Ásia/Oceania

O final do Iraniano foi tão louco que dois times festejaram o título. Um errou as contas

Dois jogos decisivos, dois times comemorando. A rodada final do Campeonato Iraniano contou com uma cena impagável nesta sexta-feira. Dividindo a liderança com o Naft Teerã, ambos com 57 pontos, o Tractor Sazi preparou uma atmosfera sensacional em seu estádio. O confronto direto poderia render o título inédito e, como esperado, terminou com uma partida eletrizante: empate por 3 a 3, que fez os jogadores da casa irem à loucura. Só tinha um problema: com 56 pontos no início da rodada, o Sepahan venceu sua última partida. E, de terceiro colocado, terminou campeão com um ponto a mais que os adversários. Com razão, armou a festa na cidade de Isfahan, recebendo a taça da organização do torneio.

VEJA TAMBÉM: Só faltam seis rodadas, mas até o lanterna ainda pode ser campeão argelino

A vitória do Sepahan nem foi tão emocionante assim, batendo em casa o Saipa por 2 a 0, com dois logo no primeiro tempo. As atenções estavam todas voltadas a Trabriz, onde o Tractor Sazi lotou o estádio. O Naft Teerã abriu o placar, mas os donos da casa viraram para 3 a 1 no placar até o início do segundo tempo. Mas diminuíram o ritmo e permitiram o empate nos minutos finais. Com gols aos 31 e aos 36 da etapa complementar, o Naft buscou o 3 a 3, que fez os times morrerem abraçados. Embora os alvirrubros não soubessem disso.

O pior aconteceu após o apito final: as duas partidas contaram com times comemorando em campo. Enquanto o Sepahan vibrava, com razão, o Tractor demonstrou que não tinha noção alguma da tabela. Os jogadores dos alvirrubros apareceram correndo e tirando as camisas, mas na verdade tinham ficado apenas com o vice-campeonato, que dá apenas vaga na Liga dos Campeões da Ásia – o que eles já haviam garantido. O erro de cálculo muito provavelmente atrapalhou o relaxamento ao final do jogo. E custou caro, com uma frustração gigantesca depois da invasão de campo de centenas de torcedores (que pareceram contagiados justamente pelos jogadores) e até da volta olímpica com um enorme bandeirão.

VEJA TAMBÉM: Técnico suspenso arranjou um guindaste para comandar seu time na terceirona do Turco

O Sepahan, por sua vez, protagonizou uma arrancada muito além da rodada final. Quando restavam seis partidas para o fim da competição, o clube era apenas o quarto colocado, sete pontos atrás do Naft e seis do Tractor. A partir de então, venceu todos os seus compromissos pelo torneio, incluindo o Persepolis e o Naft. Uma sequência essencial para a conquista do time que conta em seu elenco com dois brasileiros: o meio-campista Márcio Passos, ex-América de Natal, e o atacante Luciano Chimba, que rodou por clubes de Brasília e do interior de São Paulo.

Este é o quinto título da história do Sepahan, o quarto desde 2010, rompendo a hegemonia histórica de Persepolis e Esteghlal no Campeonato Iraniano. E que deixa uma grande lição, especialmente ao Tractor Sazi: estude a tabela melhor. Ou, pelo menos, se informe.

Abaixo, o vídeo com a festa dos dois times, a partir de 7:30. Além disso, as fotos do Tractor quando chegou a notícia de que não eram campeões:

CFERTC6WIAA6GaO

CFEpeA-WIAAVgy6

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo