Ásia/Oceania

A ressurreição do Vegalta Sendai

Neste final de semana, a bola volta a rolar pela J-League. E com 14 das 34 rodadas já disputadas, a liderança está com o Vegalta Sendai, com 30 pontos ganhos, dois a mais que o Sanfrecce Hiroshima. Além de não ser uma das forças tradicionais do futebol nipônico – voltou da segunda divisão em 2010 –, o Vegalta Sendai foi o time que simbolizou a recuperação do país depois das tragédias causadas pelo terremoto seguido de tsunami, em março do ano passado.

Capital da província de Miyagi, Sendai é a cidade mais próxima do epicentro de onde ocorreu o terremoto em 11 de março de 2011, poucos dias depois de começada a temporada da J-League. A competição ficou interrompida por seis semanas, e quando retornou, o Vegalta não tinha onde jogar, já que o Yurtec  Stadium Sendai, onde o time mandava seus jogos, tinha sido destruído. O time mandou seus jogos em várias cidades próximas, e curiosamente, os torcedores da equipe, mesmo em meio ao caos, encontraram forças para dar apoio ao time até que ele retornasse para casa, já no segundo turno do campeonato. Nessas idas e vindas, o time terminou na quarta colocação ano passado.

Este ano, as coisas melhoraram ainda mais. Sob o comando de Makoto Teguramori, a equipe se manteve invicta até a décima rodada da J-League, somando 23 pontos em 27 possíveis antes de perder para o Shimizu S-Pulse por 1 a 0. Nos últimos quatro jogos, duas vitórias, um empate e uma derrota, e a ponta da tabela em um campeonato como sempre equilibrado.
Para se ter uma ideia de como é boa a campanha do Sendai, o atual campeão, Kashiwa Reysol, está com apenas 17 pontos, na modesta 13ª colocação.  O Nagoya Grampus, outra potência do futebol do país, tem 20 pontos.

Um dos pilares da equipe é o veterano atacante Atsushi Yanagisawa, de 35 anos. O jogador, que atuou por três temporadas no futebol italiano e tem 56 jogos pela seleção japonesa, é o capitão da equipe. O destaque do Vegalta Sendai na temporada tem sido o atacante brasileiro Wilson, revelado pelo Corinthians. O jogador fez seis gols em 13 partidas no campeonato e, se ainda está longe de Hisato Sato, do Sanfrecce Hiroshima (goleador máximo da J-League, com 11 gols), pelo menos, vem agradando o torcedor da equipe amarela e azul. Além de Wilson, Deyvid Sacconi, ex-Palmeiras, é o outro brasileiro do clube.

No sábado, o Vegalta Sendai pega o Urawa Red Diamonds (terceiro colocado, com 25 pontos), fora de casa, no jogo mais importante da rodada. Kashiwa Reysol x Kashima Antlers jogam em Kashiwa em jogo que também vale a atenção.  Do lado de baixo da tabela, o lanterna Consadole Sapporo recebe o Gamba Osaka, vice-lanterna.

Na China, Drogba é a esperança para salvar Shanghai Shenhua

Com a confirmação da contratação do atacante marfinense Didier Drogba, o Shanghai Shenhua espera se livrar da incômoda ameaça de rebaixamento na liga chinesa. O time perdeu no sábado para o Changchun Yatai, por 2 a 0, e caiu para a 12ª colocação no campeonato, com 14 pontos ganhos, três a mais que o Shandong Luneng, primeiro na zona do rebaixamento. Drogba anunciou o acerto com o time chinês nesta quarta-feira, mas só deve jogar no início de julho. Enquanto isso, o time vai penando para fugir da rabeira da tabela.

Na liderança, o Guanghzou Evergrande não teve dificuldades para golear o Jiangsu Sainty por 5 a 1, com três gols de Muriqui (artilheiro da liga com nove em 10 jogos), um de Darío Conca e um de Jiang Ning. O time dirigido por Marcelo Lippi tem 29 pontos em 13 jogos, quatro pontos a mais que o Beijing Guoan. No sábado, o Evergrande joga fora de casa diante do Liaoning Whowin, enquanto o Guoan recebe o Sainty.

Eliminatórias da Copa de 2014: Japão e Coreia do Sul na boa

As seleções de Japão e Coreia do Sul confirmaram o favoritismo na primeira etapa da fase final das eliminatórias para o Mundial do Brasil. Com três das dez rodadas disputadas nas duas últimas semanas, sul-coreanos e japoneses lideram seus grupos sem sustos.

No grupo A, a Coreia do Sul folgou na primeira rodada, mas venceu bem o Catar (4 a 1 fora de casa) e o Líbano (3 a 0 em Goyang). Com isso, soma 6 pontos e é a única seleção com 100% de aproveitamento. Irã e Catar têm 4 pontos cada um, sendo que os iranianos jogaram apenas duas vezes (vitória fora de casa sobre o Uzbequistão e empate em casa diante do Catar). Líbano e Uzbequistão ficaram com um ponto do empate em 1 a 1, em Beirute, na segunda rodada.

No grupo B, quatro das seis partidas realizadas nesta primeira etapa terminaram empatadas. As outras duas tiveram o Japão como vencedor (3 a 0 em Omã e 6 a 0 na Jordânia). Os japoneses empataram com a Austrália fora de casa, mas mesmo assim estão com uma folga absurda na classificação: 7 pontos ganhos, contra 2 de Iraque, Austrália e Omã. A Jordânia tem um pontinho.

Com mais três rodadas em 2012, nos meses de setembro, outubro e novembro, as eliminatórias da Ásia tem tudo para virar o ano com Japão e Coreia do Sul já garantidos no Mundial do Brasil, restando ainda duas vagas diretas para serem disputadas nas quatro rodadas finais, em 2013.

CURTAS

Com o incrível retrospecto de ter chegado entre os três primeiros colocados da J-League em sete das últimas oito edições, o Gamba Osaka passa pelo pior momento de sua história. O time dos brasileiros Paulinho, Rafinha, Pedro Júnior e Eduardo conseguiu apenas nove pontos e está na penúltima colocação na tabela, além de ter sido o lanterna do seu grupo na Liga dos Campeões.

O time, que já trocou de treinador na temporada (Masanobu Matsunami, um dos maiores ídolos da história do clube, substituiu José Carlos Serrão, que foi derrotado nos três primeiros jogos) perdeu oito dos 13 jogos que fez no campeonato e não vence há dois meses, desde que bateu o Shimizu S-Pulse por 3 a 1, na sétima rodada.

E Diego Maradona acabou se segurando no comando do Al-Wasl, dos Emirados Árabes. O time trocou de presidente e mesmo com a vexatória campanha na liga local (oitavo lugar entre 12 equipes) e a perda do título da Copa do Golfo, em casa, para o Al-Muharraq, do Bahrein, o ídolo maior do futebol argentino permanece no cargo.

Na Coreia do Sul, o segundo turno da K-League começou no sábado, com a derrota do FC Seoul, líder do campeonato, para o Pohang Steelers, por 1 a 0. Com isso, o Jeonbuk Hyundai Motors encostou: está com 33 pontos, um a menos que o líder. Seoul e Jeonbuk jogam em casa no fim de semana.

Apenas para tirar a dúvida de alguns dos leitores que perguntaram no Twitter sobre a conquista do Taiti na Copa das Nações da Oceania: o Taiti, campeão do torneio, é o representante do continente na Copa das Confederações no ano que vem. No entanto, o torneio eliminatório para a Copa de 2014 só começa em setembro.

Além do Taiti, Nova Zelândia, Ilhas Salomão e Nova Caledônia disputam um torneio em turno e returno até março de 2013. O vencedor deste torneio vai para a repescagem intercontinental contra o quarto colocado da fase final da Concacaf.

Para terminar: ainda repercute o fracasso dos times japoneses na Liga dos Campeões da Ásia. Além do Gamba Osaka, que nem passou de fase, os outros três representantes foram eliminados nas oitavas (Nagoya Grampus, Kashiwa Reysol e FC Tokyo). Pela primeira vez nas últimas temporadas não há japoneses nas quartas de final, que acontecem em setembro.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo