Ásia/Oceania

Guia Liga dos Campeões da Ásia 2013 – Parte II

Os grupos do leste asiático abrangem equipes que podem terminar a competição com mais uma taça na sala de troféus, a despeito dos integrantes do oeste asiático, a Parte 1 deste guia, que pode ser acessada aqui. Japoneses e sul-coreanos têm amplas condições de ir longe, assim como um dos quatro chineses, o Guangzhou Evergrande, de Lucas Barrios, Dario Conca e Elkeson. Franco-atiradores, parece improvável que times de Uzbequistão, Tailândia e Austrália superem a fase de grupos.

Grupo E

Equipes: FC Seoul (Coreia do Sul), vencedor confronto 3, Vegalta Sendai (Japão) e Jiangsu Sainty (China)

Uma grande força ao lado de incógnitas. Assim se definem FC Seoul e os demais. Os sul coreanos têm base caseira, mas o meia-atacante Mauricio Molia, ex-Santos, e o atacante montenegrino Dejan Damjanovic são peças importantes. Japoneses e chineses estreiam no torneio, mas o Jiangsu tem o romeno Cristian Dănălache, artilheiro da liga chinesa em 2012.

O favorito: FC Seoul

Pode surpreender: Jiangsu Sainty

Já está fora: ninguém

Fique de olho: apesar de ter 31 anos, Damjanovic é fazedor de gols e joga pelo time de Seul desde 2008, com 94 tentos em quase 150 jogos. Ele é um dos destaques de Montenegro, que pode ir ao Mundial do Brasil.

Grupo F

Equipes: Guangzhou Evergrande (China), Jeonbuk Motors (Coreia do Sul), Muangthong United (Tailândia) e Urawa Red Diamonds (Japão)

A disputa pela liderança será acirrada e somente os tailandeses parecem ser o patinho feio. O Guangzhou tem a vantagem de ter mantido a espinha dorsal, que foi até as quartas de final da última edição, além do técnico Marcello Lippi. Conca, Lucas Barrios, Elkeson e o esforçado Muriqui serão importantes. O Jeonbuk foi finalista em 2011, mas eliminado na fase de grupos no ano passado. Já o Urawa foi semifinalista e vice-campeão nas duas edições disputadas.

O favorito: Guangzhou Evergrande

Pode surpreender: ninguém

Já está fora: Muangthong United

Fique de olho: a esperança do Muangthong é o atacante local Teerasil Dangda, que já fez testes no Atlético de Madrid. Não deve ser suficiente para avançar, mas vale a pena acompanhar as jogadas da estrela tailandesa, da seleção de seu país.

Grupo G

Equipes: Sanfreece Hiroshima (Japão), Beijing Guoan (China), Pohang Steelers (Coreia do Sul) e Bunyodkor (Uzbequistão)

Sul coreanos e uzbeques são os mais experientes na competição, mas isso em nada influencia o papel que eles têm a cumprir na chave. O favorito é o time de Pequim, que tem Guerrón e Kanouté. Os demais não apresentam grandes destaques, mas podem abocanhar a segunda vaga.

O favorito: Beijing Guoan

Pode surpreender: Pohang Steelers

Já está fora: Bunyodkor

Fique de olho: revelado no América Mineiro, o atacante Reinaldo é experiente na Ásia e defende clubes da região desde 2005. Aos 28 anos, ele custou $2 milhões aos cofres do Beijing Guoan e terá de fazer gols para justificar o investimento.

Grupo H

Equipes: Central Coast Mariners (Austrália), Kashiwa Reysol (Japão), Guizhou Renhe (China) e Suwon Bluewings (Coreia do Sul)

A disputa pela liderança deve ficar entre Kashiwa, que conta com Leandro Domingues, Jorge Wagner e o técnico Nelsinho Baptista, e Suwon. O trunfo dos sul coreanos é a estrela norte-coreana Jong Tae Se, que poderá ter a companha do instável Rodrigo Pimpão, emprestado pelo Vasco. Quem sabe não pinta uma zebra vinda da terra dos cangurus?

O favorito: ninguém

Pode surpreender: Central Coast Mariners

Já está fora: Guizhou Renhe

Fique de olho: o atacante espanhol Rafa Jordà, 29 anos, deixou o bom momento do Levante em busca do dinheiro asiático. Ele ficará três temporadas no Guizhou Renhe, equipe sem grandes expectativas, até mesmo em nível nacional.

Mostrar mais

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo