Sul-Americana

Grupo H da Sul-Americana: será que finalmente é o ano do Bragantino?

Massa Bruta terá rival tradicional pela frente e um grupo acessível após eliminação diante do Botafogo na fase Pré-Libertadores

O Grupo H da Copa Sul-Americana 2024 tem como principal favorito o RB Bragantino, time treinado por Pedro Caixinha, que terá como adversários o Coquimbo Unido do Chile, o Sportivo Luqueño do Paraguai e o tradicional Racing de Avellaneda, da Argentina. O Massa Bruta deve disputar com o time argentino a primeira colocação da chave, enquanto chilenos e paraguaios correm por fora, mas podem prejudicar os favoritos nos jogos em casa. Vale lembrar que o líder de cada grupo se classifica diretamente para as oitavas de final da competição e o segundo vai disputar uma repescagem contra os terceiros colocados de cada grupo da Libertadores.

Acompanhe neste guia especial montado pela Trivela como está a situação atual dos adversários do Massa Bruta na primeira fase da Copa Sul-Americana 2024.

RB Bragantino

Red Bull Bragantino na Sul-Americana

  • Participações: 3
  • Títulos: 0
  • Última participação: 2023
  • Melhor participação: vice-campeão (2021)

Adquirido pelo grupo Red Bull em 2019, o Red Bull Bragantino mudou de patamar dentro do cenário brasileiro e passou de um time do interior paulista acostumado a jogos locais para a elite do futebol brasileiro e uma das forças brasileiras nas competições internacionais. A edição de 2024 da Copa Sul-Americana será a terceira a ser disputada pelo time de Bragança Paulista nos últimos quatro anos. Em sua primeira participação, em 2021, o Massa Bruta conquistou o vice-campeonato, perdendo a final para o Athletico Paranaense.

Este ano, o clube chegou até a fase de grupos da competição após ser eliminado pelo Botafogo na terceira fase Pré-Libertadores. Após perder o jogo de ida no Rio de Janeiro por 2 a 1, os comandados de Pedro Caixinha ficaram no empate por 1 a 1 em casa, no Estádio Nabi Abi Chedid. O time do interior de São Paulo não deve ter dificuldades para passar desta primeira fase da Copa Sul-Americana, mas deve tomar cuidado com os confrontos diante do Racing, principalmente em Avellaneda.

Coquimbo Unido

Coquimbo Unido na Sul-Americana

  • Participações: 1
  • Títulos: 0
  • Última participação: 2020
  • Melhor participação: semifinal (2020)

Atual 11º colocado do Campeonato Chileno, o time do Coquimbo Unido vai em busca de repetir o feito de 2020, quando chegou às semifinais da Copa Sul-Americana e foi eliminado pelo Defensa y Justicia. A equipe chilena chegou até a edição deste ano da competição após boa campanha na liga nacional da última temporada, terminando na quinta colocação e tendo eliminado a Universidad Católica na fase preliminar, vencendo de forma surpreendente seu rival pelo placar de 2 a 0, em Santiago.

Treinado por Esteban González, argentino de 42 anos, a equipe vem de duas vitórias, dois empates e duas derrotas nos últimos seis jogos, contando todas as competições. No Campeonato Chileno são duas derrotas e um empate nos últimos três jogos, com cinco pontos na tabela de classificação. Entre os destaques do time aparecem o meia Luciano Cabral, ex-jogador do Athletico Paranaense e o experiente zagueiro uruguaio Manuel Fernandez.

Sportivo Luqueño

Sportivo Luqueño na Sul-Americana

  • Participações: 3
  • Títulos: 0
  • Última participação: 2020
  • Melhor participação: semifinal (2015)

Quarta força do Paraguai atrás do Olimpia, Cerro Porteño e Libertad, o tradicional Sportivo Luqueño conquistou sua vaga para a fase de grupos da Copa Sul-Americana deste ano após bater o Guaraní por 1 a 0 na fase preliminar. Promovido para a primeira divisão do futebol paraguaio em 2023, o time comandado por Julio Cesar Cáceres foi o 10º colocado no último Campeonato Paraguaio e confia na categoria e faro de gol de Lucas Barrios, ex-Palmeiras, para tentar surpreender e passar de fase na competição deste ano.

A equipe vem em boa fase em sua liga nacional, ocupando a quarta colocação até o momento, com quatro vitórias, três empates e três derrotas nos últimos dez jogos. Seu estádio é o Feliciano Cáceres, conhecido carinhosamente pela torcida como Chiqueiro e tem capacidade para 27 mil pessoas. Há nove anos, em 2015 o time paraguaio surpreendeu e chegou até a semifinal da Sul-Americana, sendo eliminado pelo Independiente Santa Fé, que se tornaria o vencedor daquela edição.

Nas quartas de final daquele ano, o time paraguaio superou o Athletico Paranaense após perder o jogo de ida por 1 a 0 e vencer por 2 a 0 na volta, em Luque.

Racing

Racing na Sul-Americana

  • Participações: 7
  • Títulos: 0
  • Última participação: 2022
  • Melhor participação: quartas de final (2017)

Equipe mais tradicional do grupo, o Racing não atravessa o melhor momento na temporada, mas é um time de muita camisa e promete rivalizar com o RB Bragantino pela liderança do Grupo H da Copa Sul-Americana deste ano. O time é o oitavo colocado do Grupo B do Campeonato Argentino, mas está a três pontos de distância da zona de classificação à próxima fase.

Campeão da Libertadores em 1967, da antiga Supercopa Sul-Americana em 1988 e da Copa Intercontinental de 1967, o time sediado em Avellaneda, província da cidade de Buenos Aires tem 18 títulos nacionais e é um dos principais times do futebol argentino. O estádio Presidente Perón tem capacidade para 51.389 pessoas e será um dos trunfos da equipe para avançar na fase de grupos da Sul-Americana.

Treinado por Gustavo Costas, o time tem como principais destaques o goleiro, o meia Juan Quintero e o atacante Nicolás Romero.

Foto de Lucas de Souza

Lucas de Souza

Esse é Lucas de Souza, redator e repórter do Futebol na Veia e da Trivela. Jornalista especializado em Marketing digital é também narrador do Portal Futebol Interior e da RP2Marketing.
Botão Voltar ao topo