Ásia/Oceania

Al Hilal derrota Al Nassr em duelo saudita e chega mais uma vez à final da Champions Asiática

Será a terceira final em cinco anos do tricampeão asiático; adversário será sul-coreano

O Al Hilal derrotou o Al Nassr, por 2 a 1, nesta terça-feira, em uma semifinal totalmente saudita, e garantiu vaga para a sua oitava final de Champions League asiática. O adversário da decisão em 23 de novembro será um clube sul-coreano, Ulsan Hyundai ou Pohang Steelers, que se enfrentam na próxima quarta.

Os dois maiores vencedores da Arábia Saudita, com sete dos últimos oito títulos nacionais, repetiram o duelo das quartas de final da temporada passada, do qual o Al Nassar saiu mais feliz. Desta vez, gols de Moussa Marega e Salem Al-Dawsari garantiram a passagem do Al Hilal, treinado por Leonardo Jardim, à decisão continental pela terceira vez em cinco anos.

O brasileiro Matheus Pereira foi titular no Al Hilal que abriu o placar logo aos 16 minutos, quando Gomis passou de primeira para deixar Marega na cara do gol. O ex-atacante do Porto marcou com um chute cruzado de perna direita.

Anderson Talisca tentou responder para o Al Nassr na marca da meia hora. Escapou pela direita e bateu cruzado, em cima do goleiro Abdullah Al-Mayouf. Recuperou o rebote, abriu para a outra perna e, do bico da grande área, mandou na rede pelo lado de fora.

A situação do Al Nassr ficou especialmente ruim pouco antes do intervalo quando Ali Al-Oujami recebeu o cartão vermelho por uma entrada muito dura em Marega. Deu um carrinho com a perna direita levantada, de cima para baixo.

Mesmo com um a menos, o Al Nassr levou perigo, com uma ótima jogada individual de Abdulfattah Asiri, que arrancou da esquerda para o meio e soltou na medida para Abderazak Hamdallah chutar em cima do goleiro. Logo em seguida, Asiri cobrou escanteio pela direita e Talisca empatou de cabeça.

O Al Hilal contou com um pouco de sorte para voltar à frente. Aos 26 minutos, Salem Al-Dawsari trouxe pela direita e bateu cruzado. Houve um desvio em Abdullah Madu no meio do caminho que matou o goleiro do Al Nassr.

Nasser Al-Dawsari acertou o travessão, aos 35, perdendo a chance de matar o jogo para o Al Hilal e, nos acréscimos, a última esperança do Al Nassr saiu pela linha de fundo. Madu ficou com a sobra de uma bola jogada dentro da área, de frente pra o gol, dentro da área, com certa liberdade. Não pegou bem.

Tricampeão asiático, o Al Hilal chegou à decisão em 2017, quando perdeu para o Urawa Red Diamonds, do Japão. Dois anos depois, conquistou o título contra o mesmo adversário. Suas outras glórias foram em 1991 e 2000. O Al Nassr tentava chegar à final pela segunda vez. A outra foi em 1995, quando perdeu para o Ilhwa Chunma, atualmente Seognam, da Coreia do Sul.

.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo