Sul-Americana

Grupo F da Sul-Americana: Corinthians busca revanche para finalmente levantar taça

Corinthians terá pedra no sapato no Grupo F, mas adversários frágeis prometem uma trajetória tranquila ao Timão até o mata-mata

Apesar de reencontrar uma pedra no sapato, o Corinthians terá um caminho bem tranquilo na primeira fase da Copa Sul-Americana. No Grupo F da competição, o Timão enfrentará Argentinos Juniors-ARG, Racing-URU e Nacional-PAR. A expectativa é que a equipe alvinegra lide bem com a revanche diante dos hermanos, responsáveis pela eliminação da Libertadores no ano passado, e passe sem dificuldades diante dos demais adversários da chave. A liderança tende a ser um caminho natural para o time de António Oliveira.

O Corinthians também terá outro bom negócio durante a campanha: a logística. Afinal, em nenhuma das três viagens desta etapa terão grandes altitudes ou trajetos desgastantes.

Pensando na trajetória do Timão até o mata-mata da Sul-Americana, a Trivela preparou um guia com o histórico recente de cada um dos seus oponentes.

Corinthians

Corinthians na Sul-Americana

  • Participações: 8
  • Títulos: 0
  • Última participação: 2023
  • Melhor participação: semifinal (2019 e 2023)

O Corinthians chega à Sul-Americana com a missão de tentar superar o desempenho da temporada passada, quando foi semifinalista da competição pela segunda vez em sua história. Em 2019, o Timão quase conquistou vaga na decisão, mas foi eliminado pelo Independiente del Valle, do Equador. Em 2023, a equipe alvinegra ficou pelo caminho ao cair para o Fortaleza na semi.

Já nesta temporada, apesar orçamento revisado pela própria diretoria apontar uma queda nas quartas de final, o Timão tem grandes chances de brigar por mais. Isso porque a equipe teve uma grande evolução desde a chegada de António Oliveira.

Pelo menos durante a fase de grupos, dado o baixo grau de dificuldade da chave, o Corinthians deve encontrar uma trajetória um pouco menos espinhosa até a etapa eliminatória. Além disso, até as oitavas, o time de Itaquera deve contar com importantes retornos, casos dos lesionados Maycon e Palacios.

Vale lembrar que a Sul-Americana manteve o formato da edição anterior, com os primeiros colocados avançando direto às oitavas de final. Quem terminar em segundo na chave vai para uma espécie de repescagem contra os terceiros dos grupos da Libertadores.

Argentinos Juniors

Argentinos Juniors na Sul-Americana

  • Participações: 6
  • Títulos: 0
  • Última participação: primeira fase (2020)
  • Melhor participação: semifinal (2008)

Mesmo que a derrota para o Argentinos Juniors no ano passado, em plena Neo Química Arena, ainda assombre o Corinthians, a fase do adversário nesta temporada não é a mesma. A equipe passou por uma reformulação, perdeu o seu principal jogador para o Inter Miami, dos EUA, o meia Federico Redondo, e teve problemas para se adaptar às novidades no início do Campeonato Argentino.

A retomada do Argentinos Juniors no Apertura tem total relação com o trabalho do técnico Pablo Guede, que reencontrou o caminho das vitórias ao ser apoiado por jovens atletas do elenco. Com vários atletas promovidos da base, o treinador soma 6 vitórias, 3 empates e apenas 2 duas.

Os destaques do atual elenco são Alan Hernán Lescano e Franco Moyano. Atualmente, os meias fazem uma dupla sólida no setor criativo e são as figuras que conseguiram resolver a ausência de Redondo.

Racing (URU)

Racing-URU na Sul-Americana

  • Participações: estreante
  • Títulos: 0
  • Última participação: nunca participou
  • Melhor participação: nunca participou

Mais de uma década após encarar o Corinthians pela Libertadores, o Racing terá a oportunidade de voltar a disputar uma competição continental. O time alviverde fará sua estreia na Sul-Americana após passar cinco temporadas lutando para subir à elite do futebol uruguaio. No entanto, pelo atual desempenho, a equipe — 8ª colocada da tabela com duas vitórias em seis rodadas — deve disputar com o Nacional do Paraguai o último lugar do grupo.

Vale ressaltar que o Campeonato Uruguaio chegou a paralisado após um episódio de violência envolvendo uma partida do Racing, no dia 16 de abril. A equipe foi derrotada em casa pelo Peñarol, por 2 a 0, e um torcedor arremessou uma pedra na cabeça do bandeirinha Federico Piccardo, que teve ferimentos leves.

A AUF (Associação Uruguaia de Futebol) optou por suspender a competição depois do incidente. As rodadas foram retomadas após uma assembleia entre membros da Federação de Arbitragem e autoridades.

Nacional (PAR)

Nacional (PAR) na Sul-Americana

  • Participações: 8
  • Títulos: 0
  • Última participação: 2018
  • Melhor participação: quartas de final (2017)

O Nacional do Paraguai vive um período difícil em sua história de 117 anos. Vice-campeões da Libertadores em 2014, os paraguaios estão em uma seca de títulos e bons resultados na última década. E, em 2024, a situação é ainda mais grave. Atual lanterna do Campeonato Paraguaio, a equipe possui apenas uma vitória em dez rodadas. São cinco pontos somados, contando os dois empates e as seis derrotas.

Na fase preliminar da Libertadores, o Nacional até chegou a esboçar uma reação. Nas primeiras rodadas, venceu o Aucas, do Equador, e o Atlético Nacional, da Colômbia. Porém, ao enfrentar o Palestino, do Chile, foi eliminado. A queda foi o que garantiu a entrada direta na fase de grupos da Sul-Americana.

Foto de Livia Camillo

Livia Camillo

Formada em jornalismo pelo Centro Universitário FIAM-FAAM, escreve sobre futebol há cinco anos e também fala sobre games e cultura pop por aí. Antes, passou por Terra, UOL, Riot Games Brasil e por agências de assessoria de imprensa e criação de conteúdo online.
Botão Voltar ao topo