Ásia/Oceania

Duas Coreias, um ídolo: Tae-Se quer ser embaixador no Suwon

Jong Tae-Se se tornou um dos símbolos da Coreia do Norte durante a Copa do Mundo de 2010. Destaque da seleção no Mundial, o atacante causou comoção ao chorar durante a execução do hino nacional. Agora, depois de dois anos e meio atuando no futebol europeu, Tae-Se retorna à Ásia justamente para atuar na Coreia do Sul, contratado pelo Suwon Samsung Bluewings.

Nascido em Nagoya, no Japão, Tae-Se é descendente de coreanos. Embora existam relatos de que seus pais tenham vindo da Coreia do Sul, o atacante declara-se como norte-coreano, principalmente por ter sido educado durante a infância em uma escola pró-Norte. No entanto, apesar dos conflitos, Tae-Se chegou ao Suwon com um discurso favorável à unificação dos países.

“Enquanto eu estiver jogando aqui, serei sul-coreano. Mas isso realmente não importa muito, porque a Coreia é uma só. Jogar na Coreia do Sul significa muito para mim, por representar a Coreia do Norte internacionalmente. Enquanto eu estiver aqui, terei o prazer de servir de embaixador entre o sul e o norte”, declarou durante sua apresentação.

Tae-Se iniciou sua carreira no Kawasaki Frontale, da J-League. Depois da Copa de 2010, o atacante foi levado pelo Bochum, se transferindo ao Köln no início desta temporada. Já sua carreira na seleção da Coreia do Norte começou em 2007, somando 15 gols em 28 partidas.

Separadas após guerra ocorrida entre 1950 e 1953, Coreia do Norte e Coreia do Sul seguem em conflito desde então. Os dois países esboçaram uma união esportiva em 2008, quando desfilaram juntas na cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Pequim. Contudo, a tensão entre os dois países voltou a crescer desde o fim de 2010, quando o Norte bombardeou uma ilha do Sul e matou quatro pessoas.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo