Ásia/Oceania

Após seu time tomar o empate, André Moritz chutou direto do círculo central e garantiu um gol da vitória incrível aos 45 do 2° tempo

O rodado André Moritz atualmente se aventura em Cingapura e proporcionou um lance para se tornar ídolo instantâneo

André Moritz tem uma carreira curiosa no futebol. Cria do Internacional e com passagem pelo Fluminense no início da carreira, o meia fez muito sucesso no Campeonato Turco. Depois disso, chegou a defender o Crystal Palace e o Bolton na Championship, até aumentar sua lista de ligas. Passou por Índia e Coreia do Sul, voltando depois à Turquia. A partir de 2018, suas tentativas de vingar no Brasil não deram muito certo. Não deixou tantas saudades em Avaí, Londrina ou Confiança. Atualmente, Moritz se aventura no futebol de Cingapura. E ganha seu destaque com um gol sensacional do círculo central.

Diante do fraco nível do Campeonato Cingapurense, Moritz está pronto para sobrar com a camisa do Hougang United. E o meia de 35 anos protagonizou a vitória por 3 a 2 sobre o Geylang nesta sexta. Moritz anotou o primeiro gol do time, para empatar o placar em 1 a 1 aos 29 do segundo tempo. O Hougang virou logo na sequência, mas o Geylang conseguiu nova igualdade aos 44 minutos. Hora de desistir? Não com a ousadia de Moritz. Logo na reposição, o brasileiro arriscou o chute direto do círculo central. Encobriu o desatento goleiro e marcou um golaço para decretar a vitória no estourar dos 45 minutos.

A mudança da regra recentemente, que permite esse tipo de chute direto, ajudou Moritz. Muito mais preponderante foi a precisão do meia em anotar um gol desses. Ao que parece, não vai demorar para cair nas graças da torcida cingapurense nesta nova aventura de sua carreira.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.
Botão Voltar ao topo