como o jogo de futebol continua se expandindo, quero ajudar a evoluir o jogo ainda mais e permitir que outros jogadores na minha situação sintam que não estão sozinhos”, continuou Cavallo.

Companheiro de equipe de Cavallo no Adelaide United, Ben Halloran elogiou a “grande coragem” necessária para fazer esse anúncio. “Tristemente, ainda é muito caro no mundo do esporte que homens anunciem publicamente”, afirmou Haloran.

“Antes de Josh falar comigo, estava claro que ele estava vivendo com um fardo incrível e uma dor inimaginável. Ver Josh hoje, com esse peso tirado dos seus ombros, me deixa mais orgulhoso do homem corajoso que ele é. A saúde mental de Josh e o seu bem-estar é a coisa mais importante para nós como seus técnicos e companheiros. Josh será sempre Josh para nós”, disse Ross Aloisi, assistente técnico do Adelaide United.

São poucos jogadores que assumiram ser gays ao longo da história. Justin Fashanu foi o primeiro nome conhecido a fazer isso, ainda nos anos 1980. Ele sofreu muito com um ambiente que não era acolhedor, pelo contrário. Se ainda hoje é difícil para um jogador gay, em um meio tão homofóbico quanto o futebol, naquela época era ainda mais.

Thomas Hitzlperger, jogador alemão que atuou por Aston Villa e Stuttgart, revelou ser gay só depois de encerrar a carreira. Robbie Rogers, jogador americano que atuava no Leeds United, revelou ser gay em 2013, quando também decidiu encerrar a carreira por causa da homofobia. Naquele mesmo ano, ele diria, aos 25 anos, “que era impossível continuar”. Rogers receberia o convite para voltar a jogar no seu país natal, os Estados Unidos, ao receber proposta do Los Angeles Galaxy. Jogou pelo clube até se aposentar, em 2017.

Em 2019, Andy Brennan se tornou o primeiro jogador profissional de futebol da Austrália a anunciar que é gay ainda na ativa. Ex-jogador do Newcastle Jets, atualmente joga pelo Hume City, time semiprofissional da Austrália.

O apoio a Joshua Cavallo veio de vários lugares. “O mundo do futebol te apoia e deseja a você o melhor”, escreveu o perfil da Premier League no Twitter. A Juventus foi outra a se manifestar e escreveu: “Orgulhosos de você, Josh!” Antoine Griezmann, jogador do Atlético de Madrid, também se manifestou publicamente para apoiar Josh.

Gerard Piqué, do Barcelona, foi mais um a apoiar o jogador. “Ei, Joshua Cavallo, não tenho o prazer de te conhecer pessoalmente, mas quero te agradecer por esse passo que você deu. O mundo do futebol te apoia e você está nos ajudando a avançar”, escreveu o zagueiro. O Arsenal também apoiou o jogador, dizendo que ele “é inspiração para milhões” e que “o mundo do futebol é um lugar melhor hoje por causa de você”. O Tottenham também publicou mensagem em apoio, dizendo estar orgulhoso por Josh e agradecendo a coragem do jogador, assim como o Everton.

Certamente virão mais manifestações de apoio e é assim que tem que ser. O futebol, e o esporte em geral, tem que ser um lugar plural, que aceita pessoas das mais diferentes formas. O esporte tem que ser para unir, não para discriminar. É também mais uma lembrança a todos em posições de comando no futebol que é preciso combater a homofobia, que ainda é tão presente nesse esporte. O futebol pode e deve ser melhor.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo