Ásia/OceaniaFiscalize Catar 2022

Catar ensina: para colocar gente nos estádios, basta pagar os torcedores

O Catar – por enquanto – é sede da Copa do Mundo de 2022. Ganhou também o Mundial de Atletismo de 2019, recebe etapas de vôlei de praia e está até pensando em uma etapa da Fórmula 1. O país teve 43 eventos esportivos em seus territórios em 2014. O argumento oficial para vencer as concorrências foi a paixão do catarianos pelos esportes, mas, assim como as candidaturas, essa paixão às vezes precisa ser abastecida de dinheiro.

LEIA MAIS: Saída de Michael Garcia é péssima para a já arranhada imagem da Fifa

A reportagem da agência de notícias Associated Press acompanhou um ônibus de trabalhadores imigrantes de países como Gana, Quênia e Nepal que receberam aproximadamente R$ 21 para assistir a uma partida de vôlei de praia do circuito mundial. O veículo foi lotado, com pessoas de pé. Deram seus nomes para receber os pagamentos posteriormente. Na arena, desembarcaram, formaram uma linha e foram contados. Quando eram instruídos a aplaudir as músicas, por exemplo (foto), ignoravam e aproveitavam o wi-fi grátis.

O governo do Catar reconhece o problema de organizadores pagando para as arquibancadas ficarem lotadas. Uma pesquisa publicada pelo Ministério do Desenvolvimento, Planejamento e Estatística disse que dois terços dos questionados não foram a uma partida de futebol da liga catariana na última temporada, e dois terços desse montante culparam “significativamente” a onda de torcedores pagos. Os fãs falsos de futebol recebem entre R$ 14 e R$ 18.

Alguns trabalhadores entrevistas pela AP disseram que passar o dia de folga vendo eventos esportivos é mais atraente do que ficar sem fazer nada nas áreas industriais do país. Com cerca de R$ 20, dá para comer durante três dias, uma refeição a cada 24 horas, como fazem muitos imigrantes que guardam dinheiro para mandar às famílias. Realmente, parece que tudo no Catar gira em torno do dinheiro.

Ainda sobre o Catar: 

COPA 2022: Confira a cobertura especial da Trivela sobre a Copa do Mundo de 2022
DENÚNCIA: FBI oferece proteção à testemunha que denunciou corrupção no Catar-2022
CRÍTICA: Chefe de investigação do comitê de ética criticou a falta de transparência da Fifa
ENCOBRINDO: Fifa entrou na Justiça contra a corrupção, mas não pelo motivo que você gostaria
DISPUTA: Tensão contra Copa 2022 no Catar: Bundesliga diz que Uefa pode deixar a Fifa

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo