Ásia/Oceania

Goleirão levou seis segundos e só parou de reclamar quando viu que sofreria o gol

Às vezes a gente esquece, porque os árbitros também esquecem, mas o goleiro só pode ficar com a bola nas mãos durante seis segundos. Uma regra que, no popular, “não pegou” no futebol profissional. Os apitadores geralmente fazem vista grossa, a não ser que a situação seja muito escancarada. Como foi com o arqueiro do Tóquio, Yota Akimoto.

LEIA MAIS: Messi enfrenta goleiro inflável gigante no Japão. É claro que você quer ver

Ele demorou muito para repor a bola, e o árbitro marcou a infração por ele ter excedido os seis segundos com a bola na mão. Diante da raridade, Akimoto reclamou bastante. Só parou de reclamar, na verdade, quando viu que sofreria um gol: Yamazaki cobrou rápido e rolou para Naruoka, que abriu o placar para o Albirex Niigata, o 15º colocado da J-League.

O Tóquio ainda buscou o empate no segundo tempo e está na 11ª posição do Campeonato Japonês.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo