Ásia/Oceania

Agora é mata-mata!

A primeira fase da Liga dos Campeões da Ásia acabou. Os clubes eliminados nos seus grupos voltam suas atenções para os seus certames nacionais enquanto os mais competentes agora se preparam para as oitavas-de-final.

Para saber quem é quem nesta fase trazemos os aspectos positivos (+) e negativos (-) de cada equipe, quem as dirige e como jogam. Lembrando que os jogos desta fase acontecem nos dias 27 de maio e 24 de junho. A final será disputada em 7 de novembro no Estádio Nacional de Tóquio, no Japão. 

PAKHTAKOR

Localização: Tashkent, Uzbequistão

(+) Realiza uma das melhores campanhas até o momento e ofuscando o ‘oba-oba’ em torno do emergente vizinho e rival Bunyodkor. Time mordido e confiante.

(-) Elenco de pouca profundidade, isso pode pesar nos últimos meses.

Treinador: Victor Djalilov. Tem feito um trabalho consistente fazendo o clube voltar a brilhar internacionalmente e oferecendo luta ao badalado Bunyodkor em território uzbeque. Experiente e linearmente competente.

Time-base (4-3-1-2): Ignatiy Nesterov; Asror Alikulov, Bojan Mladinovic, Islom Inomov e Ilhom Suiynov; Darko Markovic, Sherzod Karimov e Stanislav Andreev; Odil Ahmedov; Farhood e Zaynitdin Tadjiyev.

AL-HILAL

Localização: Riad, Arábia Saudita

(+) Tecnicamente é uma equipe até encantadora para os padrões do continente. Do meio pra frente poucos reúnem tantos talentos e jogam com tanta fluidez como os azuis de Riad.

(-) Os sucessos recentes do rival Al-Ittihad no torneio (bicampeão em 2004 e 2005) criou uma pressão psicológica que muitas vezes faz o clube tropeçar nas próprias pernas na LC.

Treinador: Georges Leekens. O comandante belga é dono de vasta bagagem no futebol de seu país. É um adepto fervoroso do espírito de equipe, mas seu currículo aponta inúmeras experiências fulgazes por onde passou..

Time-base (4-2-3-1): Mohamed Al-Deayea; Mohamed Nami, Majed Al-Marshedi, Osama Hawsawi e Abdullah Al-Zori; Khaled Aziz, Mirel Radoi; Christian Wilhelmsson, Tarik Al-Taib e Seol Ki-Hyeon; Yasser Al-Qahtani. 

AL-SHABAB                                                                                

Localização: Riad, Arábia Saudita

(+) Está demolindo os oponentes e chega com moral elevado nesta fase. O trabalho em longo prazo (raro na região) de Enzo Trossero começa a dar resultado e a fase do atacante Nasser Al-Shamrani é fenomenal.

(-) Vai faltar experiência quando o funil apertar.

Treinador: Enzo Trossero. Este argentino desde muito cedo sempre mostrou vocação para a função e chegou a ser auxiliar de Carlos Bilardo. Está surpreendendo sua passagem pelo Golfo, pois está há dois anos nos ‘leões brancos’.

Time-base (4-3-1-2): Waleed Abdullah; Naif Al-Qadi, Hassan Muath, Abdullah Shuhail e Sanad Shrahilee; Ahmed Otaif, Abdoh Otaif (Bóvio) e Talal Al-Bloushi; Camacho; Bin Saran e Nasser Al-Shamrani.

PERSEPOLIS

Localização: Teerã, Irã

(+) Apesar de a defesa não inspirar confiança, o time é talentoso e individualidades como Ali Karimi e Alireza Nikbakht podem colocar uma partida de pernas para o ar.

(-) A administração do clube é conturbada e o ambiente político idem. Quase sempre os problemas do ‘exército vermelho’ passam pela gestão interna e estouram no campo..

Treinador: Nelo Vingada. Experiente técnico português com passagens por várias seleções do mundo árabe. Está balançando no cargo.

Time-base (4-3-2-1): Alireza Haghighi; Heydari, Alireza Mohammad, Mojtaba e Rezaei; Karim Bagheri, Nouri e Maziar Zare; Ali Karimi e Alireza Nikbakht; Ibrahima Toure.

AL-ITTIHAD

Localização: Jeddah, Arábia Saudita

(+) Experiência, mística e substância. Favoritos!

(-) Deve tomar cuidado para não perder suas principais figuras ofensivas (o marroquino Aboucherouane e o egípcio Moteab) para o mercado europeu. Se isso acontecer, abala toda a estrutura montada por Calderón.

Treinador: Gabriel Calderón. Ex-meio-campista da seleção argentina que confirma o bom momento dos ‘porteños’ em solo saudita. Conceituado na região, recuperou a auto-estima do clube reconquistando o título nacional e é favorito para erguer o troféu continental.

Time-base (4-2-3-1): Mabrouk Zayed; Obaid Al-Shamrani, Osama Al-Muwallad, Al-Montashari e Saleh Al-Saqri; Saud Khariri e Manaf Abushgeer; Mohamed Noor, Renato e Hicham Aboucherouane; Emad Moteab.

UMM SALAL

Localização: Umm Salal, Catar

(+) Motivação

(-) Inexperiência internacional

Treinador: Gérard Gili. Francês com grande experiência na formação de jovens. Dono de inúmeras histórias no Olimpique Marseille como goleiro e técnico, tem recebido críticas extremamente positivas da imprensa catariana.

Time-base (4-4-2): Baba Malek; Mohamed Husain, Bem Askar, Mohamed Musa e Al-Noubi; Saud Ghanem, Mustapha Adan, Jawad Ashnash e Fábio Montezine; Magno Alves e A´ala Hubail.

AL-ETTIFAQ

Localização: Dammam, Arábia Saudita

(+) Treinador acostumado a vencer e elenco jovem com vontade de triunfar

(-) Plantel sem profundidade e time sem equilíbrio

Treinador: Ioan Andone, O ex-jogador da seleção da Romênia vive um ótimo momento na carreira. Levou o modesto Cluj ao título romeno e vem realizando um trabalho espetacular nos ‘cavaleiros de Dammam’. Ainda deve ter pesadelos com Romário, ex-PSV, que nos tempos de jogador sempre aniquilava o seu Heerenveen pela Eredivisie.

Time-base (4-4-2): Bander Al-Boati; Rashed Al-Raheeb, Al-Jammam, Al-Bushi e Waleed Al-Raja; Paulo Sérgio, Abdul Al-Qahtani, Al-Magnem e Hussein Al-Najeeb; Saleh Basheer e Prince Tagoe.

BUNYODKOR

Localização: Tashkent, Uzbequistão

(+) Futebol técnico, clube com estrutura; time fisicamente mais robusto que a média asiática.

(-) A pressão irresponsável dos investidores por resultados

Treinador: Hikmat Ergashev. É sua segunda passagem pelo clube. Foi jogador profissional por vastos 20 anos e conhece o futebol uzbeque como poucos.

Time-base (4-2-3-1): Pavel Bugalo; Edson Ratinho, Luizão, Goçgulyyew e Hayrulla Karimov; Timur Kapadze e Jasur Hasanov; João Victor, Server Djeparov e Rivaldo; Luis Villanueva (Shavkat Salomov)

NAGOYA GRAMPUS

Localização: Nagoya, Japão

(+) Investiu bastante em contratações que deram certo, revelou ótimos japoneses e ganhou confiança competitiva sob a batuta de um técnico com bagagem européia.

(-) Falta de ‘canja’ internacional.

Treinador: Dragan Stojkovic. Eterno ídolo do clube, desde que chegou em 2008 este sérvio alavancou as aspirações da equipe.

Time-base (4-3-3): Seigo Narazaki; Maya Yoshida, Takahiro Masukawa, Shohei Abe e Hayuma Tanaka; Kei Yamaguchi, Keiji Yoshimura (Magnum) e Yoshizumi Ogawa; Yuki Maki, Keita Sugimoto e Davi.

GAMBA OSAKA

Localização: Osaka, Japão

(+) É o atual campeão, conhece os atalhos e tem Leandro, atacante artilheiro do torneio e em ótima fase.

(-) Plantel rodado que dá sinais de desgaste e necessita de renovação.

Treinador: Akira Nishino. Eleito o melhor técnico da Ásia em 2008. Desde 2002 no Gamba, nenhum outro técnico no torneio está no cargo há tanto tempo.

Time-base (3-4-3): Naoko Matsuyo; Sota Nakazawa, Satoshi Yamaguchi e Takumi Shimohira; Yasuhito Endo, Tomokazu Myojin, Hideo Hashimoto e Masato Yamazaki; Leandro Montera, Lucas e Cho Jae-Jin

SEOUL FC

Localização: Seul, Coréia do Sul

(+) Tem a torcida mais fanática da Coréia do Sul (algo raro entre os clubes de lá) e a classificação no sufoco reforçou o grupo de jogadores.

(-) Ao contrário de clubes como Suwon Bluewings e Seongnam Ilhwa Chunma, o Seoul não tem experiência internacional e depende até em demasia dos lampejos do avançado montenegrino Dejan Damjanovic; time limitado.

Treinador: Senol Gunes. O comandante turco, estimado no país desde a fantástica campanha de sua seleção na Copa do Mundo de 2002, é a maior estrela da equipe.

Time-base (4-1-4-1): Kim Ho-Jun; Park Yong-Ho, Kevin Hatchi, Kim Jin-Kyu e Kim Chi-Gon; Adilson dos Santos; Kim Chi-Woo, Kim Han-Yoon, Lee Sang-Hyup e Ki Sung-Yong; Dejan Damjanovic.

KASHIMA ANTLERS

Localização: Ibaraki, Japão

(+) Experiência, rotina e vários elementos que desequilibram nos últimos metros do campo.

(-) A pressão pelo título continental desestabiliza muito o Antlers.

Treinador: Oswaldo de Oliveira. Herdou um elenco experiente e azeitado e vem ganhando as taças em âmbito doméstico. Tentar levar o Antlers ao título continental será seu batismo de fogo.

Time-base (4-4-2): Hitoshi Sogahata; Toru Araiba, Go Oiwa, Daiki Iwamasa e Atsuto Uchida; Park Joo Ho, Takuya Nozawa, Motoyama e Ogasawara; Marquinhos e Yuya Osako.

SUWON SAMSUNG BLUEWINGS

Localização: Suwon, Coréia do Sul

(+) Estrutura e uma das torcidas mais apaixonadas do continente.

(-) Vive uma temporada irregular.

Treinador: Cha Bum-Kun. O maior jogador sul-coreano de sempre também é um dos técnicos mais conceituados da Ásia.

Time-base (4-4-2): Lee Won-Jae; Kwak Hee Ju, Li Weifeng, Yang Sang-Min e Kim Dae-Keon; Lee Sang-Ho, Chong-Gug, Lee Kwan-Woo e Kim Dae-Eui; Edu e Bae Ki-Jong.

KAWASAKI FRONTALE

Localização: Kawasaki, Japão

(+) Elenco experiente que conhece a competição

(-) Ainda não ganhou um campeonato importante e por isso muitas vezes não consegue ‘pensar grande’ em determinadas situações.

Treinador: Takashi Sekizuka. É a alma do clube; carismático e incansável.
Ficou algum tempo fora por estresse, mas voltou com o mesmo empenho.

Time-base (3-5-2): Eiji Kawashima; Yusuke Igawa, Shehei Terada e Tomonobu Yokoyama; Vitor Júnior, Kengo Nakamura, Yusuke Morikazu, Murakami e Hiroyuki Tamiguchi; Chong-Tese e Juninho.

POHANG STEELERS

Localização: Pohang, Coréia do Sul

(+) A boa fase de Denílson no ataque.

(-) Atravessa mais uma temporada cambaleante. Time limitado.

Treinador: Sérgio Farias. O comandante brasileiro virou herói em Pohang depois de levar o clube ao título sul-coreano em 2007 quebrando um jejum de 15 anos sem a taça nacional.

Time-base (3-5-2): Shin Yong; Kim Gwang-Seok, Kim Hyung-Il e Hwang Jae-Won; Choi Jin, Kim Tae-Su, Gi-Dong, Jung-Kyum e Myung-Min; Chang-Hyun e Denílson.

NEWCASTLE JETS

Localização: Newcastle, Austrália

(+) O conjunto e a capacidade de superação já comprovada

(-) Sem ‘match-winners’ e sem experiência internacional é difícil aspirar muita coisa. O conterrâneo Adelaide United, vice-campeão em 2008, era muito mais time..

Treinador: Gary Van Egmond. Enraizado no clube, foi eleito o melhor técnico da temporada 2007/8 da liga australiana (A-League). Como jogador esteve na Eredivisie (Campeonato holandês) defendendo o Roda JC em 1990/1.

Time-base (4-2-3-1): James Kennedy; Tarek Elrich, Adam Griffiths, Nikolai Topor e Ljubo Milicevic; Matt Thompson e Mitchel Johnson; Jobe Wheelhouse, Jason Hoffman e Donny de Groot; Sasho Petrovski.

 

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo