Ásia/Oceania

Irã: liga ajuda a reconstruir seleção

Também integrante do “mundo árabe”, mas longe de ser tão visado como os países próximos pelo mercado internacional da bola – muito por conta da situação política do país – o futebol do Irã teve sua liga iniciada há duas semanas.

A temporada 2009-10 é a nona desde a criação da Liga Profissional do Irã. 18 clubes participam da competição, que dá aos três primeiros colocados vagas na Liga dos Campeões da Ásia. Os jogos acontecem nos finais de semana, em 13 cidades diferentes.

Não há limite para a contratação de estrangeiros na liga iraniana. Porém, em campo, cada time pode ter quatro estrangeiros por partida. Não podem ser contratados goleiros de outros países.

Os dois times mais populares do país são o Esteghlal e o Persepolis, ambos da capital, Teerã, que jogam no estádio Azadi, com capacidade para 90 mil espectadores. O Esteghlal é o atual campeão, e dirigido por Samad Marfavi, ex-jogador do próprio clube e da seleção iraniana nos anos 90, tenta o bicampeonato.

O Persepolis, dirigido pelo croata Zlatko Kranjcar, tem como capitão e principal jogador Karim Bagheri, um dos primeiros jogadores do país a atuar na Europa – jogou no Arminia Bielefield, da Alemanha; e no Charlton, da Inglaterra – e que, em 97, marcou sete gols na partida contra as Ilhas Maldivas, pelas eliminatórias da Copa de 98, igualando o recorde de gols marcados em um jogo oficial da competição. O recorde durou quatro anos, quando Archie Thompson fez 13 gols na partida da Austrália.

O primeiro clássico entre Esteghlal e Persepolis acontece em 2 de outubro, em partida válida pela 9a rodada do campeonato. Além de Esteghlal e Persepolis, o Steel Azin, recém-promovido da Azadegan League (a segunda divisão do país) completa a relação dos times de Teerã. Os demais clubes são: Aboomoslem (de Mashhad); Esteghlal Ahvaz e Foolad (Ahvaz); Malavan (Anzali); Mes Kerman (Kerman); Moghavemat (Shiraz); PAS Hamedan (Hamedan); Paykan (Qazvin); Rah Ahan (Ray); Saba Qom (Qom); Saipa (Karaj); Sepahan e Zob Ahan (Esfahan); Shahin (Bushehr); e Tractor Sazi (Tabriz).

Com três rodadas disputadas, Zob Ahan, Moghavemat e Esteghlal dividem a liderança com 7 pontos. O Steel Azin, que estreou vencendo seus dois primeiros jogos depois da sua promoção, tem 6 pontos, e conta com dois dos principais nomes do futebol iraniano: o zagueiro Hosein Ka'abi e o meia Ali Karimi, que já atuou no Bayern de Munique.

12 brasileiros estão atuando na Liga Iraniana na atual temporada: Diego Máximo (Esteghlal Ahvaz); Fábio Januário (Esteghlal); Felipe Alves e Adriano Alves (Malavan); Edinho, Giovani Máximo e Paulo Roberto (Mes Kerman); Wesley Brasilia e Thiago Fraga (Persepolis); Luciano Valente (Shahin); Leonardo Pimenta (Tractor Sazi) e Igor Castro (Zob Ahan).

Reconstrução depois da crise

O futebol iraniano tenta uma reconstrução depois da eliminação da seleção nacional nas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2010. O time nacional brigando por uma das vagas no Mundial, mas o empate diante da Coreia do Sul (1-1), na última rodada, acabou deixando o Irã sem chances até de ir para a repescagem (a vaga do grupo ficou com a Arábia Saudita).

Para completar, o jogo – que foi disputado logo depois da conturbada eleição que manteve Mahmoud Ahmadinejad como presidente do país – teve um componente político forte: vários jogadores atuaram com faixas e munhequeiras verdes, em protesto contra o resultado do pleito e em favor do candidato da oposição, Mir-Houssen Moussavi.

Sem a vaga, vários ídolos do futebol iraniano, como Ali Karimi, Mehdi Mahdavikia, Hosein Ka'abi e Vahid Hashemian, todos com passagem pelo futebol europeu e que atuaram na Copa do Mundo de 2006, foram afastados definitivamente da seleção e a Federação foi forçada a iniciar um trabalho de reformulação, visando a Copa da Ásia em 2011.

Como fase da preparação para as eliminatórias da Copa da Ásia, a seleção do Irã, dirigida por Afshin Ghotbi, faz, nas próximas semanas, três amistosos, contra as seleções do Quênia (dia 28), do Bahrein (dia 31) e do Uzbequistão (dia 6 de setembro). Pela competição continental, os dois próximos jogos são contra a Jordânia, nos dias 14 e 18 de novembro.

O Irã participou de três Copas do Mundo: 1978, na Argentina; 1998, na França; e 2006, na Alemanha. Em nove partidas, uma vitória apenas, em um emblemático jogo contra os Estados Unidos, na Copa da França, por 1 a 0.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo