Ásia/Oceania

Depois de 14 anos na Europa, Ospina será o novo goleiro do Al Nassr, da Arábia Saudita

Ospina não renovou seu contrato com o Napoli e, livre no mercado, chegou sem custos ao Al Nassr

David Ospina não é uma unanimidade como goleiro, mas possui uma carreira em alto nível. Revelado pelo Atlético Nacional, o colombiano atuou por 14 temporadas nas grandes ligas europeias. São quase 400 partidas divididas por Nice, Arsenal e Napoli. O arqueiro também é o recordista em partidas pela seleção, com 124 aparições, superando a marca de Carlos Valderrama. E, aos 33 anos, vai buscar um mercado alternativo para aumentar seu pé de meia. Nesta segunda, Ospina foi apresentado como novo camisa 1 do Al Nassr, da Arábia Saudita. Chega sem custos, ao final de seu contrato com os napolitanos.

Ospina é um goleiro bastante precoce. Virou titular do Atlético Nacional quando tinha 17 anos, logo acumulando títulos no Campeonato Colombiano. Foram três taças em quatro anos como profissional, o que elevou seu nome rumo à Europa. O Nice fez a aposta em 2008 e o novato assumiu a titularidade no meio de sua primeira temporada. Seriam seis anos como dono da meta dos rubro-negros, como um dos melhores arqueiros da Ligue 1. Paralelamente, Ospina também ganhou destaque na seleção e virou um dos protagonistas na campanha até as quartas de final da Copa de 2014. Poderia dar passos maiores.

O Arsenal contratou Ospina por €4 milhões em 2014/15. Lesionado, o colombiano começou no banco de Wojciech Szczesny. Ganhou a posição a partir de janeiro de 2015. Porém, a inconstância e as falhas ocasionais não o tornaram um nome tão confiável assim. A chegada de Petr Cech o relegou ao banco de reservas. Seriam mais três anos em Londres com as aparições praticamente limitadas às copas. Ao menos, Ospina manteve seu lugar cativo na seleção da Colômbia e teve a chance de disputar outra Copa do Mundo. Com mais visibilidade, arrumou as malas para o Napoli.

Na Itália, Ospina passou a primeira temporada emprestado, antes de ser contratado em definitivo. Sempre se alternou com Alex Meret entre titulares e reservas, até ganhar um pouco mais de sequência na atual temporada. Mas não que tenha melhorado tanto assim o seu nível, ainda com atuações inconstantes e falhas pontuais. Aos 33 anos, não renovou seu contrato e deixa Nápoles com 103 partidas disputadas, mas sem memórias tão profundas. Meret deverá ter mais continuidade na meta celeste.

Já o Al Nassr oferece um nível abaixo para Ospina, mas um salário mais alto. Com a Colômbia fora da Copa do Mundo, o veterano não deve estar muito preocupado com a competitividade. Na Arábia Saudita, será treinado por Rudi García. Já entre os destaques internacionais dos auriazuis estão Anderson Talisca, Vincent Aboubakar, Pity Martínez e Ramiro Funes Mori. Ainda parece pouco para desafiar a hegemonia do Al Hilal, mas já foi suficiente para convencer Ospina em relação ao fim de sua carreira.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo