Ásia/Oceania

Equilíbrio na liga chinesa

Com 30% das rodadas disputadas, nove times estão separados por apenas seis pontos. Depois de uma temporada ruim em 2010, Beijing Guoan, time mais popular do país, lidera a CSL

Depois de nove rodadas disputadas, a Chinese Super League, nome oficial da liga chinesa, está mantendo um grande equilíbrio entre os seus participantes. Depois de uma temporada de 2010 conturbada e marcada pelo escândalo de corrupção e de um esquema para combinação de resultados, que favoreceriam a uma máfia de apostas, este ano, até o momento, a competição se encaminha de forma tranquila dentro de campo.

Time mais popular do país, o Beijing Guoan está na ponta da tabela, com 20 pontos ganhos em 27 possíveis. O time da capital, que é controlado por uma susbsidiária do governo chinês, o CITIC Guoan Group, levou o técnico português Jaime Pacheco para se redimir da péssima campanha de 2010, quando, mesmo defendendo o título, ficou somente na quinta colocação e sequer conseguiu uma vaga na Liga dos Campeões da Ásia deste ano.

No fim de semana, o Beijing Guoan – onde jogam os atacantes brasileiros Roberto, que começou sua carreira na Portuguesa, mas que passou por uma série de times portugueses desde 2011; e Davi, que fez sucesso no futebol do Japão e do Catar – goleou o lanterna Shenzen Ruby por 4 a 0, com dois gols do hondurenho Walter Martínez, um do australiano Joel Griffiths e um do chinês Yu Yang.

Com a vitória, o Beijing Guoan colocou um ponto de vantagem sobre o Guanghzou Evergrande, que empatou em 1 a 1 com o Changchun Yatai, em jogo de gols brasileiros: Dori fez 1 a 0 para os visitantes e Muriqui empatou para o Guanghzou, campeão da segunda divisão no ano passado.

Aliás, brasileiros não faltam na atual edição da CSL, que nos dois últimos anos, foi patrocinada pela Pirelli, mas que não tem uma empresa dando nome – e dinheiro – à competição este ano. Nada menos que 20 jogadores iniciaram a temporada no país, sendo que 10 dos 16 times contam com brasileiros. A ida do zagueiro Renato Silva e do atacante Obina, no início da temporada, para o Shandong Luneng, chamou a atenção da mídia brasileira para o futebol chinês. Também no início do ano, o meia Renato Cajá deixou o Botafogo e foi para o Guanghzou Evergrande, onde se juntou ao zagueiro Paulão, ao atacante Cleo, que jogou muitos anos na Sérvia; e ao também atacante Muriqui.

Porém, a maioria dos 20 brasileiros que atuam no Japão não são muito conhecidos no Brasil, tendo atuado apenas em times pequenos por aqui e/ou em mercados periféricos do mundo da bola. A relação contém Roberto e Davi (Beijing Guoan); Paulão, Renato Cajá, Cléo e Muriqui (Guanghzou Evergrande); Valdo (Liaoning Whowin); Wilson (Shaanxi Chanba); Renato Silva e Obina (Shandong Luneng); Léo San e Éber Luiz (Qingdao Jonoon); Nei e Dori (Changchun Yatai); Eleílson (Jiangsu Sainty); Johnny (Nanchang Hengyuan); Fabão, Thiago Potiguar, Leandro Netto e Rômulo (Henan Construction).

Na próxima rodada, o líder Beijing Guoan joga fora de casa contra o Henan Construction, que está na zona de rebaixamento. Também fora de casa, o vice-líder Guanghzou Evergrande enfrenta o Tianjin Teda, que fez boa campanha na Liga dos Campeões da Ásia este ano, mas que ocupa a quinta colocação na liga nacional.

Liga dos Campeões: sem surpresas nas oitavas

A rodada de oitavas de final da Liga dos Campeões da Ásia foi disputada na semana passada e, apesar do fraco desempenho dos clubes japoneses, não houve surpresas, considerando apenas o desempenho na fase de grupos.

Com o formato de uma partida só, na casa de quem ficou em primeiro lugar em seu grupo na primeira fase, quem teve a melhor campanha se impôs. Tanto que, dos oito confrontos, sete acabaram vencidos por quem jogou em casa. O único segundo colocado que passou de fase foi o Cerezo Osaka, que enfrentou o rival Gamba Osaka e venceu por 1 a 0, gol de Daisuke Takahashi, aos 43 minutos do segundo tempo.

Coreia do Sul e Irã classificaram todos os seus representantes. Na Coreia, o Jeonbuk Hyundai Motors fez 3 a 0 nos chineses do Tianjin Teda. Pelo mesmo placar, o FC Seoul acabou mais uma vez com o sonho do Kashima Antlers em ser campeão continental. O Suwon Samsung Bluewings bateu o campeão japonês Nagoya Grampus por 2 a 0.

Já no Irã, o Zob Ahan, atual vice-campeão fez 4 a 1 no Al-Nassr, da Arábia Saudita. O Sepahan bateu o Bunyodkor, do Uzbequistão, por 3 a 1.

As duas vagas restantes ficaram com o Al-Ittihad, da Arábia Saudita, que venceu o clássico nacional contra o Al-Hilal por 3 a 1; e com o Al-Sadd, do Catar, que passou pelo Al-Shabab, da Arábia Saudita, por 1 a 0.

A Liga dos Campeões retorna somente em setembro, com a disputa das quartas de final, já em formato de ida e volta, nos dia 14, 27 e 28.

AFC Cup também conhece os classificados

Na AFC Cup, também foram disputados os jogos de oitavas de final, nos mesmos critérios adotados para a Liga dos Campeões. E o aproveitamento dos mandantes foi parecido com o da principal competição continental: seis das oito equipes que ficaram em primeiro lugar na fase de grupos seguem no torneio.

A divisão entre os países também é maior: entre os oito classificados há dois tailandeses (Chonburi e Muang Thong United); dois iraquianos (Arbil e Duhok); o Nasaf Qarshi, do Uzbequistão; o Al-Kuwait, do Kuwait; o Al-Wehdat, da Jordânia; e o Persipura Jayapura, da Indonésia.

As quartas de final da AFC Cup acontecem nos dias 13 e 27 de setembro.

J-League: Kashima Antlers na zona de rebaixamento

Tudo bem que o campeonato tem apenas oito rodadas disputadas e que, por conta das competições continentais e de toda a confusão causada pela tragédia de março, o Kashima Antlers tenha dois jogos a menos. Mas impressiona – negativamente – o início de temporada da equipe na J-League.

O time comandado por Oswaldo de Oliveira perdeu para o Sanfrecce Hiroshima por 2 a 1 no domingo, e com apenas 5 pontos em seis jogos, está na zona de rebaixamento, na antepenúltima colocação. O Kashima venceu apenas uma partida, há quatro rodadas.

Na ponta de cima, o Kashiwa Reysol aproveitou tropeços dos perseguidores mais diretos e já abre três pontos de vantagem. O time fez 3 a 0 no Vissel Kobe e conquistou sua sexta vitória em oito jogos, com 19 pontos ganhos. Em grande fase, Leandro Domingues fez o terceiro gol do Kashiwa.

O vice-líder é o Vegalta Sendai, único invicto do campeonato. O time empatou em casa com o Yokohama F-Marinos e tem 16 pontos (4 vitórias e 4 empates), mantendo a surpreendente campanha neste início de campeonato. O Yokohama, aliás, é o terceiro, com 15 pontos, ao lado do Sanfrecce Hiroshima.

O artilheiro da J-League é o brasileiro Adriano, do Gamba Osaka, com 7 gols.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo